Brasil já aplicou 115 milhões de doses de vacinas contra covid:19: veja os percentuais

Quatro vacinas estão sendo administradas no Brasil a fim de imunizar a população contra à Covid-19.

Entre elas estão a CoronaVac, Oxford/AstraZeneca e Pfizer/BioNTech que indicam duas aplicações dos imunizantes e a Janssen que recomenda apenas uma dose.

Publicidade

Publicidade

Vacinas aplicadas

Desde janeiro deste ano, quando começou o processo de vacinação, até ontem, 12 de julho, o Brasil registrou mais de 115 milhões de aplicações considerando a primeira e a segunda dose, bem como as doses únicas.

Consórcio entre veículos de comunicação é responsável por coletar os dados apresentados

De acordo com os dados é possível afirmar que o número de brasileiros que estão completamente protegidos contra o novo coronavírus chegou a 14,61%. 

Sendo assim, aproximadamente 30.936.587 de pessoas foram vacinadas até ontem. Somente hoje já foram aplicadas cerca de 1.245.676 doses.

Publicidade

Publicidade

Regiões

Para se ter uma ideia de onde se encontram as pessoas vacinadas, os dados apontam que o estado do Amapá é o único que ainda tem menos de 10% da população imunizada com duas doses ou dose única.

Ou seja, apenas 9,21% das pessoas que vivem no estado estão realmente protegidas contra o coronavírus.

Já os estados que apresentaram o maior número de população imunizada foram Mato Grosso do Sul com 27,34%, Rio Grande do Sul com 19,81% e Espírito Santo com 16,98%.

Panorama

A fim de sabermos o total de vacinas por estados, os governos divulgaram o percentual em relação à população. Veja:

  • AC: 1ª dose – 308.052 (34,44%); 2ª dose – 95.184 (11,36%; dose única – 6.386;
  • AL: 1ª dose – 1.134.976 (33,86%); 2ª dose – 395.745 (13,07%; dose única – 42.157;
  • AM: 1ª dose – 1.668.884 (39,66%); 2ª dose – 570.124 (14%; dose única – 19.158;
  • AP: 1ª dose – 221.696 (25,73%); 2ª dose – 74.289 (9,21%; dose única – 5.104;
  • BA: 1ª dose – 5.416.576 (36,28%); 2ª dose – 1.977.031 (14,64%; dose única – 208.374;
  • CE: 1ª dose – 3.543.226 (38,57%); 2ª dose – 1.203.861 (14,39%; dose única – 118.483;
  • DF: 1ª dose – 1.081.696 (35,41%); 2ª dose – 368.426 (13,16%; dose única – 33.729;
  • ES: 1ª dose – 1.797.396 (44,23%); 2ª dose – 608.219 (16,94%; dose única – 80.255;
  • GO: 1ª dose – 2.577.802 (36,24%); 2ª dose – 850.045 (11,95%; dose única – 0;
  • MA: 1ª dose – 2.548.859 (35,83%); 2ª dose – 699.864 (10,71%; dose única – 61.798;
  • MG: 1ª dose – 7.980.595 (37,48%); 2ª dose – 2.801.016 (13,51%; dose única – 75.973;
  • MS: 1ª dose – 1.258.320 (44,79%); 2ª dose – 559.918 (27,34%; dose única – 208.053;
  • MT: 1ª dose – 1.126.223 (31,94%); 2ª dose – 348.459 (11%; dose única – 39.458;
  • PA: 1ª dose – 2.742.766 (31,56%); 2ª dose – 1.294.971 (14,9%; dose única – 0;
  • PB: 1ª dose – 1.545.963 (38,27%); 2ª dose – 544.026 (14,64%; dose única – 47.297;
  • PE: 1ª dose – 3.574.642 (37,17%); 2ª dose – 1.132.223 (13,31%; dose única – 147.384;
  • PI: 1ª dose – 1.134.059 (34,56%); 2ª dose – 378.531 (12,2%; dose única – 21.670;
  • PR: 1ª dose – 4.866.807 (42,26%); 2ª dose – 1.404.099 (13,79%; dose única – 183.956;
  • RJ: 1ª dose – 6.481.469 (37,32%); 2ª dose – 2.297.620 (14,26%; dose única – 179.074;
  • RN: 1ª dose – 1.325.675 (37,51%); 2ª dose – 476.005 (13,47%; dose única – 0;
  • RO: 1ª dose – 584.492 (32,54%); 2ª dose – 188.526 (10,49%; dose única – 0;
  • RR: 1ª dose – 175.256 (27,77%); 2ª dose – 66.404 (10,52%; dose única – 0;
  • RS: 1ª dose – 5.357.966 (46,91%); 2ª dose – 2.036.554 (19,81%; dose única – 226.184;
  • SC: 1ª dose – 3.065.512 (42,27%); 2ª dose – 1.007.097 (13,89%; dose única – 0;
  • SE: 1ª dose – 903.290 (38,95%); 2ª dose – 285.196 (13,78%; dose única – 34.366;
  • SP: 1ª dose – 21.686.048 (46,85%); 2ª dose – 6.563.816 (15,9%; dose única – 796.123;
  • TO: 1ª dose – 520.116 (32,71%); 2ª dose – 156.681 (10,85%; dose única – 15.880.

Vale ressaltar que os dados foram obtidos até ontem, 12 de julho.

Dados

Todos os dados mencionados anteriormente foram divulgados pelo consórcio de comunicação realizado entre veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra.

Publicidade

Publicidade

A iniciativa veio em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro em restringir o acesso a dados sobre a pandemia da Covid-19.

Dessa forma, os canais se uniram para buscar as informações necessárias diretamente com as secretarias estaduais de saúde de todos os estados, incluindo o Distrito Federal.

Vacinômetro

Além da iniciativa dos veículos de comunicação, os próprios governos estaduais decidiram divulgar os dados relativos ao processo de imunização em canais denominados como vacinômetro.

Tais plataformas atuam como um banco de dados capaz de registrar informações como a quantidade de pessoas vacinadas. Alguns deles podem ser consultados abaixo:

Publicidade

O processo de imunização desses e de outros estados também pode ser acompanhado pelo vacinômetro do Sistema Único de Saúde que pode ser acessado aqui.

Publicidade

Fontes: G1, UOL e Agência Brasil.

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.
Linkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário