Aumento do aluguel: Fique por dentro de algumas dicas para renegociar esse valor

Preço do aluguel sofre aumento significativo e locatários e locadores realizam acordo mútuo para que ambas as partes não sejam prejudicadas. Saiba como propor um acordo e conheça as melhores formas de negociação.

Aluguel

Diante da pandemia do novo coronavírus o valor de insumos, produtos e serviços essenciais aumentaram significativamente, bem como o aluguel.

Publicidade

Publicidade

De acordo com o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), indicador de preços da categoria, somente nos primeiros dez dias de março deste ano o acumulado de 12 meses atingiu 29,83%.

Preço do aluguel afeta a maioria dos brasileiros

Entre dezembro de 2019 e novembro de 2020 houve um aumento de 1,17% no valor do aluguel na cidade de São Paulo. O dado é do departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP.

Apesar do aumento, inquilinos e proprietários estão negociando prazos e descontos nas mensalidades para que nenhuma das partes seja financeiramente prejudicada.

Publicidade

Publicidade

Além disso, os índices de inflação são ajustados anualmente de acordo com a oferta e a demanda do setor.

Negociação

Segundo Gyselle Campos, gerente comercial que conduz negociações imobiliárias, é necessário propor um acordo equilibrado e, para isso, forneceu algumas dicas.

O primeiro passo é analisar o setor imobiliário, principalmente o preço médio cobrado pelo aluguel na região e as condições de prazo e pagamento. Feito isso, é possível propor ao locatário um valor mais justo.

Outra possibilidade para reduzir o valor do aluguel é apresentar um histórico de pagamento ao locatário. Se o dono do imóvel ou a imobiliária sentir confiança no inquilino as chances são maiores de o locador conseguir um desconto ou outro prazo de pagamento.

Os locadores também devem avaliar se a mudança de propriedade seria a melhor opção. Na maioria dos casos, os custos aplicados em reparos, pinturas e multas para entregar o imóvel são altos.

Além disso, os locatários também devem considerar se a saída do locatário seria a melhor alternativa ao invés de garantir algum reajuste, pois existe o risco de ficar com o imóvel fechado por tempo indeterminado e ainda ter que pagar as contas.

Transparência

Publicidade

Publicidade

Sendo assim, é fundamental que ambas as partes avaliem as possibilidades da forma mais sincera e transparente possível. Se não der para contar com descontos, pode haver o prolongamento do prazo de pagamento ou o contrário.

O importante é que o acordo seja feito em consenso entre as partes e que seja determinado em contrato para evitar problemas futuros.

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.
Linkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário