Auxílio Emergencial: Pagamento para benefícios do Bolsa Família com NIS final 5 é HOJE (23/4)

O auxílio emergencial para os beneficiários do Bolsa Família, com número do NIS terminado em 5 começa a ser pago hoje (23) pela Caixa Econômica Federal.

De acordo com o Ministério da Cidadania, 10 milhões de beneficiários do programa social receberão o auxílio emergencial neste mês de abril.

Ao todo, serão entregues R$ 2,98 bilhões, sendo que 50% deste público (5,098 milhões de pessoas) são mulheres chefes de família, que receberão R$ 375 cada. Outros 3,34 milhões de pessoas receberão R$ 250 e 1,56 milhão terão pagamento de R$ 150.

app auxílio emergencial
Beneficiários do Bolsa Família com NIS final 5 recebem o benefício hoje (23)

Os trabalhadores que não fazem parte do grupo de pessoas que recebem bolsa família começaram a receber o valor em 6 de abril.

Os nascidos entre os meses de janeiro e agosto já receberam a primeira parcela.

Vale saber que o pagamento da primeira parcela do benefício para todos os públicos deve ser pago até o final deste mês.

Auxílio emergencial: veja quem recebe nesta sexta (23)

Beneficiários do Bolsa Família que tenham número do NIS terminados em 5 e que se enquadram nos critérios do programa

Para saber a situação do benefício, os trabalhadores podem verificar através do aplicativo do auxílio emergencial ou acessar os sites: auxilio.caixa.gov.br ou https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/.

Os integrantes do Bolsa Família que não foram contemplados, mas que julgarem se enquadrar nos critérios determinados pela legislação do auxílio emergencial 2021, podem fazer a contestação no Portal de Consultas da Dataprev até o dia 1º de maio.

Veja o calendário de pagamento divulgado pelo Ministério da Cidadania:

Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família — Foto: Economia G1
Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família — Foto: Economia G1
Auxílio Emergencial 2021 - Calendário para trabalhadores fora do Bolsa Família — Foto: Economia G1
Auxílio Emergencial 2021 – Calendário para trabalhadores fora do Bolsa Família — Foto: Economia G1

Perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial

A nova rodada do auxílio emergencial começou a ser paga no último dia 6. A medida foi adotada para auxiliar as pessoas mais vulneráveis e prejudicadas pela pandemia de Covid-19.

O retorno do benefício acontecerá em quatro parcelas e o valor será conforme o perfil de quem recebe.

O valor médio liberado é de R$ 250,00, mas dependendo da composição de cada família ele pode variar entre R$ 150,00 e R$ 375,00.

Veja as dúvidas mais comuns sobre este assunto:

Como o auxílio emergencial será pago?

Quem recebe o Bolsa Família, deve receber o auxílio emergencial da mesma forma.

Já para os demais, o benefício será pago através de conta poupança digital da Caixa, que pode ser movimentada pelo aplicativo Caixa Tem.

Quem vai receber o auxílio emergencial 2021?

A nova regra diz que o benefício será pago para as famílias com renda de até três salários mínimos por mês, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo.

Para isso, é preciso ter sido aprovado para receber o benefício em 2020, pois não haverá uma nova fase de inscrições.

Já para os beneficiários do Bolsa Família a regra continua valendo para o valor mais vantajoso, ou seja, a pessoa receberá o benefício com maior valor, seja a parcela paga no âmbito do programa ou no auxílio emergencial.

Vale saber que se houver alteração, o beneficiário será notificado.

Quem NÃO vai receber o auxílio emergencial?

  • Menores de 18 anos, exceto mães adolescentes;
  • Trabalhadores com carteira assinada ou que recebem algum benefício do governo (exceto o Bolsa Família e o abono salarial);
  • Quem não movimentou os valores do Auxílio Emergencial pago no ano passado;
  • Quem teve o Auxílio de 2020 cancelado até dezembro do ano passado;
  • Estagiários e residentes médicos, multiprofissionais e quem recebe bolsa de estudos ou similares;
  • Pessoas com renda tributável acima de R$ 28.559,70 em 2019;
  • Quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil;
  • Pessoas que, em 31 de dezembro de 2019, tinham propriedade de bens e direitos em valor total superior a R$ 300 mil;
  • Dependentes no IR de 2019 de pessoas enquadradas nos itens 6, 7 e 8;
  • Presos em regime fechado, ou cuja família receba auxílio-reclusão;
  • Pessoas que tenham renda familiar mensal per capita acima de meio salário mínimo;
  • Pessoas que sejam residentes no exterior.

Bruna Santos
Jornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
FacebookInstagramLinkedinWikipédia

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário