Novo Auxílio Emergencial 2021: Quais recursos serão usados para seu financiamento?

Como muitos já sabem, o auxílio emergencial será retomado logo no primeiro semestre de 2021, visto que a pandemia ainda não possui um fim programado, sem falar em todo o processo de vacinação, que ainda está em desenvolvimento.

Veja abaixo como funcionará essa segunda etapa deste já conhecido benefício, quem poderá usufruir dessas vantagens, como se inscrever e muito mais.

Publicidade

Publicidade

Continue lendo para saber mais.

Novo auxílio emergencial 2021: como funcionará?

Novo auxílio emergencial 2021: como funcionará?

Para que esse benefício possa se tornar realidade, será preciso que todo o processo seja financiado, porém, até o momento, não foi esclarecido pelo próprio Governo Federal sobre como será feito essa ação para a respectiva prorrogação do benefício.

É esperado que o governo possa criar uma “cláusula de calamidade”, da qual suspende em prática as regras estabelecidas de gastos.

Publicidade

Publicidade

Caso as parcelas sejam de R$250, o investimento necessário previsto pelo governo seria de cerca de R$30 bilhões. Conforme já dito por Paulo Guedes, Ministro da Economia, essa medida geraria uma série de “compensações financeiras”.

De qualquer maneira, ainda não se tem certeza sobre a prorrogação desse auxílio emergencial, visto que era esperado que a primeira parcela correspondente à 2021 fosse depositada especificamente no mês de março, porém, até o momento ainda não foi feita nenhuma ação relacionada.

Conforme já explicado por especialistas, o previsto seria que essa PEC investisse em refrear o aumento das receitas e reduzir demais despesas existentes. Segundo o acordo político, também haverá problemas com o ajuste fiscal em um futuro próximo.

Como dito pelo diretor-executivo da IFI – Instituição Fiscal Independente -, Felipe Salto, há a intenção de defesa de um plano fiscal de tempo médio para o governo: “Estamos em um quadro de pandemia, em uma segunda onda que está mais grave do que muitos previam. O gasto tem uma justificativa, mas a responsabilidade fiscal precisa ser preservada”.

Segundo outros especialistas, essas medidas que o governo federal está à procura, como é o caso da suspensão das regras de gastos estabelecidas, é a maneira mais correta, mesmo que possa trazer consequências graves para frente.

Essas regras foram criadas para garantir que exista uma previsão de gastos do governo, e, diante dessa suspensão, pode ser que essa agenda monetária fique comprometida não somente agora, mas durante anos, gerando um grande impacto na vida das pessoas, sem falar no risco de aumento da inflação.

Valor das parcelas

Publicidade

Publicidade

É previsto que o novo auxílio emergencial seja de parcelas no valor de R$250 durante os meses de março, abril, maio e também junho, sendo assim, receberiam apenas 40 milhões dos 60 milhões de beneficiários correspondentes cadastrados no ano passado.

Isso acontece porque o Governo Federal realizou por meio de seu sistema de cruzamento de dados, uma revisão dos beneficiários, assim, encontrando várias irregularidades referentes ao recebimento do benefício, como é o caso daqueles que conseguiram um emprego posteriormente ou que recebiam salário do setor público, como é o caso da pensão ou de aposentadoria.

Indo além da questão de que o valor seria menor do que a parcela que foi distribuída no ano de 2020 – da qual era de R$300 -, as mulheres que eram chefes de família solteiras, das quais recebiam o valor dobrado, irão receber o valor igual ao dos outros contemplados.

Calendário de desenvolvimento

Caso seja aprovado, o calendário com a data dos pagamentos será desenvolvido especificamente pelo Ministério da Cidadania, mas, não se tem ainda um conhecimento sobre como será feita essa lógica de distribuição.

Publicidade

No benefício do ano passado, receberam primeiramente aqueles que se cadastraram para o benefício seguindo a ordem de cadastro. Porém, como nesse ano não acontecerá o processo de solicitação, ainda não se tem certeza sobre qual será a lógica adotada para realizar essa ação.

Publicidade

O que se sabe é que a maneira de envio do pagamento não será alterada, recebendo as parcelas da mesma forma como foi feita no ano passado, tudo via app Caixa Tem, desenvolvido especificamente pela Caixa Econômica Federal.

No momento, essa plataforma também está sendo usada para fazer o pagamento do seguro DPVAT, além do programa social do Bolsa Família. Ela é gratuita para aparelhos que tenham sistema tanto Android quanto iOS.

Para conseguir acessar a mesma, só é preciso fazer seu login por meio do CPF único, além de criar uma senha numérica contendo seis dígitos, sempre priorizando a segurança.

Publicidade

Publicidade

Continue acompanhando nosso site para obter esta e demais informações sobre como funciona o processo de distribuição do auxílio e muito mais.

Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário