PIX é considerado muito confiável por 72% dos brasileiros e ultrapassa operações de TED e DOC

Sistema Pix ganha cada vez mais a confiança dos usuários mesmo com pouco tempo de utilização. Expectativa é de que mais usuários passem a utilizar os recursos desenvolvidos pelo Banco Central.

De acordo com pesquisa realizada pela Capterra, plataforma de busca e comparação de softwares, cerca de 76% dos brasileiros afirmaram ter um alto grau de confiança no Pix.

Publicidade

Publicidade

A confiabilidade do sistema se apresenta mais consistente entre a população mais jovem. Cerca de 85% dos brasileiros de 18 a 22 anos confiam no Pix, enquanto apenas 71% das pessoas com idades entre 56 e 65 anos demonstram o mesmo sentimento.

Apesar da baixa confiabilidade por parte da população mais velha o Pix é considerado mais confiável para transações de altas quantias se comparado com os tradicionais sistemas de DOC e TED.

Estudo mostra que a maioria dos entrevistados confia no Pix

A incidência da ‘alta confiança’ em diferentes pontos do estudo atesta não apenas o ganho de credibilidade do sistema Pix, mas expõe também a rápida adoção do brasileiro a novos e mais modernos métodos de pagamento”, afirmou Marcela Gava, analista responsável pelo estudo, em entrevista para a CNN Brasil Business.  

O estudo também demonstrou que os brasileiros desconhecem quem é responsável pelo Pix, apenas 22% sabiam que é o Banco Central, contra 68% que acreditavam ser outros bancos e 10% que não faziam ideia.

Publicidade

Publicidade

Outra perspectiva do estudo aponta que 66% dos entrevistados associam as chaves do Pix às contas-corrente, enquanto 17% à conta-poupança e 14% à carteira digital. 

A maioria dos entrevistados também declarou que transfere uma média entre R$101,00 e R$500,00, o mesmo valor que costumam transferir por meio de TED ou DOC.  

A média de utilização do Pix por mês entre 51% dos usuários é de uma a quatro vezes. No entanto, esse dado poderá aumentar ao longo do ano, pois 84% dos entrevistados afirmaram que passariam a utilizar o sistema se as lojas e estabelecimentos oferecessem essa possibilidade. 

O estudo foi realizado entre os dias 12 e 18 de maio em todas as regiões do Brasil com aproximadamente 1.012 pessoas.

Segurança

De modo geral, a desconfiança para a utilização do Pix é relacionada a segurança dos dados e dos procedimentos. No entanto, essas informações são protegidas por criptografia e autenticação, que obrigatoriamente são procedimentos adotados pelos bancos que utilizam o sistema a fim de evitar fraudes e prejuízos financeiros aos usuários.

PIX

O Pix é um sistema de pagamento instantâneo desenvolvido pelo Banco Central que pode ser utilizado por pessoas e empresas na realização de transferências de valores e pagamentos.

Publicidade

Publicidade

Até o momento, cerca de 75 milhões de pessoas já utilizaram o serviço para pagar ou receber e as transações chegaram a 1,547 bilhões.

Conforme o Banco Central, cerca de 242 milhões de chaves PIX já foram cadastradas, totalizando 83 milhões de usuários físicos e mais de 5,5 milhões de empresas. Também foram movimentados mais de R$1,109 trilhões.

Como aderir ao Pix

Para cadastrar o Pix é necessário criar uma chave Pix que, basicamente, representa o endereço da conta.

A chave pode ser constituída pelo CPF/CNPJ, e-mail, número de telefone celular ou chave aleatória. Para efetuar a transação o usuário deve autorizar a operação na hora do pagamento ou transferência. As empresas podem fornecer o Pix como forma de pagamento por meio do QR Code.

Publicidade

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.
Linkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário