68% dos brasileiros acha que a economia só vai se recuperar em 2022

Apesar da projeção otimista de crescimento do PIB em 2021 entre 5% a 5,5%, a maior parte da população brasileira acredita que a economia só vai se recuperar no próximo ano, segundo pesquisa da FEBRABAN. 

Isso levando em consideração, também, o avanço da vacinação contra a Covid-19, e a flexibilização de parte das restrições em todos os setores,

Publicidade

Publicidade

Porém, a maioria dos brasileiros continua apreensiva e com medo de que haja piora nos próximos meses, temendo aumento do desemprego, da inflação e queda do poder de compra. 

68% da população brasileira acredita que a economia se recuperará somente em 2022, diz estudo
68% da população brasileira acredita que a economia se recuperará somente em 2022, diz estudo

 Brasileiros acham que a economia só vai se recuperar em 2022

Conforme a terceira edição do Radar FEBRABAN, mais de dois terços dos entrevistados – o que representa 68% – estimam que a economia brasileira só irá começar a se recuperar a partir de 2022. 

Em dados, o percentual dos que acham que a economia não vai se recuperar definitivamente passou de 9%, em março, para 15% em setembro. Esse número chega a 21% entre os jovens de 18 a 24 anos.

Publicidade

Publicidade

Falando sobre a situação financeira pessoal, 55% dos brasileiros não acreditam que haja recuperação ainda em 2021. Em março, essa taxa era de 54%. 

Quais as principais preocupações dos brasileiros? 

Como você responderia essa pergunta? Qual a sua maior preocupação diante da atual economia do Brasil? 

Ainda conforme a pesquisa, o aumento do desemprego, queda do poder de compra, elevação da inflação, do custo de vida e da taxa de juros são as principais preocupações sobre a recuperação da vida financeira familiar e da economia em curto prazo.

Em uma projeção para os próximos seis meses:

  • 76% apostam no aumento da taxa de juros, mesmo patamar de março e maior que junho (72%).
  • 74% acreditam que a inflação e o custo de vida irão aumentar nos próximos seis meses. Em junho, eram 73% e em março esse montante chegava a 80%.
  • 54% preveem o aumento do desemprego. Em junho eram 52% e em março somavam 70%.
  • 51% creem que o poder de compra das pessoas vai diminuir. Em junho, o percentual era de 48% e em março 64% tinham essa opinião.
  • Referente ao acesso de pessoas e empresas ao crédito, assim como nas edições anteriores as opiniões se dividem: 32% acreditam em aumento, 31% apostam em queda e para 29% o acesso ao crédito ficará igual.

Outros dados da pesquisa

Além das indicações acima, 34% dos entrevistados expressaram a intenção de comprar um imóvel como uma alternativa de investimento preferencial caso haja recuperação na situação financeira. 

Além disso, em caso de uma sobre de dinheiro, o estudo mostrou que:

  • 26% usariam para investir na própria educação e de seus familiares – entre os jovens de 18 a 24 anos, esse percentual alcança 36%;
  • 22% reformariam a casa;
  • 20% prefeririam viajar.
Publicidade

Publicidade

O levantamento também mostrou um menor índice quanto ao desejo de viajar, que em março era de 25% e em junho, 29%. Outros itens receberam menores menções:

  • melhorar o plano de saúde (14%);
  • comprar carro e comprar eletrodomésticos/eletrônicos (12% em ambos os casos);
  • comprar moto (5%);
  • fazer seguro de carro, casa, vida ou outros (4%).

Você pode acessar o relatório completo do Radar FEBRABAN aqui.

Amanda Lino
Jornalista com mais de 8 anos de experiência. Trabalhou como redatora, repórter e produtora na emissora Nossa Rádio FM e produtora na Metropolitana AM, depois foi diretora-geral do conhecido podcast Mamilos, passou por algumas agências de São Paulo e Rio de Janeiro e agora, além de colaboradora da WebGo Content, é Copy Content na In House da divisão agrícola da Bayer e Host/Criadora do podcast "Me Empresta Seus Óculos".
InstagramLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário