Auxílio Emergencial: Orientações e dicas para sobreviver com o valor do benefício

A pandemia de COVID-19 deixou muitas pessoas preocupadas. Mas, ao contrário do que muitos pensam, a doença não é a única responsável, já que ela acarretou uma grave crise financeira.

No entanto, para ajudar a população, o Governo Federal lançou o auxílio emergencial e esse benefício foi como uma pequena luz no fim do túnel para muitas pessoas.

Publicidade

Publicidade

homem com cédulas de dinheiro nas mãos
É preciso ter sabedoria para usar o auxílio emergencial

Auxílio emergencial considera um grupo amplo de pessoas

O benefício é organizado para ser distribuído para um grupo amplo de trabalhadores autônomos, informais e com renda intermitente inativo, aqueles que têm vínculo de trabalho, mas que não estão trabalhando devido à falta de demanda.

Novo valor é anunciado

O Governo Federal anunciou que o menor a ser pago seria R$ 175,00. No entanto, ficou acertado que a menor parcela seria de R$ 150,00, o valor médio de R$ 250, mas que pode chegar a R$ 375,00.

Vale saber que estão na lista para receber o público do Bolsa Família, os inscritos no Cadastro Único e os trabalhadores informais.

Publicidade

Publicidade

Como usar o auxílio emergencial?

Para muitas pessoas, o auxílio emergencial é visto como uma salvação, mas é preciso saber usar o valor para não causar ainda mais prejuízos.

É importante evitar gastar de forma aleatória e priorizar o momento que estamos vivendo. Isso porque, no ano passado, quando o Governo Federal liberou o valor, muitas pessoas gastaram de forma errada.

Sair pagando as contas, desesperadamente, com o auxílio emergencial pode não ser uma boa ideia neste momento. Por isso, é importante avaliar as decisões, já que estamos vivendo dias delicados.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), Reinaldo Domingos, em entrevista para o site nd+, existem contas que podem ser postergadas, como água e energia, em muitos munícipios.

Ele lembrou também que algumas contas devem ser repensadas e renegociadas, como os aluguéis.

“Pontos como TV a Cabo, streaming, dentre outros devem ser eliminados, excessos também. Precisamos rever nossa vida totalmente, por mais que seja por apenas três meses. É preciso comprar apenas o estritamente necessário, nunca foi tão importante evitar desperdícios. Repensar costumes e vícios”, explica.

Apesar de o valor do auxílio emergencial não ser muito, como o presidente da ABEFIN colocou, é preciso ter planejamento e organização para conseguir sobreviver com a quantia.

Publicidade

Publicidade

Para isso, é preciso se adequar. “Uma importante orientação é que, por mais que possa parecer difícil, tudo vai passar”, citou.

Dicas para usar o auxílio emergencial

Quem está nesta situação, precisa pensar, em um primeiro momento, em suas necessidades básicas em relação às despesas.

Por isso, para o site ND+, Paulo Ucelli, da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, deixou algumas orientações para serem consideradas:

  • Reúna a família (as pessoas que moram com você) e pensem em soluções conjuntas de redução;
  • Foque na alimentação básica sem luxo. Opte pelos produtos básicos, com custos menores. Agora não é hora de pensar em marcas caras;
  • Se possível, tenha uma reserva financeira para casos urgentes;
  • Avalia possibilidade de pagar água, luz e gás em outro momento. Em muitos lugares, eles não serão cortados em função da crise;
  • Avalie suspender pacotes de Tvs a cabo e reduzir telefone e internet. Em muitos casos, esses itens são usados para trabalho, então veja se é possível;
  • Comprar roupas e acessórios pode não ser útil nesse momento. Valorize o que já tem;
  • Busque por atividades que não envolvam custos, como cursos de capacitação gratuitos;
  • Compre só o essencial;
  • Busque por produtos em casa que possam ser vendidos
  • Aprimore suas atividades para ter uma renda melhor;
  • Busque linhas de apoio do governo, caso trabalhe informal ou tenha uma pequena/ microempresa;
  • Busque por renda extra, mesmo estando dentro de casa.

Sabemos que é difícil, mas tente não desanimar nesses momentos. Lembre-se que muitas pessoas estão passando por situações difíceis.

Publicidade

Buscar alternativas para mudar esta situação é uma ótima ideia e a internet está cheia de dicas que podem auxiliar durante a pandemia.

Publicidade

Fonte: ND+

Bruna Santos
Jornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
FacebookInstagramLinkedinWikipédia

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário