Valor do seguro desemprego e benefícios do INSS terão reajuste em 2022

Valor de benefícios federais terão reajuste. Foto: Agência Brasil
Valor de benefícios federais terão reajuste. Foto: Agência Brasil

A correção do valor do salário mínimo acarretará atualização do valor dos benefícios federais. Isso porque, segundo a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o piso salarial nacional deve ser reformulado todos os anos.

Continue lendo para saber como essa medida impactará no valor do seguro desemprego.

Publicidade

Publicidade

Valor de benefícios federais terão reajuste. Foto: Agência Brasil
Valor de benefícios federais terão reajuste. Foto: Agência Brasil

A alteração é realizada com base nos indicativos da inflação, considerando o desempenho econômico do ano anterior. Para o próximo ano, já há uma previsão.

O final do ano ainda não chegou, mas o governo federal já liberou uma previsão do salário mínimo de 2022.

Segundo informações da equipe econômica, o piso nacional, que atualmente é de R$ 1.100,00, poderá chegar a R$ 1.177,00, um aumento de R$ 77,00.

Publicidade

Publicidade

Este valor não levará um aumento real e significativo para a população.

Como é feito o cálculo de reajuste do salário mínimo?

Para definir o novo salário, o governo deve realizar uma avaliação de seu desempenho econômico durante os 12 meses do ano anterior.

Isso significa que o piso de 2021 deve ser reajustado com base na inflação de 2020, que, por sua vez, só poderá ser definida em dezembro.

Por este motivo, saiba que o novo valor estimado em R$ 1.177,00 é baseado na taxa inflacionária que pode chegar a 7% este ano.

Devido à crise sanitária causada pela pandemia de covid-19 e seus impactos, o Brasil vive um momento delicado: os preços de vários produtos, desde a alimentação ao combustível e energia, aumentou em mais de 50%.

Sendo assim, é de se esperar que o valor do salário oferecido também deve ser maior, já que o custo de vida está mais caro.

Reajuste dos benefícios do INSS

Publicidade

Publicidade

Conforme divulgado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e divulgado pelo Jornal Contábil, 65% dos benefícios pagos pelo instituto são pagos com valor de um salário mínimo.

Saiba que devido ao reajuste do piso nacional, o órgão também precisa reajustar o valor dos benefícios.

É importante saber que o reajuste do salário mínimo também afeta o teto do INSS, que deve passar de R$ 6.433,00 em 2021, para R$ 6.624,00 em 2022. O limite referente a processos do INSS que tem um teto de 60 salários mínimos, será reajustado em R$ 68.820.

Abono PIS/ Pasep

O reajuste do salário mínimo também afeta o abono salarial. Isso porque o PIS/ Pasep é considerado um 14º salário, no valor de um salário mínimo que também será reajustado.

Publicidade

Caso a definição do piso salarial do próximo ano fique em R$ 1.147,00, este será o valor que o trabalhador poderá resgatar em 2022 com o saque do abono.

Publicidade

A modificação do seguro desemprego

Neste caso, o reajuste do valor é feito, pois, o benefício se baseia no valor do salário mínimo.

Uma pessoa que recebe R$ 1.100,00, neste ano, por exemplo, terá direito a no mínimo R$ 1.177,00 de seguro desemprego no próximo ano.

Para receber o benefício, é necessário que o cidadão:

  • Tenha sido demitido sem justa causa;
  • Esteja desempregado quando solicitar o benefício;
  • Tenha recebido pelo menos 12 salários nos últimos 18 meses. Essa regra é válida para a primeira solicitação;
  • Tenha exercido, no mínimo, nove meses de trabalho nos últimos 12 meses, quando fizer o segundo pedido de seguro-desemprego;
  • Tenha trabalhado com carteira assinada em todos os 6 últimos meses, a partir do terceiro pedido;
  • Não possua renda própria para o seu sustento e promover a família;
  • Não receba benefícios de prestação continuada da Previdência Social. A regra é válida exceto para pensão por morte e auxílio-acidente.
Publicidade

Publicidade

Para saber mais informações sobre este assunto, continue acompanhando nosso site!

Fonte: Jornal Contábil e FDR

Bruna SantosJornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
Veja mais ›
Fechar