Imposto de Renda 2021: Fiscais da Receita Federal estão de olho em suas redes sociais!

O que você anda postando nas suas redes sociais? Você tem o costume de publicar suas viagens e bens adquiridos? Então é bom se atentar: o “leão” está de olho em tudo que você posta!

O prazo para a realização do Imposto de Renda 2021 terá início na próxima semana, mas é preciso lembrar que os contribuintes devem ter sua atenção redobrada para evitar transtornos com a Receita Federal.

Publicidade

Publicidade

O órgão está de olho nas ostentações nas redes sociais e o risco de ser pego pelo leão é grande. Vale lembrar que não é proibido ostentar, mas é preciso que a declaração relate a realidade do contribuinte.

 

Por isso, se você tem o costume de postar seu padrão de vida elevado, com viagens para todos os lugares, veículos caros, casarões de luxo e roupa de marca, mas não declara todas essas coisas no Imposto de Renda, você pode cair na malha fina!

Publicidade

Publicidade

Como esta checagem ocorre?

O presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro (CRCRJ), Samir Mehme, revela que a maioria das pessoas não imagina que este tipo de checagem acontece.

Para que esta atividade seja realizada, o presidente do Conselho afirma que os fiscais da Receita Federal cruzam as informações dos bens declarados no Imposto de Renda com as postagens nas redes sociais.

“Se elas demonstram uma vida de luxo que não condiz com o que foi declarado, o contribuinte cai na malha fina”, explica Nehme.

De acordo com o especialista, a checagem é feita no momento em que as informações enviadas pelos contribuintes, através da declaração, são processadas por supercomputadores, responsáveis por cruzar os dados com operações de cartão de crédito ou imobiliárias e movimentações financeiras, e apontar as contradições que possam haver.

Como os perfis das redes sociais são escolhidos?

É preciso saber que a escolha não é feita de maneira aleatória.

O sistema acusa casos com possíveis inconsistências e os fiscais da Receita Federal comparam as informações declaradas pelo contribuinte e suas postagens nas redes sociais.

O presidente do Conselho lembra que como o brasileiro costuma postar tudo nas redes sociais, não é difícil reconhecer quando a declaração não condiz com a realidade.

Publicidade

Publicidade

No entanto, apesar de ainda termos poucas informações sobre o funcionamento do sistema, mais de 2 mil pessoas foram pegas pela Receita Federal, por terem declarações contrárias à realidade.

Sonegação de Imposto

O ato de não pagar o tributo não representa sonegação de impostos, crime previsto na Lei 9.137/90.

No entanto, quando a fraude é demonstrada, como adulteração de valores em documentos combinados e o não pagamento do imposto devido, é sonegação.

Se a sonegação for identificada, vale saber que além da cobrança do tributo e multa, que pode chegar a 225% do valor sobre o valor do imposto devido, o Ministério Público é comunicado da acusação criminal e o contribuinte pode pegar de dois a oito anos de prisão, se a sonegação for confirmada.

O que faz cair na malha fina?

Publicidade

Existem três principais razões:

Publicidade

  • Omissão sobre os rendimentos;
  • Dedução indevida de Previdência oficial ou privada;
  • Incompatibilidade entre valores e despesas médicas e receitas declaradas.

Existem casos menos frequentes, mas é importante saber que eles também podem levar à malha fina, como:

  • Informações divergentes das fontes pagadoras;
  • Comissão de rendimentos de aluguéis;
  • Pensão alimentícia com indícios de falsidade.

Como saber se eu cai na malha fina?

Para fazer esta consulta, o contribuinte deve acessar a página da Receita Federal e obter o extrato do Imposto de Renda, disponível no e-CAC (Centro Virtual de Atendimento).

É preciso gerar um código de acesso, que é gerado na própria página ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Publicidade

Publicidade

Depois que o contribuinte identificar as inconsistências, ele tem a opção de enviar uma declaração retificadora ao Fisco, para sair na malha fina.

Após resolver este assunto, se ele tiver direito à restituição, ela será incluída normalmente nos lotes do IR.

É importante saber que um contador bem preparado e experiente neste assunto pode ajudar a resolver o caso mais rápido e com eficiência!

Bruna SantosJornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
Veja mais ›
Fechar