Saiba se você está entre os 650 mil que precisará devolver o Auxílio Emergencial

Mais de 650 mil brasileiros precisaram devolver o Auxílio Emergencial. A decisão do Ministério da Cidadania foi divulgada na última quinta-feira (19). Os cidadãos que precisam compensar a União por recebimento indevido do benefício foram notificados por mensagens de celular.

Veja abaixo quem precisa devolver o Auxílio Emergencial:

Publicidade

Publicidade

  • Trabalhadores que, ao declarar o Imposto de Renda, geraram a DARF para a restituição de parcelas do benefício, mas que ainda não efetuaram o pagamento ou que receberam recursos de forma indevida por não se enquadrarem nos critérios de elegibilidade do programa;
  • Cidadãos com indicativo de recebimento de um segundo benefício assistencial do Governo Federal, como aposentadoria, seguro desemprego ou Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, além de pessoas com vínculo empregatício na data do requerimento do auxílio emergencial ou identificadas com renda incompatível com o recebimento;
  • Pessoas que declararam rendimento tributável do IRPF superior a R$ 22.847,76 em 2020.

Se você ainda está com alguma dúvida sobre a devolução do valor ao governo, não se preocupe, pois vamos te explicar com mais detalhes a seguir.

devolver o auxílio emergencial

Como devolver o Auxílio Emergencial?

Devolver o Auxílio Emergencial é muito simples e pode ser feito pela internet. Para isso, basta acessar o site do Ministério da Cidadania ou ir até a página de devolução de valores do benefício.

Em ambos os links, você deverá seguir as instruções abaixo:

Publicidade

Publicidade

  1. Insira o CPF cadastrado para o recebimento do Auxílio Emergencial;
  2. Clique na opção “Emitir GRU”;
  3. Uma Guia de Recolhimento da União será gerada automaticamente pelo sistema;
  4. Realize o pagamento do boleto – online ou de forma presencial, em agências bancárias ou casas lotéricas credenciadas.

Depois de realizar estes passos, você terá quitado seus débitos com o Governo Federal. Não é necessário enviar o comprovante de pagamento para nenhum e-mail, mas o titular do CPF que realizou a devolução do valor deverá guardar o documento, caso seja necessária a comprovação futura aos órgãos fiscalizadores da União.

É possível parcelar a devolução do benefício?

Infelizmente, não é possível parcelar a devolução do Auxílio Emergencial. Segundo as regras estabelecidas pelo Ministério da Cidadania, para cada parcela recebida, uma GRU deve ser gerada.

Logo, se você recebeu três parcelas de R$ 600 do benefício, precisará gerar, obrigatoriamente, uma GRU para cada parcela e realizar o pagamento à vista. O valor devolvido aos cofres públicos deve ser exatamente igual ao recebido durante o período de auxílio.

Meu CadÚnico será cancelado ao devolver o Auxílio Emergencial?

Esta é uma das maiores dúvidas de pessoas que receberam o auxílio de forma indevida e terão que realizar a devolução. Porém, devolver o Auxílio Emergencial não fará com que a inscrição no Cadastro Único seja cancelada automaticamente.

Você precisará retornar o valor do benefício corretamente, conforme explicado acima, mas continuará tendo cadastro no sistema e poderá continuar usufruindo dos benefícios que ele oferece.

Punições para quem não devolver o benefício

É muito importante que você devolva o Auxílio Emergencial aos cofres públicos, caso esteja inserido em algum dos grupos que receberam o valor indevidamente. Caso o estorno do valor não seja realizado, você poderá sofrer algumas punições.

Publicidade

Publicidade

Entre as sanções que serão realizadas pelo governo aos cidadãos que não retornarem o auxílio de forma voluntária, estão: ser cobrado pela União e ter o nome inscrito na dívida ativa. Além disso, o valor poderá ser descontado dos benefícios previdenciários do trabalhador. 

Cuidado com os golpes!

O Ministério da Cidadania está enviando mensagens para os celulares dos beneficiários que precisam devolver o Auxílio Emergencial. Mas esta ação abre precedentes para que golpistas se aproveitem da medida e tirem dinheiro dos cidadãos. 

Para não cair em armadilhas, é preciso ficar de olho vivo em alguns detalhes importantes. Confira abaixo a lista de critérios que vão te ajudar a reconhecer se a mensagem foi realmente enviada pelo governo:

  • As mensagens do Ministério da Cidadania têm o registro do CPF do beneficiário;
  • O link é iniciado com “gov.br”;
  • As mensagens são enviadas pelos números 28041 ou 28042.

Já o grupo que recebeu o auxílio fora das regras do programa, receberá a seguinte mensagem: “O CPF ***.456.789-** recebeu Auxílio Emergencial indevidamente. Devolva voluntariamente o auxílio em https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao ou denuncie fraude em gov.br/falabrae”.

Publicidade

Quem não pagou a DARF receberá a mensagem a seguir: “O CPF ***.456.789-** possui DARF do Imposto de Renda em aberto relativo ao Auxilio Emergencial. Pague o valor ou denuncie fraude. Acesse gov.br/dirpf21ae.https://player.r7.com/video/i/60e465b743527fbbc4000076

Publicidade

Desconsidere qualquer SMS enviado por números diferentes aos citados anteriormente.

Jornalista formada pela Universidade Luterana do Brasil de Canoas/RS. Repórter, apresentadora, roteirista e redatora, com experiência em rádio, televisão e online.
FacebookInstagramLinkedinWikipédia

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário