IR 2021: Qual declaração fazer? Completa ou simplificada? Entenda aqui!

A entrega do Imposto de Renda sempre gera muitas dúvidas, afinal, são muitos detalhes para se atentar.

Neste ano, a entrega já começa na próxima segunda-feira (01) e se estende até dia 30 de abril (sexta-feira), mas é importante se atentar às datas e confirmar se você está no grupo de obrigatoriedade, já que o atraso na entrega do documento pode gerar multa mínima de R$ 165,74.

Em 2020, de acordo com uma projeção realizada pela Receita Federal, aproximadamente, 32 milhões de brasileiros declararam o Imposto de Renda como pessoa física.

Declaração completa ou simplificada?

Essa é uma das dúvidas mais comuns na hora de declarar Imposto de Renda, mas a escolha depende do perfil de gastos de cada contribuinte, o que interfere no volume das deduções que diminuem o imposto para pagar ou aumentam a restituição.

A diferença básica é em relação ao abatimento sobre os rendimentos tributáveis, como salário, pensões e aluguel, por exemplo.

Na simplificada, o desconto é de 20%, limitada a no máximo R$ 13.916,36.

Na completa não há limite e o contribuinte deve informar gastos passíveis de dedução para apurar o abatimento.

É importante saber que o programa de declaração informa automaticamente ao contribuinte qual modelo é mais vantajoso e quanto ele terá de restituição ou de imposto devido, que ainda precisará ser pago em cada uma das opções.

Quais as principais diferenças?

Existem muitas diferenças entre as declarações completa e simplificada. Veja qual a mais adequada para você:

Simplificada

  • O desconto é de 20% sobre o total do valor a ser pago de imposto à Receita Federal, limitado a no máximo R$ 13.916,36;
  • O desconto simplificado pode ser solicitado por todos os contribuintes, exceto quem deseja compensar resultado positivo da atividade rural com prejuízo, compensar imposto pago no exterior ou utilizar o incentivo fiscal da dedução do imposto;
  • O modelo simplificado é indicado, principalmente, para pessoas físicas sem dependentes e que não tenham gastos com educação. Caso contrário, o contribuinte pode calcular o abatimento, que pode ser superior aos 20% do modelo simplificado;
  • O contribuinte deve declarar todos os gastos para a Receita.

Completa

  • Para o contribuinte que tem gastos com educação (ensinos Infantil, Fundamental, Médio, Superior, Pós-Graduação e Técnico), a declaração completa é mais vantajosa. Isso porque o valor limite para abatimento subiu para R$ 2.958,23. Em caso de empregados domésticos, o desconto é de R$ 866,60, limitado a um empregado;
  • Para o contribuinte com dependentes, a dedução dos rendimentos tributáveis é de 1.889,64. Mas, é preciso comprovar com documentos, como certidão de casamento, no caso do cônjuge; nascimento, no caso de filhos; e termo de guarda judicial, no caso de netos, sobrinhos, irmãos e outros. As pensões alimentícias só serão permitidas desde que exista acordo judicial com reconhecimento pelo cartório;
  • Para as despesas médicas, a Receita não estabelece um limite para deduções, mas as despesas com planos de saúde só poderão estar no nome do próprio contribuinte ou de um dependente comprovado;
  • Contribuintes com previdência privada e que tenham optado pelo modelo PGBL, poderão usar os aportes anuais para dedução, limitados a 12% da renda bruta anual tributável;
  • Este ano, as doações para fundos administrados por conselhos municipais, estaduais ou federal ligados aos conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, poderão ser abatidos até 3% do imposto devido, para doações efetuadas até 3 de abril de 2012.

(Fonte: Terra)

Quando a restituição será paga?

Assim como em 2020, neste ano a restituição começará a ser paga no fim de maio. O número de lotes também será menor: cinco em vez de sete, como ocorria até 2019.

O primeiro lote será pago em 31 de maio e os demais em 30 de junho, 30 de julho, 31 de agosto e 30 de setembro. Ou seja, o contribuinte receberá o dinheiro mais rápido.

Vale lembrar que a restituição segue uma fila de entrega: quem entrega antes recebe antes. Apenas os idosos, pessoas com deficiência e professores têm preferência no pagamento.

Contate um contador de sua confiança para que ele auxilie sobre a melhor tipo de declaração e outras dúvidas que você tenha!

Bruna Santos
Jornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, é CEO da Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
FacebookInstagramLinkedin

Deixe seu comentário