Qual o preço do PIX para empresas nos bancos? Onde fazer PIX gratuito?

Pessoa segurando smartphone com sistema PIX aberto
Algumas empresas cobram taxas sobre o PIX (imagem: reprodução/site Agência de Notícias da Indústria)

Desde novembro do ano passado, mês em que foi lançado, o PIX tem feito muito sucesso entre as pessoas físicas. No entanto, quando as transações financeiras são realizadas de organização para organização ou de pessoa física para empresa, a situação muda.

Isso porque, ao contrário das pessoas físicas que promovem movimentações gratuitas, as empresas podem ter de arcar por cada transação.

Publicidade

Publicidade

Confira a seguir algumas instituições bancárias que cobram e quais não cobram taxa PIX Empresas.

Cobrança de taxa para fazer PIX

Pessoa segurando smartphone com sistema PIX aberto
Algumas empresas cobram taxas sobre o PIX (imagem: reprodução/site Agência de Notícias da Indústria)

De início, as taxas do PIX para empresas eram isentas, contudo, após certo período, começaram a ocorrer cobranças.

Dentre as instituições bancárias, o Itaú possui a maior taxa, cerca de 1,45%. Enquanto o Banco Caixa, e as fintechs Inter e Nubank mantiveram a isenção.

Publicidade

Publicidade

Por falar em fintech, a Linker, que é direcionada à pessoa jurídica, se pronunciou dizendo que para os seus clientes, o PIX será oferecido de forma gratuita.

Desta forma, os clientes farão transações sem que seja preciso pagar taxas ou limites.

Instituições que oferecem isenção quanto à taxa PIX Empresas

  • Banco Original;
  • Caixa Econômica Federal;
  • C6 Bank;
  • Inter;
  • Linker;
  • Nubank.

Taxas que os bancos cobram pelo PIX Empresas

Banco do Brasil

O consumidor pessoa jurídica paga aproximadamente taxa de 0,99% do valor de transação via PIX, com mínimo de R$ 1 e máximo de R$ 10.

No quesito recebimento, quando ocorre pelo QR Code, paga taxa de 0,99% do valor de transação via PIX, com limite máximo de R$ 140.

Banco BS2

A taxa de envio PIX custa R$ 0,69%, com mínimo de R$ 0,50 e máximo de R$ 4.

Somente é cobrado recebimento via PIX quanto ele é realizado por meio de QR Code. Cobra-se 0,69% sobre o valor da transação; mínimo de R$ 0,50 e máximo de R$ 50.

Bradesco

Publicidade

Publicidade

A instituição chega a cobrar tarifa de 1,40% sobre o valor enviado via PIX, a quantia mínima cobrada é de R$ 1,65 e a máxima, R$ 9.

Quanto ao recebimento, a tarifa cobrada por QR Code é de 1,40% sobre o valor da transação; limite mínimo de R$ 0,90 e máximo de R$ 145.

A depender do acordo estabelecido com o cliente, o banco pode até oferecer isenção de taxa por cerca de seis meses ou, cobrar tarifas menores.

Itaú

O Banco Itaú cobra 1,45% sobre o valor da taxa de transferência via PIX; tarifa mínima de R$ 1,75 e máximo de R$ 9,60.

Publicidade

Em relação ao recebimento, a instituição cobra 1,45% do valor pago via transferência PIX; com tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 150.

Publicidade

Mercado Pago

Aos pequenos vendedores, a fintech anunciou que não realiza cobrança pelas transferências.

Nesse caso, o serviço é cobrado de redes de grande porte, se tratando assim, de negociações específicas.

Santander

O Banco Santander cobra 1% sobre a taxa de transferência via PIX, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10.

Publicidade

Publicidade

Enquanto ao recebimento, se trata de uma ação em que não há taxas de cobranças, ou seja, é uma ação gratuita. Exceto se for realizado pelo QR Code estático ou dinâmico.

Instituições bancárias que não cobram taxas PIX Empresas

  • Banco Mercantil do Brasil;
  • Original;
  • BRB (Banco de Brasília);
  • Banrisul;
  • Banestes;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Cora;
  • C6 Bank;
  • Inter;
  • Cielo;
  • Neon;
  • Nubank;
  • PicPay;
  • PagSeguro;
  • Sicoob.

Fonte: FDR, Folha de S. Paulo

Paulo Victor SilvaEstudante do curso de Jornalismo pela UFES. Dono de uma mente inquieta e curiosa. Além disso, é amante de leitura e apaixonado por música.
Veja mais ›
Fechar