Mais da metade das famílias de SP capital está endividada

Fatura de cartão de crédito é a principal dívida dos paulistanos
Fatura de cartão de crédito é a principal dívida dos paulistanos

Mais da metade das famílias de São Paulo capital está endividada, segundo uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Conforme o levantamento, o maior desafio dos consumidores paulistanos é conseguir pagar a fatura do cartão de crédito.

Publicidade

Publicidade

Fatura de cartão de crédito é a principal dívida dos paulistanos
Fatura de cartão de crédito é a principal dívida dos paulistanos

População com dívidas

Segundo o estudo, seis a cada dez famílias acumulam dívidas que não param de crescer na pandemia provocada pela Covid-19. Vale saber que o percentual de endividamento em maio é de 62% na cidade.

A entidade afirma que o percentual não para de crescer, desde que ele estava em 56%, em novembro de 2020.

Apenas em São Paulo, são quase 2,5 milhões de famílias com dívidas. Desde novembro de 2020, foram mais de 270 mil novos lares endividado na maior metrópole do país.

Publicidade

Publicidade

O estudo realizado pela FecomercioSP aponta que quase 80% das dívidas são de faturas de cartão de crédito pendentes e 15% de carnês.

Para a FecomercioSP, o cenário ideal seria a recuperação do emprego na cidade de São Paulo, fazendo com que as famílias não apenas voltem a se sentir seguras para consumir, mas para não se endividar sem que isso se transforme em inadimplência.

Devedores de Belo Horizonte parcelam mais vezes

Além de estarem com mais dívidas, as famílias da capital mineira têm parcelas cada vez mais significativas da renda total de seus integrantes comprometidas com compromissos acumulados ao longo dos últimos meses.

De acordo com o Fecomercio-MG, em média, 31% das rendas da família da capital estaria atrelada a tais pagamentos, no mês de abril.

No entanto, quando a análise é feita sobre as famílias que recebem até dez salários mínimos, 20,6% delas têm dívidas que ultrapassam metade dos rendimentos. Outros 77,8% devem até 50% do que recebem mensalmente.

Melhores alternativas para limpar o nome

Renegociar as dívidas nem sempre é fácil, mesmo para quem deseja solucionar seus problemas financeiros.

Publicidade

Publicidade

Em muitos casos, quem tenta conseguir condições de pagamento possíveis com o credor é conduzido de um ramal para outro, recebe propostas que não cabem no bolso ou ainda enfrenta cobranças abusivas por telefone.

Se você está com dívidas acumuladas e quer resolver essa situação, saiba que algumas fintechs e bureaus de crédito prometem oferecer soluções para este problema.

Elas são plataformas gratuitas de negociação de dívida on-line, intermediárias entre credores e devedores.

As empresas credoras cadastram as dívidas nesses sites e pagam uma taxa a cada acordo efetuado. Já para os consumidores, os serviços são gratuitos, basta ele se cadastrar e os sites localizam suas dívidas com uma das empresas parceiras.

Publicidade

Se tiver na plataforma, o consumidor pode ver as opções de pagamentos, nas melhores condições que cada credor oferece. Ele escolhe o acordo que se encaixa no bolso e gera um boleto para realizar o pagamento.

Publicidade

Para competitividade, as plataformas oferecem as melhores condições praticadas pelos credores, com descontos de 90% para pagamento à vista, prazos de pagamento com mais tempo ou redução na taxa de juros. Vale saber que muitas vezes, o consumidor pode conseguir acordos melhores por meio dos sites do que com os credores.

Em entrevista para o Invest Exame, a economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Ione Amorim, para negociar suas dívidas, o consumidor enfrenta muitas dificuldades direto com credores.

A intermediação dessas plataformas é uma iniciativa importante, porque elas sistematizam o processo e podem oferecer acordos melhores

Negocie suas dívidas on-line

Publicidade

Publicidade

É importante saber que todo o processo é realizado on-line, de maneira rápida e sigilosa, já que as plataformas usam inteligência artificial para oferecer as melhores condições de renegociação para cada cliente.

O procedimento é realizado por meio  de robôs programados para entender e interpretar as informações geradas pelos usuários, respeitando a privacidade e os horários de cada um.

Entre os quatro sites para renegociar suas dívidas estão:

Vale alertar para o uso de plataformas através da internet e cair em golpes que prometem renegociar dívidas mediante pagamento antecipado de taxas.

Para evitar essas situações, busque o histórico da empresa para saber se pode confiar!

Fonte: Invest Exame

Bruna SantosJornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
Veja mais ›
Fechar