Inflação sobe 0,87% em agosto e chega ao pior patamar dos últimos 21 anos

Foi ao supermercado e teve a impressão de que os preços estão subindo? Pois, é… não é só impressão, é a inflação! 

Segundo dados divulgados pelo IBGE, a inflação oficial de preços no Brasil saltou 0,87% no mês de agosto. Esta é a maior alta para o mês desde 2000. 

Publicidade

Publicidade

O resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, apresentou uma desaceleração em relação à variação de 0,96% nos preços no mês de julho.

Considerando essa variação, o índice oficial de preços acumula uma alta de 9,68% nos 12 meses encerrados em agosto, patamar mais de quatro pontos percentuais superior ao teto da meta estabelecida pelo governo para o IPCA deste ano, de 5,25%.  

Apenas nos oito primeiros meses do ano, a variação do índice é de 5,67%.

Publicidade

Publicidade

Inflação sobe 0,87% em agosto e chega ao pior patamar dos últimos 21 anos
Inflação sobe 0,87% em agosto e chega ao pior patamar dos últimos 21 anos

O que influenciou a alta da inflação? 

A nova alta da inflação foi influenciada novamente pelo preço dos combustíveis, sendo que os aumentos foram:

  • Etanol: +4,5%
  • Gasolina: +2,8%
  • Gás veicular: 2,06%
  • Óleo diesel: 1,79%

Com esses avanços, o grupo de transporte teve a maior alta de preços do período, de 1,46%.

Segundo André Filipe Guedes Almeida, analista responsável pela pesquisa, comenta que o preço da gasolina permanece influenciado pelos reajustes aplicados nas refinarias de acordo com a política de preços da Petrobras.

O dólar, os preços no mercado internacional e o encarecimento dos biocombustíveis são fatores que influenciam os custos, o que acaba sendo repassado ao consumidor final, comenta. 

Só em 2021, a gasolina acumula alta de 31,09%, o etanol de 40,75% e o diesel de 28,02%.

Além disso, ainda no campo dos transportes, houve outros aumentos, como: 

  • Veículos usados: +1,98%
  • Veículos novos: +1,79%
  • Motocicletas: +1,01%

Já nos transportes públicos, houve queda de 1,21%, enquanto as passagens aéreas caíram 10,69%. Os preços do transporte por aplicativo subiram 3,06%.

Conta de luz também registra aumento 

Publicidade

Publicidade

A conta de luz, dessa vez, subiu em ritmo menor e registrou alta de 1,10% em agosto. 

Segundo André Filipe Guedes Almeida, os reajustes tarifários em Vitória, Belém e em uma das concessionárias em São Paulo, contribuíram para o resultado. Além disso, deve se levar em conta a manutenção da bandeira vermelha patamar 2, que adiciona R$ 9,492 a cada 100 kWh consumidos.

Alimentos e bebidas

Por fim, o segundo maior impacto do mês veio do setor de alimentos e bebidas, com aumento de 1,39%. 

A variação positiva ocorre com a alta de 1,63% no custo da alimentação em casa, principalmente por conta da alta dos preços de: 

  • Batata-inglesa: +19,91%
  • Café moído: +7,51%
  • Frango em pedaços: +4,47%
  • Frutas: 3,90%
  • Carnes: +0,63%
Publicidade

Porém, alguns alimentos tiveram baixas, como foi o caso da cebola, com 3,71% de queda e o arroz, com 2,09%. 

Publicidade

Já para quem se alimenta fora de casa, os destaques ficaram por conta do lanche, com aumento de +1,33% e da refeição, com 0,57%.

Jornalista com mais de 8 anos de experiência. Trabalhou como redatora, repórter e produtora na emissora Nossa Rádio FM e produtora na Metropolitana AM, depois foi diretora-geral do conhecido podcast Mamilos, passou por algumas agências de São Paulo e Rio de Janeiro e agora, além de colaboradora da WebGo Content, é Copy Content na In House da divisão agrícola da Bayer e Host/Criadora do podcast "Me Empresta Seus Óculos".
InstagramLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário