Vale-refeição vai acabar? Saiba como a reforma do imposto de renda impacta os benefícios dos trabalhadores

A reforma do Imposto de Renda fala no fim de alguns benefícios dos trabalhadores, como o vale-alimentação/vale-refeição.

A proposta do fim do pagamento de vale-alimentação e vale-refeição foi incluída pelo deputado Celso Sabino (PSDB-PA). Segundo ele, o pedido é uma forma de compensar as perdas de arrecadação das alíquotas do IRPJ (Imposto de Renda Para Pessoas Jurídicas) que será alterada de 25% para 12,5%.





Atualmente, este tipo de vale não é obrigatório por lei. Mas as empresas que pagam o benefício a seus funcionários recebem isenções na declaração do imposto de renda, obtendo taxas de tributação reduzidas.

Com a reformulação da declaração do imposto de renda, o governo propõe acabar com a isenção ligada a este tipo de benefícios trabalhistas, o que inclui o vale-alimentação e refeição.

A perda de vantagens para o empregador fará com que haja o corte em massa deste benefício já consolidado.





Fim do vale alimentação
Reforma tributária pode dar fim no vale-refeição | Imagem: No Detalhe

Impacto do corte do vale-alimentação

O corte do incentivo fiscal às empresas que disponibilizam os vales refeições e alimentação aos colaboradores de empresas pode gerar um impacto na saúde de 22 milhões de profissionais atendidos pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).

Caso a proposta seja aprovada, o corte dos benefícios não será imediato. Ele vai ocorrer somente após o fim da vigência dos contratos firmados entre empresas e as operadoras dos benefícios.

A diretora-executiva da Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT), Jéssica Srour, explica como vai funcionar:

O que existe hoje, a depender do seu prazo de validade, deve permanecer até o fim, porque, mesmo que saia o decreto, isso não vai romper com o contrato já estabelecido entre as partes”, disse em entrevista à Record.

Ainda não há uma data confirmada para que a reforma tributária entre em vigor, por isso, estima-se que as empresas iniciariam o corte dos vales entre 2022 e 2023.

Conforme o Ministério da Economia há cerca de 280 mil empresas que ofertam vale-refeições para 22,3 milhões de trabalhadores.

Com a isenção do pagamento,o governo estima arrecadar R$ 1,4 bilhões ao concretizar a reforma do imposto de renda em 2022. O aumento de arrecadação será ainda maior em 2023, com um aporte de 1,5 bilhões aos cofres públicos.





Em troca do enriquecimento da União, não é só o trabalhador que sairá perdendo. A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABBR) também se manifestou contra a proposta ao prever um impacto negativo para o setor.

De acordo com Paulo Solmucci,  presidente da ABBR, uma parte significativa do faturamento de bares e restaurantes provém destes valores que o trabalhador tem disponível para gastar.

Tendo em vista estes efeitos, até grandes redes como Sodexo, Alelo e Ifood entram para a lista de instituições que terão perdas com a aprovação da proposta.

Como funciona o vale-refeição e vale-alimentação atualmente

A legislação trabalhista não prevê a obrigatoriedade de pagamento de vale-alimentação ou vale-refeição.



Entretanto, estes benefícios se consolidaram como uma forma de estimular os colaboradores, sobretudo aqueles que cumprem uma jornada de trabalho de 8 horas diárias.



Os sindicatos e instituições vinculadas aos trabalhadores costumam exigir das empresas que este benefício seja pago aos colaboradores.

Sendo assim, a disponibilização de vales presentes, alimentação, refeição e outros tipos de cupons ficam à critério da empresa empregadora, sem intermediação do Ministério do Trabalho.

Fonte: UOL, CNN

Avatar
Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e pós-graduanda em Negócios Digitais. Tem mais de 600 artigos publicados em sites dos mais variados nichos e quatro anos de experiência em marketing digital. Em seus trabalhos, busca usar da informação consciente como um instrumento de impacto positivo na sociedade.
InstagramLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário