Campanha do Auxílio Brasil pretende encontrar fraudes no Bolsa Família no governo Lula

Depois do processo de mudança do programa Bolsa Família, o Governo de Jair Bolsonaro agora está em busca de possíveis fraudes nos pagamentos que foram realizados dentro do governo do PT.

O principal intuito é de usar os dados e informações que não existem no programa, principalmente no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para reforçar o discurso de que Bolsonaro teria aumentado a transferência de renda no país, além de diminuir os pagamentos incorretos.

Publicidade

Publicidade

Os dados, porém, mostram que quando comparado com os governos anteriores, essa quantia de benefícios que foram cancelados por irregularidades, não sofreram com nenhuma alteração significativa desde 2019.

Campanha do Auxílio Brasil pretende encontrar fraudes no Bolsa Família no governo Lula
Campanha do Auxílio Brasil pretende encontrar fraudes no Bolsa Família no governo Lula. Foto: Reprodução/Valor Investe.

Logo no primeiro ano do governo Bolsonaro, foram interrompidos mais ou menos 209 mil transferências, o que é um índice de 1,5% na quantia de famílias beneficiadas pelo programa ao mês. É interessante destacar que desde 2014, essa taxa mudou de 1,3% até 2%.

Durante o ano de 2020, devido a pandemia, o governo escolheu por alguns meses não realizar a inspeção dos pagamentos que foram feitos de maneira irregular, sendo assim, essa quantidade passou para 0,4%.

Publicidade

Publicidade

O Ministério da Cidadania ainda afirmou que é necessário fazer alguns ajustes para apresentar os dados antes do ano de 2014. Foi confirmado pelo órgão o desconhecimento de pedidos de fraudes no Bolsa Família durante o governo do PT.

Conforme pesquisa realizada pela Folha, é esperado que a área de comunicação do governo possa conter demais dados sobre irregularidades, usando isso em discursos e entrevistas depois do lançamento do Auxílio Brasil, do qual agora, é um novo programa social, que foi prometido pelo próprio Palácio do Planalto desde o ano de 2019.

Essa medida provisória que criou o programa, onde o nome de referência foi o auxílio emergencial, já foi enviada por Bolsonaro para o Congresso logo nessa segunda-feira.

Previsões para as eleições de 2022

Uma pesquisa realizada no mês de julho pela Datafolha, mostrou que Lula aumentou sua vantagem diante de Bolsonaro nas especulações para 2022.

O candidato do PT ganha nas duas simulações mostradas para o eleitores e em demais previsões do segundo turno, onde vence por 58% a 31%.

Com um forte gasto nos quesitos sociais, como é o caso do auxílio emergencial que acabou agraciando 68 milhões de pessoas, Bolsonaro teve uma grande popularidade no ano de 2020.

Publicidade

Publicidade

Porém, essa avaliação do presidente foi invertida logo no começo de 2021, seguindo em uma decadência desde então.

A mudança do Bolsa Família é uma das estratégias do Bolsonaro para conseguir diminuir sua queda de popularidade, ganhando mais chances para sua campanha no ano de 2022.

A principal ideia é ter mais apoio como presidente por meio dos programas sociais, além da possível recuperação da economia.

É interessante destacar que o valor final desse programa ainda não foi divulgado, porém, a principal intenção é de aumentar o benefício médio da família, do qual atualmente é R$190, para R$300 ou mais, se possível.

Publicidade

É estipulado que o valor seja próximo de R$300, porém, conforme Bolsonaro deseja, o valor seria mais ou menos de R$400.

Publicidade

O número das famílias que serão beneficiadas também vão aumentar, passando de 14,7 milhões para aproximadamente 17 milhões.

Dessa forma, o custo do programa aumentará para mais de R$55 bilhões ao ano, o que dependerá do valor que será enviado para cada família. No orçamento do ano de 2021, essa verba destinada para o Bolsa Família é de R$34,9 bilhões.

O Auxílio Brasil tem a previsão de que os beneficiários recebam uma quantia extra caso tenham um trabalho formal. O principal argumento é de que essa medida aumentaria a procura por emprego.

Publicidade

Publicidade

É esperado que na prática, essa família teria um acréscimo duplo na renda, sendo assim, o salário do trabalhador e essa quantia a mais destinada pelo programa. O benefício de assistência, incluindo o bônus, terão um prazo para serem finalizados depois que a carteira de trabalho tenha sido assinada.

O programa também fez a inclusão de uma linha de crédito consignado especial para aqueles que são beneficiários.

Por se tratar de uma medida provisória, essa reformulação do Bolsa Família terá um efeito imediato, porém, precisa da autorização do Congresso no tempo de 120 dias para que não perca sua validade.

Continue acompanhando nosso site para receber essa e demais notícias sobre benefícios sociais do governo.

Fonte: Jornal de Brasília e Outline.

Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário