Sonho da casa própria? Dicas fundamentais para escolher, negociar e comprar!

Sonho da casa própria precisa de planejamento e pesquisa

Se você quer investir na casa própria é importante saber quais critérios levar em consideração na escolha do imóvel e como realizar as negociações de compras.

Casa própria

Ter a casa própria requer a tomada de diversas decisões, bem como o planejamento financeiro a curto, médio e longo prazo.

Publicidade

Publicidade

Entre as principais decisões a serem tomadas na hora de comprar a casa própria estão o tipo de imóvel, as condições de uso, a fase de construção, os possíveis financiamentos e custos.

Pensando em te ajudar a fazer essas escolhas com consciência, separamos algumas dicas para a hora de escolher o imóvel. Veja!

Ambiente

Antes de mais nada é importante pensar em um imóvel que comporte todas as pessoas que vão viver no mesmo ambiente. Sendo assim, é fundamental analisar se a residência é para uma pessoa solteira, para um casal ou uma família maior.

Publicidade

Publicidade

Tendo ciência da quantidade de moradores é hora de definir o tamanho do imóvel, bem como a quantidade de quartos e banheiros. 

Sonho da casa própria precisa de planejamento e pesquisa

Além disso, é importante pensar se a residência será térrea ou com mais de um andar. Se a direção do imóvel deve ser de frente para a rua ou não.

Se a casa precisa de um quintal para os cachorros, de uma varanda para a hora do lazer e ou de uma garagem para comportar um carro ou uma moto.

Enfim, essas e outras características são importantes para que o espaço seja utilizado de forma efetiva.

Segurança

Outro fator crucial na escolha da casa própria é a localização. Sendo assim, é preciso avaliar se a residência é próxima ou distante de pontos importantes como supermercados, farmácias, transportes, escolas e áreas de lazer.

O estado de conservação do imóvel também deve ser levado em consideração, principalmente se já for usado, pois pode haver a necessidade de reformas ou reparos a longo prazo.

Publicidade

Publicidade

No caso de imóveis que estejam na planta ou que foram lançados recentemente é importante avaliar a reputação da construtora para averiguar a credibilidade e segurança do ambiente.

A documentação do imóvel também deve ser observada com cuidado a fim de atestar os termos, condições e características da casa ou apartamento, bem como da própria negociação.

Na hora da compra da casa própria também é importante se atentar ao fato de que impostos municipais podem ser cobrados, como IPTU e condomínio. Sendo assim, os valores devem ser incluídos no planejamento financeiro.

Negociação

Agora que você já sabe quais são as principais características a serem observadas no momento de comprar a casa própria, é hora de saber se vale a pena comprar à vista, financiar ou alugar.

Publicidade

A resposta para isso vai depender de quanto e de como você pensa em investir. O custo com aluguel só vale a pena se os recursos financeiros forem rentabilizados em outras negociações. Caso contrário o dinheiro estará sendo desperdiçado.

Publicidade

No caso de compra à vista ou parcelada é preciso levar em consideração as taxas de juros aplicadas nas duas modalidades no momento da compra. Contudo, o pagamento à vista oferece condições de compra que podem superar a proposta de parcelamento.

Financiamento

Porém, se você pensa em contratar um serviço de empréstimo é importante conhecer as principais instituições que oferecem o serviço, bem como as condições de cada uma. Veja:

Caixa Econômica Federal: financia até 80% do valor do imóvel com taxas que variam entre 2,95% e 9,75% ao ano. O financiamento pode ser pago entre 10 e 35 anos com juros anuais entre 3,35% e 3,99% para, correntistas e não correntistas, respectivamente.

Publicidade

Publicidade

Banco do Brasil: financia até 80% do valor do imóvel com taxa referencial ou de juros a partir de 6,29% ao ano. O prazo de financiamento é de até 30 anos.

Santander: financia até 80% do valor do imóvel e conta com taxas de 6,99% a 10% ao ano com prazo de até 35 anos para pagamento.

Itaú Unibanco: financia até 90% do valor do imóvel e possui taxas de juros entre 5,92% e 6,9% ao ano com financiamento em até 30 anos.

Bradesco: financia até 80% do valor do imóvel sob taxas de juros a partir de 6,7% ao ano com 30 anos para quitar o empréstimo.

Vale lembrar que as condições de financiamento podem ser diferentes para imóveis prontos e imóveis que ainda estão na planta. Por isso, é importante consultar as condições diretamente com os bancos.

Felipe CalboJornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.
Veja mais ›
Fechar