Feirão de Imóveis da Caixa chegou ao fim: confira outras oportunidades de financiar a casa própria

O Primeiro Feirão Digital da Casa Própria da Caixa Econômica Federal chegou ao fim nesse domingo (04/07). 

O evento ofereceu um total de 180 mil imóveis novos em condições especiais de financiamento. Essa foi a primeira edição online do feirão, que é normalmente realizado presencialmente. 

Publicidade

Publicidade

Na plataforma utilizada pelo banco, foi possível consultar informações sobre os imóveis, escolher o imóvel, realizar uma simulação de financiamento habitacional e ser atendido por um correspondente Caixa Aqui ou incorporadores imobiliários via chat. 

Mas agora que o feirão acabou, como comprar a casa própria com as melhores condições? Veja aqui! 

Feirão de Imóveis da Caixa chegou ao fim: confira outras oportunidades de financiar a casa própria
Feirão de Imóveis da Caixa chegou ao fim: confira outras oportunidades de financiar a casa própria.

Feirão de imóveis da Caixa acabou, e agora? 

Agora que o Feirão de imóveis da Caixa acabou, é preciso buscar outras opções. 

Publicidade

Publicidade

Segundo a presidente da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), Cristiane Portella, quem não teve o orçamento afetado pela pandemia, tem boas oportunidades para financiamento esse ano: 

Como é uma decisão de médio e longo prazo, as pessoas acabaram seguindo com o seu plano – comenta. 

Segundo o professor de MBAs da FGV, Sérgio Cano, como os preços dos imóveis ainda não se recuperaram, é um bom momento para compra:

Eu diria que é o melhor momento. Eu estou nesse negócio de mercado imobiliário há mais de 30 anos e diria que nunca vi um momento tão favorável para obter um financiamento como esse que estamos vendo agora, afirma Cano.

Sendo assim, qual a melhor opção para o momento? 

A resposta não é tão simples assim. Segundo Portella e Cano, a decisão varia de acordo com o perfil do consumidor. 

Isso porque as principais modalidades de financiamento são atreladas ao IPCA (inflação oficial), ao rendimento da poupança, à TR (taxa referencial) ou apenas a uma taxa prefixada. Veja: 

IPCA: Quando atrelado ao IPCA, as primeiras parcelas do financiamento começam menores e vão aumentando ao longo do tempo. 

Publicidade

Publicidade

Rendimentos da poupança: Nessa modalidade, a taxa de juros começa em 3,99% mais o rendimento da poupança. Com a Selic a 4,25% ao ano, o rendimento está em 2,97% ao ano. Apesar de variar junto a Selic, este financiamento possui um teto para que as parcelas não extrapolem o poder de compra do consumidor. 

Taxa prefixada corrigida pela TR: Aqui, o consumidor contrata um financiamento com uma taxa pré-determinada e ela vale por todo o contrato, porém com correção da TR (taxa referencial), que atualmente está zerada. Esta é uma escolha que traz mais segurança àqueles que querem saber, com poucas oscilações, o valor que irá pagar. 

Vale ressaltar que a TR só começa a ser cobrada quando a inflação atinge dois dígitos e não há expectativa de que isso aconteça tão cedo.

Taxa prefixada: Essa é outra opção “segura”. Nela, o consumidor sabe exatamente o valor que vai pagar de financiamento do começo ao fim, já que o contrato não está atrelado a nenhum indicador financeiro, como a Selic ou IPCA.

Publicidade

Segundo Cano, o risco é mínimo para quem escolhe a modalidade ligada a taxa prefixada, pequeno para quem opta pela variação da TR, médio para variação da poupança e maior para contratos atrelados ao IPCA.

Publicidade

Porém, é importante saber que o financiamento atrelado ao IPCA é considerado mais arriscado, devido às incertezas da economia brasileira.

Se o IPCA não descolar no período do financiamento, pode ser uma excelente opção. Tem um componente de risco do IPCA, mas a pessoa tem que ponderar. O ideal é que tenha condição de fazer uma amortização se o IPCA subir demais, diz Portella.

Este texto foi baseado nas informações e entrevistas do Portal 6 minutos

Amanda Lino
Jornalista com mais de 8 anos de experiência. Trabalhou como redatora, repórter e produtora na emissora Nossa Rádio FM e produtora na Metropolitana AM, depois foi diretora-geral do conhecido podcast Mamilos, passou por algumas agências de São Paulo e Rio de Janeiro e agora, além de colaboradora da WebGo Content, é Copy Content na In House da divisão agrícola da Bayer e Host/Criadora do podcast "Me Empresta Seus Óculos".
InstagramLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário