Falta de peças na indústria aumenta preço dos carros, TVs e outros produtos

No Brasil, o valor de alguns itens de consumo costumam ser mais caros do que o esperado, como é o caso de televisores, carros, computadores e em sua maioria, itens de tecnologia.

Isso acontece principalmente porque o Brasil costuma importar esses produtos ao invés de ser o produtor dos mesmos, o que encarece e muito a venda em território nacional.

Publicidade

Publicidade

Mas, você sabia que ultimamente esses valores estão mais altos do que o esperado? Veja abaixo o porque isso está acontecendo, quais são as principais causas e tudo que necessita para se manter informado.

Falta de peças na indústria aumenta preço dos carros, TVs e outros produtos

Falta de peças na indústria aumenta preço dos carros, TVs e outros produtos
Falta de peças na indústria aumenta preço dos carros, TVs e outros produtos. Fonte: Reprodução/IG.

Os problemas causados no processo de fornecimento de matérias primas e de vários de seus componentes, estão fazendo com que vários fabricantes dos mesmos, sejam de TV, videogames, carros e até mesmo materiais hospitalares, estejam procurando novas formas de se adaptarem a esta realidade.

Sem a distribuição comum das peças, muitos estão traçando novos calendários de lançamento, realizando a estocagem de peças e modificando a forma de produção.

Publicidade

Publicidade

Como já citado anteriormente, os insumos, além de demorarem um tempo a mais para chegaram em nosso país, tem vindo com preços cada vez mais caros, o que encarece cada vez mais o valor final do mesmo.

Durante a última verificação da CNI – Confederação Nacional da Indústria -, mais de 60% das empresas que foram entrevistadas, disseram que essa falta de itens e também a alta dos produtos são os problemas mais recorrentes.

Com a diminuição da oferta dos componentes, os custos tem crescido cada vez mais, principalmente para o consumidor final.

No tempo de um ano, o IPP – Índice de Preços ao Produtor -, que é do IBGE teve uma grande alta de 35%, o que já interfere diretamente no bolso do possível comprador.

Um dos maiores exemplos são as TVs e videogames, que tiveram um aumento de 14,4% e de 11,5%.

Desde último trimestre do ano passado, as sondagens vêm mostrando estoques abaixo do planejado. É um indicador de vulnerabilidade frente a qualquer demanda pontual inesperada. É um sintoma dessa situação. — destacou Rafael Cagnin, que é economista do Instituto de Estudos para o desenvolvimento industrial (Iedi).

Mesmo com a pouca quantidade de matéria prima em suas diferentes origens, a principal questão dos semicondutores é a que mais causa alarde no momento. Entenda melhor abaixo.

Falta de peças impacta montadoras de veículos

Publicidade

Publicidade

Com essa falta no mercado de semicondutores, o setor automotivo está parado ou com uma interrupção momentânea na produção dos veículos, o que tem um “efeito cascata” no aumento dos preços dos veículos.

Essa situação, conforme dados estimados pela própria Renault, podem ficar cada vez mais piores durante o segundo semestre, visto que a previsão para a normalidade da distribuição dos suprimentos é apenas para depois de junho.

Nossa estimativa mais recente, que leva em conta uma recuperação da produção no segundo semestre, aponta para um risco da ordem de 100.000 veículos em todo o mundo”, informou a Renault , por meio de nota.

É importante destacar que a montadora afirmou que até o momento, ainda não sofreu com demais impactos causados por essa escassez.

A General Motors e a Honda, já deixaram claro na semana passada, que estão fazendo a interrupção da linha de montagem e também acionando as férias coletivas novamente para seus funcionários responsáveis por essa área.

Publicidade

A Volvo não fez a suspensão da produção, porém, disse que precisou realizar algumas paradas pontuais até o momento.

Publicidade

Esse problema da falta de matéria prima para a produção de carros, é gerado pela pandemia do coronavírus, visto que a China, que é a principal produtora desses itens, teve maior foco para o mercado interno, além de para regiões e segmentos econômicos que possuem maior poder de compra.

O setor automotivo, portanto, acabou perdendo uma grande parcela nessa mudança, principalmente para outras categorias como celulares, monitores e jogos online, por exemplo.

Para a indústria automotiva, os semicondutores e seus derivados possuem alguns valores agregados menores do que aqueles de celulares e demais eletrônicos.

Publicidade

Publicidade

Em tempos de escassez, as demais indústrias que estão pagando por essa matéria prima, estão sendo prioridade e a indústria automotiva segue em segundo plano.

As montadores, principalmente aquelas que possuem um planejamento de produção, terem que parar sua linha de fabricação, é um sinal negativo para a economia, visto que em curto prazo, há grandes chances que os veículos tenham um aumento considerável de valor, principalmente com uma demanda enfraquecida.

Fonte: Globo e IG.

Avatar
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário