Rodízio de Água em Curitiba perto do fim. Entenda o que está acontecendo

Chuvas fazem subir o nível do reservatórios que abastecem Curitiba e região, e rodízio de água tem mudanças e pode estar perto do fim.

Nesta segunda-feira (17/01), a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) inicia um novo formato para o rodízio de abastecimento de água em Curitiba e região, que pode estar se aproximando do fim.

A partir de agora, os moradores da capital paranaense e Região Metropolitana terão um dia a mais com água. Isso porque o rodízio passa a ter 84 horas com abastecimento e 36 horas sem.

Publicidade

Publicidade

Segundo a Sanepar, a mudança foi possível por conta das chuvas que aumentaram o nível dos reservatórios que abastecem a região. Com isso, o nível do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana (SAIC) está em 76,92%, muito próximo dos 80% que a companhia considera ideal para encerrar o rodízio.

rodízio de água curitiba
Nível de reservatórios melhoram e rodízio em Curitiba e RMC pode estar perto do fim. Foto: José Fernando Ogura/AEN

Veja também: IPVA 2022 PR: 1ª parcela e pagamento à vista se encerram hoje (17). Veja como pagar

Principais mudanças no sistema de rodízio de água em Curitiba

Conforme a Sanepar anunciou na última sexta-feira (14), o rodízio terá agora um dia a mais de abastecimento de água, passando para 3 dias e meio.

Publicidade

Publicidade

Com isso, ao invés de 60 horas com fornecimento de água, os moradores terão 84 horas de abastecimento. Enquanto isso, o período sem abastecimento permanece em 36 horas.

Entretanto, a Sanepar alerta que duas cidades da Região Metropolitana não terão acesso à mudança: Almirante Tamandaré e Colombo. Nesse caso, o rodízio permanece o mesmo em ambos os municípios.

Isso porque as duas cidades são abastecidas por sistemas isolados, não pelo SAIC. Enquanto o fornecimento em Almirante Tamandaré também é feito pelo Rio Barigui, o abastecimento em Colombo vem de poços do aquífero Karst.

Entenda os motivos e a importância do rodízio

O principal motivo para o dia extra de abastecimento em Curitiba e região é o nível de chuvas neste primeiro mês do ano. Afinal, a capital já ultrapassou 62% da média histórica prevista para janeiro.

Segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), o volume total de água até o último domingo (16) foi de 113,8 mm. Nesse caso, como a média para o mês é de 182,1 mm, se as chuvas continuar frequentes na região, Curitiba pode bater esse índice.

Além disso, o próprio rodízio também ajuda diretamente na melhora do nível dos reservatórios na capital. Afinal, o sistema contém o consumo de água na região, ajudando a evitar o desperdício e o risco de atingir índices alarmantes.

Jornalista, ator profissional licenciado pelo SATED/PR e ex-repórter do Jornal O Repórter. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
FacebookLinkedinTwitterYoutube

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário