Projeto de Lei prevê cota de 30% de profissionais sem experiência nas empresas

Falta de experiência é principal motivo para não contratação. Foto Forbes
Falta de experiência é principal motivo para não contratação. Foto Forbes

A falta de experiência no mercado de trabalho prejudica muitas pessoas conquistarem a tão sonhada vaga de emprego.

Para ajudar essas pessoas se recolocarem no mercado, o vereador Kaká D’Avila (PSBD), através do Projeto de Lei 096/21, iniciou um debate na Câmara Municipal de Porto Alegre.

Publicidade

Publicidade

Falta de experiência é principal motivo para não contratação. Foto: Forbes
Falta de experiência é principal motivo para não contratação. Foto: Forbes

Projeto de Lei incentiva contratação sem experiência

O objetivo do parlamentar é incentivar as contratações de pessoas que não tenham experiência, pelas empresas privadas.

Além disso, os postos de trabalho, promovidos pela administração pública, direta ou indiretamente, terão uma cota destinada a esse público.

O Projeto de Lei visa beneficiar esses profissionais com uma oportunidade, pois os recém-formados encontram grandes dificuldades para inserir-se no mercado de trabalho, após a conclusão dos ensinos médio, técnico e superior no país.

Publicidade

Publicidade

O Projeto de Lei está em discussão no Legislativo da Capital, se aprovado, criará o Programa de Oportunidades de Emprego a Pessoas sem Experiência no Mercado de Trabalho em Porto Alegre e terá maior capacidade normalidade relacionado aos contratos firmados com a esfera pública, através da exigência para as empresas que prestarem serviços no formato terceirizado.

A ideia é disponibilizar quatro vagas para trabalhadores sem experiência, quando se tratarem de até 19 vagas para execução da atividade que foi contratada, e 20% nos casos superiores a 20 vagas.

No entanto, como o programa não terá a capacidade de obrigar a esfera provada a se adequar no formato indicado à esfera governamental, o vereador diz que a PL ajuda a fomentar a consciência de reserva de oportunidades para essas pessoas.

Precisamos discutir, trabalhar e incentivar a conscientização das empresas privadas, principalmente, para uma maior aposta na contratação de pessoas sem experiência”, defendeu o vereador para o Jornal do Comércio.

Principais setores

O texto destaca os principais setores que estão no projeto: comércio em geral, atendimento ao público e área operacional de logística.

Além disso, o parlamentar ressaltou que a crise do emprego agravada pela pandemia de covid-19 é pior para as pessoas sem qualificação e que sua experiência em ter trabalho por alguns anos em agências de emprego, deixam claro essa necessidade.

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas), Paulo Krause, não gostou da ideia que o Projeto de Lei apresentou e fez duras críticas.

É um absurdo um projeto de lei que de alguma forma tente interferir no funcionamento privado, que não incentiva a qualificação profissional e ao mesmo tempo desconhece o funcionamento das empresas”, revelou.

Publicidade

Publicidade

O presidente ressalta que essa é uma das principais portas de entrada para o primeiro emprego e que as empresas, normalmente, oferecem treinamento.

Para eles, os vereadores devem se preocupar em fazer um programa para incentivar a qualificação, e não ir à contramão do que o mercado está demandando, que são as pessoas qualificadas.

Porque contratar profissionais sem experiência?

Nesta matéria vimos os dois lados: quem é contra e quem é favor. Por isso, queremos relatar as vantagens de contratar um profissional sem experiência para ajudar na sua empresa!

Responsabilidade Social

A empresa deve se atentar aos problemas sociais em cascata que a falta de experiência pode causar. Dentre eles, estão famílias com rendas reduzidas e jovens que não conseguem pagar seus estudos devido à falta de emprego.

Profissionais sem vícios

Publicidade

Como o candidato não trabalhou antes, ele não tem vícios na maneira de executar as tarefas. Isso é bom, pois ele estará mais aberto a receber dicas e feedbacks por estar iniciando no mercado de trabalho.

Publicidade

Estímulo aos estudos

A contratação estimula o trabalhador a continuar (ou começar) os estudos, já que ele poderá contar com seu salário.

Aprendizado

Neste caso, não é só o novo funcionário que aprende, mas toda a empresa incluindo seus colaboradores.

A convivência demanda o desenvolvimento do olhar analítico de quem tiver contato direto com o novo colaborador.

Publicidade

Publicidade

Fonte: Jornal do Comércio 

Bruna SantosJornalista com mais de 7 anos de experiência. Atuou como redatora em jornais impressos, sites especializados em moda e agências de comunicação em Mogi das Cruzes, São Paulo e Goiânia. Fez parte da equipe voluntários da ONG Trupe do Riso, cuidando das redes sociais da instituição. Além de colaboradora da WebGo Content, atua na Agência Conect, especializada em comunicação e marketing para profissionais da Saúde.
Veja mais ›
Fechar