Auxílio Emergencial 2021: Perguntas e Respostas sobre o benefício!

Novos pagamentos do auxílio emergencial estão previstos para os próximos quatro meses.

A retomada do benefício tem como objetivo minimizar os impactos socioeconômicos causados às famílias mais carentes por conta da segunda onda da pandemia do coronavírus.

Auxílio emergencial

O auxílio emergencial será oferecido em quatro parcelas com valor mínimo de R$150 e máximo de R$375 de acordo com a composição familiar dos beneficiários.

Para essa nova fase de pagamentos do auxílio emergencial foram aprovados cerca de R$44 bilhões pelo governo federal.

Auxilio emergencial
Pagamentos começam em abril

Apesar da divulgação de algumas informações existem dúvidas acerca de como funcionarão os novos pagamentos, especialmente sobre os grupos que podem ou não receber o benefício.

Sendo assim, separamos as questões mais comuns e pertinentes ao tema a fim de esclarecer as informações aos cidadãos interessados. Acompanhe!

Valor

Os valores a serem pagos nesta nova etapa do auxílio emergencial podem variar de acordo com o perfil do beneficiário e a composição de cada família. Veja:

  • Famílias vão receber R$ 250,00;
  • Uma família monoparental e dirigida por uma mulher receberá R$375,00;
  • Pessoas que moram sozinhas vão receber R$150,00.

Até o momento a previsão para o primeiro pagamento é dia 16 de abril. Os próximos serão realizados nos últimos dez dias úteis dos meses de maio, junho e julho.

Os pagamentos serão efetuados por meio de conta poupança digital da Caixa e o beneficiário poderá movimentá-lo usando o aplicativo Caixa Tem.

Novas regras

Os novos pagamentos do auxílio emergencial não contemplam os mesmos grupos e perfis dos benefícios anteriores.

Neste caso, não podem receber o pagamento:

  • Menores de 18 anos, exceto mães adolescentes;
  • Trabalhador com carteira assinada ou que recebe benefício do governo (exceto o Bolsa Família e o abono salarial);
  • Quem não movimentou os valores do auxílio emergencial de 2020;
  • Quem teve o benefício cancelado até dezembro de 2020;
  • Estagiários e residentes médicos, multiprofissionais e bolsistas;
  • Quem teve renda tributável acima de R$ 28.559,70 em 2019;
  • Quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$40 mil;
  • Pessoas que tinham propriedade de bens e direitos em valor total superior a R$300 mil em 2019;
  • Dependentes no IR de 2019 de pessoas enquadradas nos itens 6, 7 e 8;
  • Presos em regime fechado, ou cuja família recebe auxílio-reclusão;
  • Quem possui renda familiar mensal per capita acima de meio salário mínimo;
  • Quem reside no exterior.

A previsão do governo federal para este ano é contemplar aproximadamente 45, 6 bilhões de pessoas. Ano passado o benefício foi concedido para 68 bilhões.

Vale ressaltar que não haverá novas inscrições para receber o auxílio emergencial. Sendo assim, a seleção de pessoas será feita com base no antigo cadastro.

Para saber se você receberá o benefício basta consultar o site da Dataprev. Além disso, é recomendado atualizar o cadastro no app Caixa Tem, mas o procedimento não é obrigatório para o recebimento do auxílio emergencial.

Julia de Paula
Julia é formada em jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo e, no momento, atua como redatora para o portal NoDetalhe. Ao longo da carreira, a jornalista tem se especializado em produção de conteúdo otimizado para motores de busca e conversão, além de gerenciamento de mídias sociais e marketing digital.
Linkedin

Deixe seu comentário