Empréstimo pessoal: Bancos que cobram as maiores e menores taxas de juros nessa modalidade

Modalidade de crédito atinge média de 6,10% ao mês de acordo com o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo.

Conheça as propostas de contratação disponíveis no mercado e compare as vantagens e desvantagens.

Empréstimo

Os empréstimos são recursos financeiros concedidos por instituições bancárias, fintechs e cooperativas de crédito.

O serviço é solicitado de acordo com a necessidade e o perfil de cada pessoa, mas só é concedido após uma análise de crédito.

mãos segurando um saco com o símbolo do cifrão
Empréstimo pessoal e consignado pode ser a melhor opção no mercado

Depois de aprovado o valor é depositado na conta-corrente do solicitante e passa a ser cobrado de acordo com o prazo e o valor definido em contrato.

Atualmente, existem diversos modelos de empréstimo pessoal disponíveis no mercado financeiro, entre eles estão o empréstimo consignado e o empréstimo pessoal.

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é uma espécie de crédito pessoal, mas é comumente oferecido aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social, pois é cobrado diretamente na folha de pagamento do segurado.

Pela segurança financeira durante a cobrança, o benefício é concedido com facilidade, podendo ser solicitado por aplicativo bancário, além de oferecer taxas reduzidas se comparado ao mercado de crédito.

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal é fornecido por instituições financeiras de acordo com as políticas do credor, especialmente a análise de crédito, um procedimento que atua como garantia de que o cliente é um bom pagador.

No entanto, as taxas aplicadas para o empréstimo pessoal podem ser maiores em comparação com outras modalidades.

Taxas

Apesar de as taxas variarem de acordo com a modalidade de empréstimo, a taxa básica econômica de elevação e redução de juros, a Selic, determina uma média de valores.

No momento, a taxa Selic está em alta e, por isso, os tradicionais bancos aumentaram a taxa média do empréstimo pessoal. 

Em comparação com março, o mês de abril registrou as maiores taxas de acordo com dados apurados na Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Itaú, Santander, Bradesco e Banco Safra pelo Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo.

Dados também apontam que Caixa Econômica cobra a menor tarifa para a mesma modalidade de crédito enquanto o Santander aplica a maior taxa.

Confira a tabela com os valores atuais de taxas mensais dos bancos tradicionais:

  • Santander: 7,89%;
  • Bradesco: 7,22%;
  • Itaú: 5,97%;
  • Safra: 5,90%;
  • Banco do Brasil: 5,73%;
  • Caixa Econômica: 3,89%.

Entre os bancos analisados a taxa média para o empréstimo pessoal foi de 6,10% ao mês. De acordo com os registros, houve um acréscimo de 0,02 ponto percentual em comparação com o último mês que foi de 6,08%. 

As alterações foram de 7,16% para 7,22% no Bradesco, ou seja, houve uma variação positiva de 0,84%.

Já o Itaú teve uma variação positiva de 1,02%, pois ampliou a taxa de 5,91% para 5,97% e as outras instituições mantiveram as porcentagens.

Planejamento financeiro

De modo geral, independente dos valores e variações de taxas sobre os empréstimos, é fundamental realizar um planejamento financeiro antes de solicitar o serviço de crédito às instituições bancárias, fintechs ou cooperativas.

A etapa mais importante é conhecer as reais necessidades das rendas já existentes, bem como garantir a redução e o corte de custos com outros serviços.

Depois é fundamental organizar a aplicação e o pagamento do recurso solicitado a curto, médio e longo prazo para saber como proceder.

Não solicitar mais do que você pode pagar é crucial para que não ocorra endividamento e a cobrança de juros sobre o valor emprestado.

Além disso, é fundamental saber em quanto tempo você consegue pagar sem comprometer sua renda.

Motivações

Geralmente os empréstimos são solicitados para quitar dívidas com juros maiores ou para garantir a realização de um sonho, como a compra da casa própria, por exemplo.

No entanto, durante a pandemia do novo coronavírus, um levantamento realizado por empresas de tecnologia financeira identificou o aumento do empréstimo pessoal para a abertura de negócios próprios.

Novos negócios

De acordo com os dados, as novas empresas cresceram 33% no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período em 2020.

Um dos principais fatores para o aumento dos pedidos de crédito foi o desemprego causado pela Covid-19. As pessoas identificaram necessidades e oportunidades de negócio e resolveram investir.

Contudo, independente das motivações é fundamental se organizar para solicitar um empréstimo pessoal, principalmente para escolher o credor certo e a taxa adequada para o orçamento disponível.

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.
Linkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário