Brasil perdeu quase 30 mil indústrias desde 2013

A indústria no Brasil fez um registro no mês de abril da maior contratação dentro da história, principalmente diante da parada das atividades econômicas causadas pela pandemia do coronavírus, onde aconteceu um recuo de 18,8% quando comparado com março, conforme dados divulgados pelo IBGE essa semana.

Esse resultado também não é um simples indicador: desde o mês de junho de 2019, a indústria tem registrado uma variação negativa de crescimento que foi acumulado durante 12 meses, sendo que desde 2010, vem perdendo cada vez mais participação dentro do PIB – Produto Interno Bruto – de nosso país.

Publicidade

Publicidade

Veja abaixo quais são as principais causas para que o país esteja dentro dessa situação:

O que levou a indústria a perder força?

Brasil perdeu quase 30 mil indústrias desde 2013
Brasil perdeu quase 30 mil indústrias desde 2013. Foto: Reprodução/Toda Matéria.

1 – A volta pós-recessão

A indústria brasileira estava irregular entre 2013 e 2014, sendo que depois de 2015, o comportamento desse setor foi em sua maioria negativo, passando a estar mais equilibrado no outro ano.

No ano de 2017 fechou o ano com marca positiva depois de 3 anos de retenção.

Publicidade

Publicidade

Porém, no ano de 2019 a indústria voltou a enfraquecer, fechando o ano com uma queda de 1,1%. Os especialistas mostram que o crescimento prévio não foi forte o suficiente para uma expansão contínua.

2 – Maior atração de investimentos

A retomada que aconteceu durante o ano de 2017 foi interrompida logo no ano seguinte, visto que foi um ano difícil politicamente falando.

Seja para os investidores ou estrangeiros, essa instabilidade política acabou pesando para quem queria inserir um parque industrial local ou aumentar os investimentos aqui.

Diante desse cenário, os investimentos acabaram diminuindo, sendo que no ano de 2018 isso foi acentuado ainda mais.

3 – Mercado de trabalho em processo de crise

Desde o final da recessão do ano de 2016, a retomada dos empregos em nosso países tem acontecido de maneira informal, onde se tem salários menores e uma maior falta de constância no recebimento.

Diante disso, as famílias estão investindo em apenas itens essenciais, assim, a economia gira em torno de alimentos, dos quais não possuem grande valor dentro da indústria.

Publicidade

Publicidade

A indústria está dependendo cada vez mais do mercado interno, onde com a  pandemia, as famílias tem comprado apenas o básico, deixando de lado itens duráveis, como é o caso de eletrodomésticos e móveis.

Com o foco na compra de comida, essa cadeia de produção é pequena, não sendo forte o suficiente para sustentar uma retomada da indústria.

Conforme dados divulgados pelo IBGE em abril, o país possui 12,8 milhões de desempregados, sendo que esses números publicados mostram que o trabalhador na modalidade informal é o que mais sofre.

4 – Concorrência em índice global

Essa redução dos investimentos também acabou afetando a indústria quando falamos sobre competitividade com outros países.

Publicidade

As indústrias brasileiras continuam com suas instalações defasadas, visto que os empresários acreditam que esse não o momento de investimento nessa modernização de produção, visto que a economia permanece retraída diante da organização do orçamento doméstico.

Publicidade

Outro fato que influencia a indústria é o investimento baixo em tecnologia dentro de algumas áreas.

A nossa tecnologia local é desatualizada, sendo que com o aumento da incerteza e menor capacidade de produção, não haverá mais incentivo para modernização nas empresas.

A grande consequência disso é a maior dificuldade para esse setor concorrer no mercado externo. A indústria local não é conhecida por ser competitiva, sendo que para isso mudar, é preciso ter investimento.

5 – Perda de dinâmica

Publicidade

Publicidade

Com essa falta de patrimônio para a modernização da estrutura da indústria, das grandes crises domésticas e internacionais, sem falar no mercado de trabalho fragilizado, a economia perde cada vez mais força com o passar dos anos.

Desde o ano de 2010 já foram perdidos cerca de 4 pontos percentuais dentro da participação do PIB, caindo de 14,9% para 10,1%.

Em países que possuem uma economia mais madura, essa perda de peso dentro da indústria é uma consequência de uma melhoria da renda populacional, o que faz com que os gastos das famílias sejam focados nos setores de serviços, porém, isso não é o que está acontecendo aqui.

Essa perda de espaço da indústria no PIB tem ligação com a dificuldade interna do setor de conseguir se recuperar, do que, efetivamente, uma mudança no gasto das famílias para o setor de serviços.

Dentro de nosso país, a dificuldade para lidar com esses problemas, acabam levando a indústria a perder mais espaço do que a tentar encontrar uma trajetória de maior recuperação.

Fonte: Nexo Jornal, Outline e IG.

Marcela MazettoJornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.
Veja mais ›
Fechar