Novo auxílio emergencial: proposta do CLP custaria 65% menos

O Centro de Liderança Pública (CPL) analisa a possibilidade de um novo auxílio emergencial para prestar apoio aos mais vulneráveis.

Assim, de acordo com a CLP, esse programa de transferência de renda visa contemplar mais de 94 milhões de pessoas.

No entanto, há algumas restrições sobre o auxílio. Assim, para ficar por dentro desse assunto, basta seguir a leitura deste artigo.

O que diz o CLP sobre o auxílio

Novo auxílio emergencial

Além da esperança em amparar milhões de cidadãos com a volta do programa social, o CLP prevê que o governo vai ter menos custo para promover essa ação.

Dessa forma, a organização prevê que o custo total vai ser de aproximadamente R$ 8 bilhões por mês.

Assim sendo, o repasse financeiro em comparação ao benefício pago no ano de 2020, vai representar uma redução de 65% aos cofres públicos.

Proposta do CLP a respeito do novo auxílio emergencial

Em abril do ano de 2020, sob a finalidade de prestar apoio financeiro à população necessitada, foi criado o auxílio emergencial.

A princípio, esse programa fazia o repasse financeiro em parcelas nos valores de R$ 600,00 e de R$ 1,2 mil às mães que se declararam solteiras e possuíam família.

Entretanto, no mês de setembro, o auxílio foi reduzido à metade para os dois grupos de beneficiários e, meses depois (dezembro), chegou ao fim.

Custos gerados com o programa

Assim que o programa for estabelecido, no início, está previsto que o governo vai ter um gasto mensal de aproximadamente R$ 40 bilhões a cada mês.

Depois que as parcelas começarem a ser reduzidas, espera-se que essa despesa seja em torno de R$ 20 bilhões.

Aprovação do novo auxílio emergencial

No ano de 2020, o presidente Jair Bolsonaro havia sugerido que o auxílio emergencial deveria ser pago em três parcelas de R$ 200,00 – quantia esta direcionada aos mais vulneráveis.

Entretanto, devido ao congresso, o benefício foi aumentado para o valor final de R$ 600,00.

Com o intuito de estabelecer o novo auxílio emergencial, nesta quinta-feira (25) uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) vai entrar em votação.

Como tudo vai funcionar

O CLP propõe a criação de duas formas para disponibilizar o benefício aos cidadãos que carecem de ajuda financeira.

Assim, a primeira forma seria o valor de R$ 50,00 à cada pessoa cujo grupo familiar já faça parte do Programa Bolsa Família.

Enquanto o outro formato do benefício vai ser através do repasse de R$ 100,00 àqueles que já foram beneficiários do auxílio emergencial, no entanto, não pertenciam ao Programa Bolsa Família.

Motivos para concessão do auxílio

Segundo a análise de Luiz Felipe D’Avila (fundador do CLP), é necessário que o auxílio seja mantido para que assim seja possível prestar suporte àqueles que precisam de ajuda de custo.

D’Avila defende que é de grande valia implantar o novo auxílio emergencial, devido ao número de casos de covid-19 que aumentaram.

De acordo com ele, é preciso que o auxílio volte, mas para isso é necessário haver ajustes para que se torne uma medida responsável.

Veja também: Auxílio emergencial 2021: valor pode ser de até R$ 300,00 no Rio de Janeiro

Paulo Victor Silva
Estudante do curso de Jornalismo pela UFES. Dono de uma mente inquieta e curiosa. Além disso, é amante de leitura e apaixonado por música.
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário