Programa Mais Social no MS: Projeto irá pagar R$ 200 para famílias carentes do estado

O Programa Mais Social no MS pretende pagar um auxílio complementar para famílias em estado de vulnerabilidade no Estado. 

O valor será de R$ 200,00 por mês, complementando assim o valor do novo auxílio emergencial

Para isso, no momento, o Governo do Estado está compilando as informações do CadÚnico, do Governo Federal, para facilitar o cadastro das famílias. A expectativa é que o Governador Reinaldo Azambuja sancione a lei na próxima semana e o texto seja aprovado em, no máximo, 30 dias. 

Segundo a secretária da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho, Elisa Cleia Nobre, uma equipe de 170 pessoas estão trabalhando para liberar, o mais rápido possível, o auxílio: 

“O trabalho interno está sendo feito para quando estiver em vigor o beneficiário seja contemplado o mais rápido possível”, afirmou.

mão segurando notas de dinheiro
Programa Mais Social no MS: Projeto irá pagar R$ 200 para famílias carentes do estado.

Quem poderá participar do Programa Mais Social no MS?

O Programa Mais Social visa atender cerca de 100 mil famílias. Apenas com a pré-análise, já foram identificadas 70 mil famílias em situações de vulnerabilidade social e vulnerabilidade extrema. 

Outras 30 mil famílias já mapeadas são atendidas pelo “Vale Renda”, que concede R$180,00 de auxílio. Essas pessoas serão transferidas gradativamente para o “Mais Social”.

O primeiro critério é estar cadastrado no CadÚnico. Além disso, também é necessário que a renda mínima per capita da família não ultrapasse meio salário mínimo. Ou seja, cada membro da família pode ganhar, no máximo, 550 reais. 

 Outro requisito é que, em famílias com crianças, elas devem estar matriculadas e frequentando a escola. 

Como última etapa do processo, as famílias selecionadas receberão a visita de uma equipe do programa, como explicou Elisa Cleia: 

“A pessoa não tem nenhum lugar para ir. Nós que vamos in loco visitar para confirmar os dados.”

Como será a distribuição do auxílio

Para pagar o auxílio, o governo irá disponibilizar um cartão, do tipo alimentação, vinculado ao Banco do Brasil e vai operar com a bandeira Visa. 

Com ele, será permitido, apenas a compra de alimentos e produtos de higiene. 

Vale ressaltar que a compra de  gasolina, bebidas alcoólicas e produtos com à base de tabaco são proibidos, sob pena de perda do benefício. 

Além disso, é proibido emprestar e utilizar o cartão de terceiros. Por isso, o cartão será entregue na mão do beneficiário pela equipe do programa. 

“Estaremos fiscalizando os gastos. O beneficiário é livre para comprar o que precisa, mas tem que cumprir as regras. O Mais Social é uma resposta para a sociedade que estava cobrando uma posição do governo para a questão alimentar de quem precisa”, disse a secretária Elisa Cleia.

Ela também informou que a expectativa é que o primeiro pagamento seja feito até junho, referente ao mês de maio. 

A boa notícia é que o programa será permanente e terá, ainda, a 13° parcela em dezembro.

Amanda Lino
Jornalista com mais de 8 anos de experiência. Trabalhou como redatora, repórter e produtora na emissora Nossa Rádio FM e produtora na Metropolitana AM, depois foi diretora-geral do conhecido podcast Mamilos, passou por algumas agências de São Paulo e Rio de Janeiro e agora, além de colaboradora da WebGo Content, é Copy Content na In House da divisão agrícola da Bayer e Host/Criadora do podcast "Me Empresta Seus Óculos".
InstagramLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário