Auxílio emergencial: trocar de número ou de aparelho celular pode causar bloqueio no app Caixa Tem

Desde que o calendário de pagamentos da nova remessa do auxílio emergencial foi divulgado, muitas pessoas tiveram a conta bloqueada no aplicativo Caixa Tem.

Esse bloqueio pode ocorrer devido à troca do aparelho celular ou do número de celular. O motivo de isso acontecer é por causa do vínculo do cadastro ao número do celular.

Isso está acontecendo com você? Continue a leitura deste post e descubra o que deve ser feito para reverter a situação. Saiba mais a seguir.

O presidente da CEF sobre o auxílio emergencial

Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal
Pedro Guimarães em comunicado a respeito do auxílio emergencial. (Imagem: Reprodução/site Brasil de Fato)

Segundo Pedro Guimarães, o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), muitos beneficiários podem estar tentando logar mais de uma conta em um único dispositivo móvel.

Logo, esse pode ser o motivo de muitas pessoas estarem enfrentando problemas com o auxílio emergencial.

Além disso, os beneficiários que utilizam vários chips de linhas pré-pagas e que, têm os CPFs associados a vários números de telefone, estão entres os que são mais atingidos pela medida de segurança.

O que fazer diante disso?

Se a conta do aplicativo Caixa Tem tiver sido bloqueada devido a troca de número ou aparelho celular, para resolver este problema, a pessoa precisa ligar para o banco. Os atendimentos atrelados ao auxílio emergencial são feitos pelo número 111.

No entanto, se o problema persistir, a alternativa é procurar uma agência bancária. Para isso, é importante salientar que a pessoa deve estar com um documento oficial que possua foto e o CPF em mãos.

Outros motivos para o bloqueio

O bloqueio da nova remessa do auxílio emergencial pode acontecer devido à análise realizada pelo Dataprev sobre os antigos cadastros no programa.

Em vista disso, o beneficiário é retirado do programa automaticamente se a organização verificar que ele não possui mais direito ao benefício.

É possível que o auxílio emergencial seja bloqueado após receber a primeira parcela?

De acordo com o parecer do Ministério da Cidadania, o auxílio emergencial começa a ser pago no mês de abril e, após a reavaliação mensal, o cidadão pode ter o benefício cancelado.

Contudo, aquele que tiver o auxílio cancelado, pode fazer a contestação. Além do mais, mediante decisão judicial, as parcelas canceladas vão poder ser revertidas.

O pagamento do auxílio emergencial

O novo auxílio emergencial 2021 começou a ser pago a partir do dia 6 de abril para mais de 45 milhões de pessoas e está limitado a apenas uma pessoa por família.

Por decisão do governo, o benefício vai ser dividido em quatro parcelas da seguinte forma:

  • As famílias que têm a mãe como chefe do grupo familiar terão direito a R$ 375;
  • O grupo familiar composto por duas ou mais pessoa vão receber R$ 250;
  • As famílias com apenas uma pessoa receberão R$ 150.

Vale lembrar que os primeiros beneficiários a receber o auxílio, serão os inscritos no CadÚnico.

Quem tem direito ao novo auxílio emergencial

As normas para o novo auxílio emergência não concedem que novos beneficiários se inscrevam.

Com isso, o governo federal prevê ajudar as famílias que possuem renda de até meio salário mínimo per capita, ou seja, o valor de R$ 550.

Além disso, o grupo familiar necessita apresentar renda total de até três salários mínimos, R$ 3.300.

Paulo Victor Silva
Estudante do curso de Jornalismo pela UFES. Dono de uma mente inquieta e curiosa. Além disso, é amante de leitura e apaixonado por música.
FacebookLinkedin

Deixe seu comentário