CNH Social DF: inscrições vão até amanhã (25); descubra como participar

Interessados para participar da CNH Social DF só têm até amanhã, dia 25 de maio, para se inscrever. Veja quem pode participar do programa

Durante a pandemia de covid-19, muitos brasileiros perderam seus empregos e não conseguiram se recuperar financeiramente até os dias de hoje. Neste caso, ter uma carteira de motorista é uma possibilidade de conseguir trabalhar, seja na entrega de produtos ou como motorista. Esse é um dos objetivos da CNH Social DF: abrir mais possibilidades para os cidadãos do Distrito Federal. 

Quem quer tirar a Carteira Nacional de Habilitação, adicionar ou alterar alguma categoria, mas não tem condições financeiras para isso, pode aproveitar que as inscrições para o programa Habilitação Social DF estão abertas. Mas é importante correr! Amanhã, 25 de maio, é o prazo final para que os interessados se inscrevam no site do Detran. 

Publicidade

Publicidade

Como funciona a CNH Social DF?

CNH Social DF: inscrições vão até amanhã (25); descubra como participar
Inscrições para a CNH Social DF vão só até amanhã, 25 de maio. (Imagem: Pedro Ventura / Agência Brasília)

A CNH Social DF, também chamada de Habilitação Social DF, possibilita que pessoas de baixa renda, que moram no Distrito Federal, tenham acesso à emissão da carteira de motorista gratuitamente. Além disso, os participantes podem renovar o documento, adicionar ou alterar a categoria dele e fazer a  troca da Permissão para Dirigir pela CNH Definitiva.

O programa conta com três etapas: inscrição, seleção e processo de habilitação. Após o fim do prazo das inscrições, que acaba no dia 25 de maio, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) terão 60 dias para publicar os selecionados de cada órgão no site do Detran.

Quem for aceito para participar do programa precisará ficar atento aos prazos das próximas etapas:

Publicidade

Publicidade

  • Os candidatos selecionados e classificados terão 30 dias para agendar a coleta biométrica e abrir o Registro Nacional de Condutor Habilitado (Renach);
  • O beneficiário terá 40 dias para realizar os exames médicos e psicológicos;
  • Em seguida, eles terão 30 dias para se matricular em um dos Centros de Formação de Condutores (autoescolas), credenciados pelo Detran;

O não cumprimento dos prazos leva à desclassificação dos candidatos, assim como o abandono do processo de habilitação e a não conclusão das taxas e testes em até 12 meses. 

Quantas vagas estão disponíveis para a CNH Social DF?

Neste ano, cinco mil vagas foram abertas para a CNH Social DF, mas a concorrência é alta. Até o dia 17 de maio, mais de 20 mil pessoas já tinham se inscrito no programa. O número total de vagas é dividido da seguinte forma:

  • 60% para obtenção da primeira Carteira Nacional de Habilitação – CNH A ou B;
  • 10% para adição das categorias A ou B;
  • 10%para alteração para as categorias C, D ou E;
  • 10% para renovação da CNH;
  • 10% para a CNH definitiva.

Elas também são separadas em duas modalidades: 

  • Estudante Habilitado (total de 1,5 mil vagas): 300 vagas para beneficiários de programas sociais assistidos pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), 300 para assistidos pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) e 900 vagas para o Detran;
  • Cidadão Habilitado (total de 3,5 mil vagas): 700 vagas para pessoas atendidas pela Sedes, 700 vagas para quem participa dos programas da Sejus e 2.100 para interessados na Formação Profissional do Detran. 

Quem pode participar do programa?

Os requisitos gerais para participar da CNH Social DF são:

  • Estar inscrito no CadÚnico ou ter feito a inscrição até o dia 12 de fevereiro;
  • Morar no Distrito Federal há pelo menos dois anos;
  • Não estar  judicialmente impedido de possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
  • Saber ler e escrever;
  • Ter mais de 18 anos;
  • Não ter sofrido, nos últimos 12 meses, penalidades decorrentes de infrações de trânsito de natureza grave ou gravíssima ou não seja reincidente em infração média;
  • Pessoas atendidas pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes);
  • Cidadãos atendidos pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), como negros, indígenas, pessoas trans, idosos, vítimas de violência e egressos dos Sistema Socioeducativo maiores de 18 anos.

Quem quiser entrar no programa pela modalidade estudantil precisa ter entre 18 e 25 anos, estar inscrito no Enem deste ano ou ter feito o exame no ano passado e ter concluído o Ensino Médio, ou estar cursando o terceiro ano. 

 

Formada em Jornalismo pela PUCPR. Atualmente está cursando Pós Graduação em Questão Social e Direitos Humanos na mesma instituição de ensino. Tem paixão por informar as pessoas e acredita que a comunicação é uma ferramenta que pode mudar o mundo!
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário