Microempreendedores geraram 70% dos empregos com carteira assinada no país em 2021

Entre janeiro e março deste ano os pequenos negócios criaram 70% dos empregos com carteira assinada. Já as micro e pequenas empresas criaram 587 mil novos postos de trabalho no total. As informações da pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Por outro lado, as médias e grandes empresas (MGE) criaram 190 mil ocupações formais. Já as Micro e Pequenas Empresas (MPE) criam três novos postos de trabalho a cada um gerado pelas MGE.





Entre as micro e pequenas empresas, o setor de serviços foi o que mais criou vagas entre janeiro e março de 2021, sendo 224,3 mil novos empregos.

Vale saber que as cinco atividades que apresentam maior saldo líquido na geração de empregos foram transporte rodoviário de carga, serviços de escritório e apoio administrativo, locação de mão de obra temporária, serviços de engenharia e serviços para apoio e edifícios.

Para o presidente do Sebrae, Carlos Melles, os resultados do 1º trimestre de 2020 foram positivos.





A receita das MPE para combater a crise causada pela pandemia é a geração de empregos. Quando comparamos com o 1º trimestre de 2020, os dados do Caged apontam que a evolução dos empregos gerados teve aumento de 400%. São números extremamente representativos da força dos pequenos negócios”, afirma.

Microempreendedores geram empregos formais
Microempreendedores geram empregos formais | Fonte: Caixa

Recorte estadual

Alguns estados brasileiros apresentaram números significativos no crescimento de empresas e os entre os que mais contrataram, graças aos pequenos negócios foram:

  • Mato Grosso, que lidera com 56,1 novos postos de trabalho a cada 1.000 existentes;
  • Rio Grande do Norte com 49,7;
  • Santa Catarina com 48,9.

Em outro extremo, Amazonas registou saldos negativos em janeiro e fevereiro, mas recuperou em março. Mesmo assim, ele continuou com 3,3 novos empregos gerados a cada 1.000 já existentes.

Geração de empregos em números

O Sebrae divulgou um infográfico com os números sobre a geração de empregos no Brasil.

Entre as áreas que mais geraram oportunidades estão:

  • Serviços: 224,3 mil;
  • Indústria: 152,8 mil;
  • Comércio 105,1 mil;
  • Construção: 75,3 mil;
  • Agropecuária 23,9 mil;

Acesse ao infográfico clicando aqui.

Em fevereiro, resultado foi positivo pelo oitavo mês consecutivo

Em fevereiro deste ano, as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela geração de 68,5% dos empregos criados no país. Este número corresponde a pouco mais de 275 mil vagas, mais do que o dobro dos postos de trabalho, se comparados aos que foram gerados pelas empresas de médio e grande porte, que foi de 101,8 mil.





Estes dados também são do levantamento feito pelo Sebrae, com base nas informações do Caged do Ministério da Economia.

Em entrevista, o presidente do Sebrae destacou que esse resultado, pelo oitavo mês consecutivo foi essencial para a retomada do crescimento da economia no Brasil e geração de empregos.

“Esse é o 8º mês consecutivo que as micro e pequenas empresas puxam a geração de empregos com carteira assinada. São os pequenos negócios que sustentam a geração de empregos nos país e, por isso, é tão importante que sejam realizadas políticas públicas que amparem esse segmento”, afirma o presidente do Sebrae.

No acumulado do ano, dos 611 mil empregos gerados no primeiro emprego, 473,7 mil (72,26%) foram de responsabilidade das micro e pequenas empresas, enquanto as médias e grandes empresas criaram 134,1 mil novas vagas.

Apesar dos impactos causados pela pandemia de covid-19, nesse segmento, o quantitativo é superior ao total de empregos gerados em 2020, quando 301,9 mil postos de trabalho foram gerados. Um aumento de 102%.



As MPE aumentaram sua participação em 199.563 novas contratações contra 109.413 das MGE.



As informações são do Sebrae.

Bruna Santos
Jornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
FacebookInstagramLinkedinWikipédia

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário