Em jogo pobre no Arruda, Santa Cruz fica no 0 a 0 com o Inter, mas dorme no G4

0
O placar em branco foi o reflexo de um jogo com pouca qualidade e quase nenhuma emoção. Na tarde deste sábado, o estádio do Arruda recebeu um bom público, mas o Santa Cruz não saiu do 0 a 0 diante do Internacional. Comandado pelo interino Adriano Teixeira, que ainda está sob avaliação da diretoria, o Tricolor não repetiu o futebol ofensivo do segundo tempo da vitória fora de casa sobre o Ceará, na rodada passada. Como álibi, pelo menos a Cobral Coral termina o dia no G4 da Série B.
Castigado pelas chuvas, o gramado do Arruda também não contribuiu para um futebol mais rico. Ambos os times sofriam para acertar passes, ora atrapalhados pelas poças de lama, ora pela própria deficiência dos seus jogadores. Nenhuma das equipes criava muitas jogadas de perigo. Chutes à longa distância e lançamentos viraram uma constante no jogo.
Apesar da pobreza técnica, o Santa foi quem tomou a iniciativa de atacar. O Inter começou a responder só após os 20 minutos do primeiro tempo. Desfalcado de quatro titulares, entre eles o meia argentino D’Alessandro, o Colorado era uma equipe para lá de comum.
Pouco ajustado defensivamente, o Inter permitiu que o Tricolor tivesse as melhores oportunidades de abrir o placar na etapa inicial. Em jogada característica, Bruno Paulo puxou para a direita e bateu colocado. A bola passou rente à trave de Danilo Fernandes. Depois, Halef Pitbull obrigou o goleiro a fazer grande defesa em arremate de canhota.
O segundo tempo começou na mesma marcha do primeiro. O Santa persistia nas jogadas com Bruno Paulo pelo lado esquerdo e ainda em alguns lampejos de técnica de Léo Lima, que caiu de rendimento e não demorou para ser substituído por Augusto. O time do Rio Grande do Sul era ainda menos criativo. A chuva que começara a cair deixou o piso ainda mais ensopado e a partida ainda mais amarrada.

A entrada de Augusto chegou a empolgar a torcida do Santa Cruz. Mas quem ficou mais perto do gol foi o Inter, a partir de uma cobrança de falta de Diego. A equipe colorada, porém, não se esforçava muito para atacar. Aparentava satisfação com o empate longe do Beira-Rio. Começou a fazer “cera”, inclusive. O resultado parecia também de bom tamanho para a Cobra Coral. Adriano acionou dois volantes – Kelvy e Wellington Cézar. O Tricolor não se soltou até o apito final.

Ficha do jogo

Santa Cruz
Julio Cesar; Nininho, Jaime, Bruno Silva e Roberto; Elicarlos, Thiago Primão (Wellington Cézar), Léo Lima (Augusto), André Luís (Kelvy) e Bruno Paulo; Halef Pitbull. Técnico: Adriano Teixeira (interino).
Internacional
Danilo Fernandes; Junio, Klaus, Ernando (Léo Ortiz) e Carlinhos; Rodrigo Dourado, Edenílson, Uendel; Eduardo Sasha (Juan), Marcelo Cirino e Nico López (Diego). Técnico: Guto Ferreira.
Estádio: Arruda (Recife-PE). Árbitro: Rodrigo Alonso Ferreira (SC). Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP). Cartões amarelos: Nininho (Santa Cruz); Ernando, Léo Ortiz e Junio (Internacional). Público: 25.356. Renda: R$ 227.927,50.
Do Superesportes

Comentários