Salário de funcionário dos Correios vai mudar após privatização? Saiba o que vai acontecer

Funcionário dos Correios em sua rotina de trabalho
Funcionário dos Correios em sua rotina de trabalho (imagem: reprodução/site Tecmundo)

O texto que permite a privatização dos Correios teve aprovação pela Câmara dos Deputados no início de agosto.

A decisão de vender essa estatal à iniciativa privada tem gerado muitas discussões e polêmicas entre as pessoas que utilizam seus serviços e, principalmente, aos colaboradores da entidade.

Publicidade

Publicidade

Saiba mais a seguir quanto recebem os funcionários dos Correios e o que vai mudar quando ele se privatizar.

Salário de cargos de funcionários dos Correios

Funcionário dos Correios em sua rotina de trabalho
Funcionário dos Correios em sua rotina de trabalho (imagem: reprodução/site Tecmundo)

Selecionamos abaixo o cargo e salário de cada funcionário dos Correios:

Setor administrativo

  • Agente: R$ 1.891,00;
  • Atendente: R$ 1.754,00;
  • Atendente comercial: R$ 1.608,00;
  • Auxiliar Administrativo: R$ 3.888,00;
  • Assistente administrativo: 45.618,00;
  • Auxiliar: R$ 29.350,00;
  • Auxiliar operacional: R$ 2.180,00;
  • Recepcionista: R$ 1.342,00.

Produção e fábrica

  • Auxiliar de produção: R$ 1.180,00;
  • Operador: R$ 1.344,00;
  • Operador de produção: R$ 1.700,00;
  • Produção: R$ 1.600,00;
  • Supervisor de operações: R$ 3.000.

Varejo

  • Atendente: R$ 1.754,00;
  • Atendente comercial: R$ 1.608,00;
  • Caixa de loja: R$ 1.295,00;
  • Lojistas: R$ 1.645,00.

Logística

  • Auxiliar de logística: R$ 1.319,00;
  • Entregador: R$ 1.450,00;
  • Motorista: R$ 2.207,00;
  • Motorista de entrega: R$ 2.574,00;
  • Operador de logística: R$ 1.500,00.

Vendas

  • Agente: R$ 1.891,00;
  • Assistente comercial: R$ 2.159,00;
  • Agente de vendas: R$ 1.834,00;
  • Executivo comercial: R$ 1.500,00;
  • Representante comercial: R$ 2.000,00.

O que vai mudar após a privatização dos Correios?

Embora tenha sido aprovado pela Câmara dos Deputados, o projeto acerca da privatização dos Correios precisa de aprovação do Senado. O texto expõe que a cartela atual de colaboradores não poderá ser demitida sem justa causa por 18 meses.

Publicidade

Publicidade

De acordo com Joelson Sampaio, professor da FGV EESP – Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas –, pelo fato de os funcionários já terem contratos de trabalho já definidos, é pouco provável ocorrer impacto em seus salários.

Para Joelson, o futuro salarial da companhia ainda vai ser decidido, podendo ser criado um plano de demissão voluntária.

Entretanto, se a organização seguir o que estabelece o projeto, a demissão voluntária deve funcionar possuindo período de adesão de 180 dias, contados a partir da privatização.

Além disso, os colaboradores que aderirem vão ter direito a indenização que conferirá 12 meses de salário, plano de requalificação profissional e plano de saúde.

As agências dos Correios correm riscos de serem fechadas?

Em vista do texto aprovado, as agências devem ficar abertas e se prestarem a realizar serviço postal em locais remotos de todo o país.

Isso significa que, embora o município possua baixa atratividade econômica, a empresa responsável pelos Correios deve manter a agência na respectiva cidade.

Publicidade

Publicidade

Desta forma, a empresa que detiver posse dos Correios é obrigada a manter a entrega de cartas a todo o país.

Exclusividade da empresa que comparar os Correios

À organização compradora dos Correios possuirá exclusividade mínima de cinco anos a respeito dos serviços postais, como, cartão postal, carta, telegrama, além de outras correspondências.

O documento assinalado após a privatização (contrato de concessão do serviço) poderá ainda estabelecer um prazo superior a cinco anos.

Serviços da empresa privada

Entrega de encomendas e demais atividades, são serviços que a empresa compradora dos Correios tem a liberdade de definir condições e preços.

Entidade responsável pelo setor postal

Publicidade

Quem se responsabilizará em regular e fiscalizar o âmbito postal (telegrama, cartas e outras correspondências) vai ser a Agência Nacional de Telecomunicações e Serviços Postais, atualmente conhecida como ANATEL — Agência Nacional de Telecomunicações.

Publicidade

Espera-se que com a privatização dos Correios os serviços até então oferecidos tendem a melhorar, e não o contrário.

Fontes: Uol, Indeed

Paulo Victor SilvaEstudante do curso de Jornalismo pela UFES. Dono de uma mente inquieta e curiosa. Além disso, é amante de leitura e apaixonado por música.
Veja mais ›
Fechar