Auxílio Emergencial: Descubra quem precisará devolver o benefício dado em 2020!

O Governo Brasileiro afirmou nesta última semana que o auxílio emergencial voltará a ser distribuído para a população destinada, porém, já se sabe que o orçamento para a distribuição de renda está mais do que apertado, principalmente pelo valor da dívida pública chegando perto dos R$5 trilhões.

Nos próximos dias, está previsto pelo Governo Federal a cobrança do dinheiro que foi distribuído para a população da qual não tinha direito, retornando assim diretamente para os cofres da União.

Veja abaixo mais informações sobre quem precisará realizar o retorno, como funcionará esse procedimento e muito mais.

Auxílio emergencial: quem precisará devolver esse benefício?

Auxílio emergencial: quem precisará devolver esse benefício?

Para que o processo de retorno aconteça para os cofres da União, várias mensagens via SMS já foram enviadas para os celulares, tanto para os servidores públicos civis e também militares, além dos cidadãos detentos em condição de regime fechado e para os aposentados que recebem os benefícios do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social -, de modo que façam o retorno de todas as parcelas que receberam de maneira indevida.

Dessa forma, todos os cidadãos mencionados anteriormente, dos quais obtiveram esse benefício, porém, não se enquadravam dentro dos pré-requisitos estabelecidos pelo Governo, devem realizar o retorno do dinheiro que foi recebido.

Conforme já dito por Onyx Lorenzoni, do qual ocupa a posição como chefe no Ministério da Cidadania, em nota fornecida diretamente para a Rede Globo, mesmo com as demais bases de dados do Governo, do qual realizava a verificação e cruzamento de dados dos indivíduos, aproximadamente 1,2 milhões de pessoas acabaram recebendo o benefício de forma indevida, sendo que agora, o governo tenta de várias formas conseguir essa devolução financeira, da qual como já dito, está sendo cobrada via SMS ou por meio de comunicado direto para o celular.

A Rede Globo teve acesso a uma série de documentos que revelam qual foi a quantidade dos beneficiários dos quais receberam esse auxílio de forma irregular: são cerca de 2,6 bilhões de cidadãos dos quais serão notificados nos próximos dias com o recado do governo para dar entrada no processo de devolução.

Até o momento, 1,2 milhões de pessoas já receberam essa mensagem com a devida notificação, conforme informado pelo Ministério da Cidadania, que é o setor do Governo responsável por ter disponibilizado estas parcelas do amparo emergencial.

A lista das pessoas das quais receberam o SMS direto do Governo, incluem:

  • Cerca de 119.688 pessoas aposentadas ou que são beneficiários do INSS;
  • Aproximadamente 3.401 presos que estão em regime fechado;
  • Mais de 5.900 servidores públicos civis;
  • E por fim, mais de 4.400 servidores públicos militares.

Segundo as regras de concessão estabelecidas pelo auxílio emergencial, às pessoas que são:

  • Aposentadas,
  • Que recebem o benefício de amparo assistencial (BEM/LOAS),
  • Detentos que estão privados da condição de liberdade,
  • Profissionais públicos ou que atuam como militares.

Não são do grupo do qual se enquadram dentro do benefício, porém, diante de uma série de erros mal calculados do governo, acabaram recebendo de maneira automática em suas contas todas as demais parcelas correspondentes ao auxílio.

Como foi feita essa análise equivocada do governo?

No mês de março, logo no começo da pandemia, o Governo Brasileiro desenvolveu o auxílio emergencial como forma de diminuir o impacto econômico, visto que a disseminação do vírus acabou fechando vários negócios e causando demissões em massa no Brasil.

Conforme o próprio nome já explica, essa foi uma medida considerada como emergência, da qual de início, não havia certo número de parcelas ou valor determinado para a população.

Dessa forma, cerca de 2,6 milhões de pessoas receberam esse benefício sem ter a devida necessidade, fugindo dos critérios iniciais, mesmo diante de todas as medidas adotadas pelo Governo para evitar possíveis fraudes ou inscrições indevidas.

Conforme demais atualizações do Governo, o auxílio emergencial será reativado logo no início do ano de 2021, visto que a pandemia ainda não terminou, assim como seus demais impactos causados diretamente na economia brasileira e na maioria das famílias, das quais muitas pessoas permanecem desempregadas e sem uma fonte de renda oficial.

Continue acompanhando nosso site para receber demais atualizações sobre este e demais assuntos relacionados não somente ao auxílio emergencial, mas demais tipos de benefícios que são fornecidos pelo governo.

Avatar
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Deixe seu comentário