Governo de São Paulo vai distribuir absorventes íntimos nas escolas estaduais

Durante coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (14), o governador de São Paulo, João Dória, anunciou o investimento de R$ 30 milhões no programa Dignidade Íntima, que prevê a distribuição de absorventes nas escolas públicas estaduais. 

A iniciativa levou em consideração diversos dados que apontam alto índice de ausência escolar entre as meninas durante o período menstrual, devido à falta de recursos para compra de absorvente. Alguns desses dados estão pautados no Projeto de Lei da deputada federal Tabata Amaral, que também esteve presente no evento de divulgação do programa. 

Publicidade

Publicidade

O valor destinado à compra de absorventes foi aplicado junto ao Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Com isso, espera-se que seja mais fácil identificar as jovens que estão na situação de vulnerabilidade social, em fase menstrual, para realizar a entrega do produto. 

absorventes de graça em escolas de SP
Alunas devem receber absorventes sem sofrer exposição. | Fonte: Google Imagens

O governo de São Paulo informou que o novo programa, Dignidade Íntima, deve ter grande alcance e impacto social. Cerca de 1,3 milhão de meninas com idade entre 10 e 18 anos devem ser beneficiadas a partir da distribuição gratuita de absorventes nas escolas públicas estaduais. 

Dentro desse número, foi constatado ainda que mais de 500 mil possuem registro no Cadastro Único do Governo Federal para Programas Sociais (CadÚnico) – outro indicador de que elas estão em situação de pobreza ou extrema pobreza.  

Publicidade

Publicidade

Ausência escolar durante o período menstrual 

O levantamento feito pela Organização das Nações Unidas (ONU) acerca do tema aponta que uma em cada dez meninas passa por dificuldades financeiras durante o período escolar e, por conseguinte, não têm acesso a absorventes descartáveis. Em relação ao Brasil, os dados são ainda piores: uma a cada quatro garotas vivem nessa situação, também chamada de “pobreza menstrual”. 

O secretário de estado da Educação, Rossieli Soares, explicou que a implementação do programa deve prevenir a ausência escolar. “As alunas perdem até 45 dias de aula por causa do período menstrual. É um tema que precisa ser tratado com todo o cuidado para que essas alunas não sejam expostas”, disse. 

Para a ONU, os produtos de higiene pessoal necessários para os dias de menstruação devem ser tratados como forma de preservação à saúde pública e direito humano. No ano passado, o parlamento escocês deu exemplo ao mundo ao se tornar o primeiro país que distribuí absorventes e tampões sem custo para toda a população feminina. 

Saiba como absorventes serão entregues 

A partir do mês que vem, o governo de São Paulo estará enviando equipes para orientar os educadores nas escolas sobre como executar a entrega dos absorventes. Esta preparação visa gerar um protocolo de atendimento humanizado, que não viole a intimidade das meninas e não cause constrangimentos, visto que para muitos a menstruação ainda é um tabu. 

Por fim, saiba que não será preciso realizar nenhum tipo de cadastro para ter acesso aos absorventes descartáveis gratuitos, pois a diretoria de cada escola ficará responsável por identificar as alunas em situação de vulnerabilidade social.  

Assuntos que podem te interessar:

Uma jornalista de 23 anos, nascida e criada no quadradinho. Encantada por literatura e todas as formas de comunicação. Antes de atuar como redatora, participei dos programas de estágio do Ministério da Justiça, da Defensoria Pública do Distrito Federal e da Câmara dos Deputados. Atualmente, ocupo o papel de estudante, mais uma vez, fazendo especialização em Comunicação Organizacional e Estratégias Digitais no Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB).
Linkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário