Como bloquear Pix? Saiba como funciona novo recurso de segurança

O Banco Central poderá bloquear Pix suspeito de fraude por 72 horas a partir de 16 de novembro. A medida foi divulgada em coletiva de imprensa, nesta terça-feira (28), com adesão de todas as instituições financeiras participantes do sistema de transferências instantâneas.

O novo recurso permitirá que os bancos analisem de forma detalhada as possíveis fraudes. De acordo com o BC, a funcionalidade aumentará as chances de os usuários pagadores que foram vítimas de algum crime recuperarem os valores perdidos.

Publicidade

Publicidade

A partir de 16 de novembro, as instituições financeiras irão notificar os clientes sobre a ativação do mecanismo. A chave Pix suspeita, além de bloqueada por 72 horas, ficará marcada pelo Banco Central para constante monitoramento.

O BC compartilhará as informações sobre as chaves suspeitas com os demais bancos sempre que houver uma consulta garantindo mais subsídios aos mecanismos de prevenção a fraudes.

bloquear pix suspeito
Foto: Thiago Prudencio/SOPA Images/LightRocket/Getty Images/Reprodução

Como bloquear Pix suspeito?

O bloqueio antifraude do Pix será realizado pelas instituições financeiras, com o respaldo do Banco Central. Ao perceber movimentações suspeitas, o banco poderá realizar o bloqueio por até 72 horas da conta suspeita.

Publicidade

Publicidade

Devido ao crescimento dos golpes utilizando o Pix, é muito importante que os usuários saibam quais passos tomar após o ocorrido. Então, se você foi vítima de uma fraude, notifique imediatamente o banco para que sejam adotadas as medidas de segurança cabíveis, como bloqueio do aplicativo, da senha de acesso e da chave suspeita.

Atualmente, a medida antifraude é facultativa, mas a partir de 16 de novembro, todas as chaves que estejam realizando movimentações suspeitas serão bloqueadas para que o Banco Central realize uma investigação minuciosa.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) mantém uma estreita parceria com governos, polícias (Civil, Militar e Federal) e com o Poder Judiciário no combate à criminalidade. Com esta rede estabelecida, as instituições fornecem dados e informações às autoridades, para que possam agir na identificação dos responsáveis pelos crimes envolvendo transações bancárias.

Dicas para se prevenir de golpes no Pix

O Pix chegou para trazer mais agilidade às transações bancárias no dia a dia. Mas apesar da facilidade, é preciso ficar de olhos bem abertos, pois muitos criminosos estão surfando na onda do sistema para aplicar golpes nos usuários.

Mas existem alguns cuidados básicos que podem te proteger de cair em armadilhas virtuais. Confira a lista abaixo:

  1. Os links são o principal meio que os criminosos utilizam para obter informações pessoas e bancárias, com o objetivo de aplicar golpes. Portanto, não clique em nenhum link recebido por WhatsApp, e-mail ou SMS.
  2. Não utilize wi-fi público para realizar transferências bancárias. Você corre o risco de comprometer sua conta, já que pode haver algum vírus instalado. Sempre opte pelo seu próprio pacote de dados para realizar qualquer transação;
  3. Nunca passe a senha do aplicativo do seu banco para ninguém, nem mesmo para amigos ou familiares. A informação pode ser vazada e você fica exposto a invasão no app do seu banco;
  4. Fique atento aos pagamentos por aproximação, pois algumas maquininhas podem ter sofrido alterações para roubar seus dados. É importante prestar atenção na hora de realizar pagamentos por aplicativos de delivery. Sempre opte por pagar com um cartão já cadastrado;
  5. Não aceite pedidos de Pix que chegam pelo WhatsApp de números conhecidos, como de amigos ou parentes. Isso porque a clonagem de contas do WhatsApp também está crescendo, com o objetivo de roubar contas bancárias. O ideal é confirmar pessoalmente com a pessoa que pediu o Pix para saber se a solicitação é verdade ou um golpe. Nunca transfira no automático!
  6. Os QR Codes falsos são outro risco aos usuários do Pix. A prática é realizada por falsos vendedores que emitem um QR Code enganoso para roubar o dinheiro do consumidor. Sempre confira se o destinatário e o valor estão corretos antes de confirmar a operação.

Agora que você já sabe como se prevenir de golpes no WhatsApp, continue atento e alerte os amigos e familiares para que não caiam em armadilhas de criminosos virtuais.

Jornalista formada pela Universidade Luterana do Brasil de Canoas/RS. Repórter, apresentadora, roteirista e redatora, com experiência em rádio, televisão e online.
FacebookInstagramLinkedinWikipédia

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário