Vai dar para fazer PIX pelo Whatsapp a partir de agosto de 2021

Whatsapp Pay vai aceitar PIX
Whatsapp Pay vai aceitar PIX | Imagem: No Detalhe

O Banco Central divulgou mais uma novidade para o PIX em 2021: vai dar para fazer transferências pelo Whatsapp. 

Segundo o pronunciamento da instituição realizado na última quinta-feira, 22 de julho, a ideia de integrar os serviços é facilitar pagamentos instantâneos para os comércios online e empresas que fazem uso do PIX e já atendem os clientes por meio do Whatsapp.

Publicidade

Publicidade

A previsão é que a novidade seja liberada para teste dos usuários no dia 30 de agosto de 2021. 

Whatsapp Pay vai aceitar PIX
Whatsapp Pay vai aceitar PIX | Imagem: No Detalhe

Como vai funcionar o PIX pelo Whatsapp?

Para conseguir fazer o pagamento do PIX pelo Whatsapp o usuário precisará ter uma chave PIX cadastrada e também ter realizado uma conta no Whatsapp Pay.

Neste caso, o Whatsapp serve somente como um intermediador do processo, já que a transferência é realizada pelo sistema do Banco Central, pelo aplicativo do PIX. 

Publicidade

Publicidade

Ou seja, ao conversar com um contato do Whatsapp o pagamento poderá ser iniciado a partir do aplicativo de mensagens, sem precisar abrir o app do banco.

Assim, o usuário tem a sensação de que todo o processo de pagamento é feito pelo Whatsapp. Nas a verdade é que a integração dos serviços permite que o aplicativo mensageiro disponibilize as páginas dos processos: informar o valor, a chave do remetente, destinatário e a autentificação. É o mesmo processo que anexar uma foto.

Carlos Eduardo Brandt, chefe de Gerência de Gestão e Operações do PIX no Banco Central explica o funcionamento:

 Assim que eu autorizar a transferência, eu vou autenticar no ambiente do aplicativo do banco A e automaticamente esse aplicativo de mensagem chama o aplicativo do banco A. Depois que autenticar, o dinheiro cai automaticamente na conta corrente ou de poupança do recebedor”, explicou Carlos Eduardo Brandt, chefe de Gerência de Gestão e Operações do PIX no Banco Central em entrevista à Exame.

Outra vantagem de conectar os dois serviços é que o usuário consegue fazer e receber transferências ainda mais rápido, já que pode unificar o pagamento e a conversa num único aplicativo que não precisa nem de login.

Se eu estiver conversando em um aplicativo de mensagens com você e quiser te mandar um Pix, eu tenho que sair do aplicativo de mensagens, entrar no aplicativo do meu banco, colocar minha senha, procurar um ambiente Pix, colocar a chave Pix, autenticar e confirmar”,  exemplifica Breno Lobo, da Gerência de Gestão e Operação do Pix do Banco Central.

Até o momento, o BC já fez uma parceria com o Whatsapp para conseguir a liberação para ser um emissor de valores.  Agora, a plataforma precisa iniciar a operação que permite a inclusão do PIX, assim como já liberou para outras instituições financeiras, como o Nubank. 

Confira outras notícias sobre o PIX

Como fazer uma cobrança PIX para um cliente no Whatsapp

  1. Faça o cadastro no Whatsapp Pay para liberar o uso do seu PIX por meio do aplicativo;
  2. No aplicativo será possível incluir o PIX como forma de pagamento, assim como já é possível cadastrar conta-corrente de bancos;
  3. Na conversa com seu cliente, no momento de pagar a compra, o cliente poderá solicitar a opção de enviar uma transferência PIX;
  4. Ao escolher pela opção o cliente será redirecionado para uma tela da instituição bancária onde tem o PIX cadastrado. Lá deverá ser feita autenticação e transferência do valor combinado;
  5. Ao finalizar a transação o comprovante é enviado diretamente para a conversa no Whatsapp.
Publicidade

Publicidade

O Whatsapp Pay não tem custo nenhum, mas tem algumas limitações. São elas:

  • Limitado a pagamentos de até R$ 1 mil por operação;
  • Limite mensal de R$ 5 mil entre enviados e recebidos;
  • Permite até 20 transações por dia.

Gostou da novidade? Então confira aqui como fazer cadastro no Whatsapp Pay. 

Confira mais notícias sobre o Whatsapp Pay

Fonte: Exame

Rafaela Trevisan CortesJornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e especialista em Negócios Digitais. Tem mais de 600 artigos publicados em sites dos mais variados nichos e quatro anos de experiência em marketing digital. Em seus trabalhos, busca usar da informação consciente como um instrumento de impacto positivo na sociedade.
Veja mais ›
Fechar