Feirão da Caixa tem oportunidade de financiamento de imóveis sem entrada

Quem está esperando uma boa oportunidade para adquirir a casa própria, chegou a hora: a Caixa vai lançar o 1º Feirão Digital da Casa Própria entre os dias 25 de junho e 4 de julho. Essa será a primeira linha de financiamento imobiliário sem entrada.

Essa nova modalidade da Caixa, que cobrirá todo o valor do imóvel, estará disponível apenas para os seis mil que foram retomados e estarão à venda no feirão.

Caixa realiza financiamento sem entrada
Caixa realiza financiamento sem entrada

É importante saber que o financiamento terá taxas a partir de TR mais 2,5% ao ano, somadas à remuneração da poupança. Essa é a menor taxa cobrada pela instituição financeira.

Saiba que hoje, a poupança está rendendo 70% da Selic, o que equivale a 2,45% ao ano, e a TR está zerada. Isso significa que os juros finais serão de 4,95% ao ano.

Financiamento pelo SBPE

Saiba que o Banco Central limita o financiamento pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) em 90% do valor da avaliação do imóvel, mas como as casas e os apartamentos são retomados, o banco consegue financiar o preço total de venda.

Além taxa mais baixa, os consumidores que comprarem os imóveis recuperados terão vantagens, como carência de seis meses para pagar a primeira parcela e tarifas reduzidas.

Em fevereiro, quando a instituição lançou sua primeira linha de financiamento imobiliário atrelada à poupança, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, já havia adiantado que haveria novidades no valor da entrada dos imóveis. Isso porque é necessária uma entrada de pelo menos 20% nas modalidades já existentes.

Linhas de financiamento imobiliário

Atualmente, a Caixa trabalha com quatro linhas de financiamento imobiliário. A mais recente tem juros a partir da TR + 3,35% a 3,99% ao ano, acrescidos da remuneração da poupança, o que significa uma taxa final de 5,8% ou 6,44%.

De acordo com o presidente da instituição financeira, essa modalidade já responde por mais de 40% das contratações imobiliárias da Caixa que utilizam os recursos do SBPE.

Entre as outras opções estão TR +7% ou 8% ao ano, uma linha com juros fixos entre 8,25% e 9,75% ao ano e a linha atrelada ao IPCA, com IPCA + 3,55% ou 4,95% ao ano.

Com o índice a 5,44%, atualmente corresponde a uma taxa final de 8,99% ou 10,39%.

Durante uma transmissão ao vivo na última segunda-feira (07), Guimarães adiantou que essa linha de financiamento sem entrada vai substituir os leilões de imóveis recuperados.

Além disso, ele afirmou que essa linha de financiamento não deve ficar restrita aos imóveis retomados, mas ainda não apresentou detalhes sobre os novos planos da Caixa.

Estamos começando com o feirão, mas vai ser a modalidade que nós pretendemos usar nos imóveis retomados, e não só neles, em breve teremos outras iniciativas na mesma linha”, contou.

Vale saber que além dos seis mil imóveis retomados, o feirão virtual terá mais 180 mil imóveis, de mais de 600 construtoras, com as linhas já estabelecidas de financiamento.

Como financiar a casa própria?

O financiamento é realizado pelos bancos, que pagam ao vendedor do imóvel a quantia que quem compra quer pagar. A partir daí, o comprador deve pagar o banco que quitou sua dívida.

Vale saber que nesse período, o imóvel fica ligado à pessoa que fez a compra, mas não pode ser negociado enquanto a dívida com o banco não é paga.

Depois que o futuro comprador escolher o imóvel, ele deve buscar por uma agência bancária, normalmente de sua escolha, para conversar com um gerente e iniciar as etapas que permitirão a liberação de dinheiro, o crédito.

Nesse primeiro momento, serão solicitados documentos pessoais das pessoas que desejam adquirir o financiamento, além de documentos que comprovem sua renda, como holerites, extratos bancários e declaração de Imposto de Renda.

Autônomos também podem fazer financiamento através da comprovação de renda por meio do contrato de prestação de serviço, declaração do Imposto de Renda, declaração do sindicato da categoria, recibo de recebimento por trabalhos prestados ou uma Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos (Decore), feita por contador.

É importante se informar no banco de sua escolha sobre o tempo de aprovação, quais financiamentos estão disponíveis e como a avaliação com um profissional será feita.

Fonte: Folha de São Paulo

Bruna Santos
Jornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
FacebookInstagramLinkedinWikipédia

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário