Reajuste de 50% no Bolsa Família é prometido para agosto: saiba como vai funcionar

Conheça as novidades previstas para o Bolsa Família

O governo federal deve apresentar a reformulação do Bolsa Família no próximo mês. O ministro da Cidadania, João Roma, anunciou ontem, 28, que o anúncio deve ser realizado por meio de medida provisória.

A previsão é de que o benefício sofra um aumento de 50% ou mais em relação aos valores atuais.

Publicidade

Publicidade

Nesse caso, o valor médio de R$190 poderia chegar a R$285 de acordo com a composição familiar.

Conheça as novidades previstas para o Bolsa Família

Discutimos a finalização da reestruturação dos programas sociais do governo Bolsonaro, que nós pretendemos apresentar no início do mês de agosto através de uma medida provisória, buscando fortalecer a transferência de renda, ampliando a quantidade de beneficiários, mas tornando esses programas não apenas uma teia de proteção para a população em situação de vulnerabilidade como também propiciando novas ferramentas para que essas pessoas possam sim alcançar uma melhor qualidade de vida”, completou Roma.

Anúncio

Apesar da expectativa, Roma afirmou que “tudo isso vai depender obviamente de entendimento com a área econômica em momento oportuno. Neste primeiro momento, o que nós precisamos fazer é a reestruturação dos programas. Existe toda uma operacionalização a ser feita”.

O ministro da Cidadania também mencionou que a ideia do governo é lançar um novo programa de transferência de renda capaz de reunir ações já existentes.

Publicidade

Publicidade

Tal anúncio deverá ser feito em novembro e poderá ampliar o número de beneficiados do Bolsa Família de 14,5 milhões para 17 milhões.

Roma disse ainda que o novo programa poderá utilizar de ferramentas de capacitação e microcrédito, bem como possibilitar desconto na fonte de 30% do valor do benefício a fim de abater empréstimos consignados .

Orçamento

O ministro da Economia, Paulo Guedes, apontou que os cálculos realizados por Roma diante da elaboração do novo programa são “extremamente responsáveis” em termos fiscais.

A manifestação de Guedes é importante, pois para aumentar os gastos com o Bolsa Família é preciso analisar se os valores são possíveis de serem atendidos dentro da lei.

Com isso, o ministro da economia assegurou que os valores são reais e possíveis de serem aplicados em conformidade com as leis de controle de gastos e orçamento.

Eleições

É importante lembrar que 2022 é ano de eleição presidencial e que as recentes medidas tomadas pelo governo Bolsonaro podem influenciar no resultado.

Publicidade

Publicidade

No entanto, mesmo com a implementação de ações relativamente significativas próximo ao fim do mandato, a popularidade de Jair Bolsonaro vem caindo.

De acordo com recente pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte, 48,2% dos brasileiros acham o governo atual “ruim ou péssimo”.

Tal dado representa um crescimento de 12,7 pontos percentuais na reprovação da gestão de Bolsonaro se comparado aos 35,5% que desaprovaram o governo em pesquisa feita em fevereiro deste ano.

A queda da popularidade de Bolsonaro é reforçada em meio a suspeitas de irregularidades em contratos de compra de vacinas que estão sendo investigados pela CPI da Covid.

Publicidade

Além disso, o presidente também está sendo alvo de recorrentes protestos e manifestações que pedem seu impeachment sob tantas outras alegações desde o início do mandato.

Publicidade

Confira mais notícias sobre o Bolsa Família:

Suspensão

Ontem, 28, o Ministério da Cidadania suspendeu mais uma vez os procedimentos operacionais e de gestão do Bolsa Família.

O objetivo da paralisação temporária do é contribuir com as ações de distanciamento social por mais 180 dias.

Publicidade

Publicidade

Sendo assim, estão suspensos os processos de averiguação e revisão cadastral, bem como a aplicação dos efeitos decorrentes do descumprimento das condicionalidades do Bolsa Família.

Vale lembrar que em março de 2020 ocorreu a primeira suspensão dos processos relacionados ao Bolsa Família durante 120 dias pelos mesmos motivos.

Tal medida vem sendo apoiada pela população, pois evita visitas domiciliares e a aglomeração de pessoas para atendimento presencial nos Centros de Referência de Assistência Social e outros postos de atendimento.

É importante mencionar que a suspensão também se aplica aos processos do Cadastro único, da Tarifa Social de Energia Elétrica e do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social.

Auxílio emergencial

Inicialmente, a reformulação do programa social seria realizada assim que a concessão do auxílio emergencial chegasse ao fim, o que era previsto para este mês.

No entanto, no último dia 5 um decreto foi assinado pelo presidente da república, Jair Bolsonaro, liberando a concessão de mais três parcelas, respectivas aos meses de agosto, setembro e outubro.

A prorrogação do auxílio emergencial se deu a fim de assegurar assistência financeira aos brasileiros até que a população adulta esteja completamente imunizada contra o novo coronavírus.

Apesar dos novos pagamentos, o auxílio emergencial não sofrerá alterações em relação aos valores, requisitos e condições de pagamento.

Fontes: Notícias Concursos, Estadão e Ache Concursos.

Julia de PaulaJulia é formada em jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo e, no momento, atua como redatora para o portal NoDetalhe. Ao longo da carreira, a jornalista tem se especializado em produção de conteúdo otimizado para motores de busca e conversão, além de gerenciamento de mídias sociais e marketing digital.
Veja mais ›
Fechar