Vazamento de informações: veja dicas para proteger seus dados pessoais

O vazamento de informações fez com que o número de CPFs ultrapassasse a quantidade de brasileiros, que é de aproximadamente 212 milhões de habitantes.

Além desses documentos, também foram expostos outros dados pessoais, como por exemplo, o nome completo e a foto de perfil.

Quer saber mais sobre isso? Preparamos um post com os detalhes essenciais para que você fique por dentro do assunto! Saiba mais a seguir.

Os riscos que se corre com o vazamento de informações

Tela de cor preta composta por códigos binários de cor clara e um cadeado azul ao centro
Proteja seus dados contra o vazamento de informações. (Reprodução: Prefeitura de Curitiba)

Com o CPF exposto, você pode ser vítima de compras indevidas e ter a sua privacidade violada. Confira os riscos que você pode estar correndo com o vazamento de dados próprios.

1. Phishing

O phishing nada mais é do que uma forma de praticar o roubo de dados confidenciais, ludibriando as pessoas a ponto de elas compartilharem as informações pessoais.

Geralmente, isso é feito com o envio de e-mails ou mensagens pelo WhatsApp com promoções fora do comum e descontos duvidosos.

Além disso, o phishing utiliza mensagens de texto que conseguem fazer com que a vítima fique com medo.

Assim, a pessoa amedrontada segue o que está sendo pedido, clica no link do site e ao fazer isso, na imitação do site legítimo, é convidada a se cadastrar. E é neste momento de cadastro que os dados são roubados.

2. Identidade roubada

Essa ação pode ser feita tendo apenas o número do CPF da vítima em mãos. Assim, com os fraudadores podem usar o documento de forma indevida.

Com esse documento, se torna possível o acesso ao nome completo e outros dados confidenciais que permitem a abertura de contas bancárias, fora a solicitação de cartões de crédito e empréstimos.

3. Dívidas inesperadas

Por meio da identidade roubada, pode acontecer o aparecimento de compras em lojas que a pessoa nem se quer conhece.

Desse modo, na maioria das vezes, a vítima só consegue descobrir quando é informada de que seu nome está negativado.

4. Saque do FGTS pelo vazamento de informações

Além de estar sujeito a obter dívidas inesperadas, os fraudadores podem utilizar o CPF para outras ações.

Nesse caso, um golpista pode acessar o site do governo, criar um login e uma senha para em seguida sacar o FGTS indevidamente.

5. Empresas na posse de suas informações

Certos estabelecimentos, caso o cliente consinta, podem fazer uso dos dados pessoais fornecidos.

Em vista disso, na dúvida entre permitir ou não que os seus dados sejam utilizados, o aconselhável é não deixar.

Dicas para manter a segurança de seus dados financeiros contra o vazamento de informações

1. Estabelecimentos conhecidos são mais confiáveis

Antes mesmo de comprar aquele item que tanto deseja, é importantíssimo verificar a política de segurança e proteção de dados do estabelecimento em questão.

Então, o ideal é somente passar informações pessoais caso tenha conhecimento sobre reputação da organização.

2.  Atenção às compras online

Se você procurou por toda a cidade e só encontrou o produto na internet, antes de efetuar sua compra, é preciso tomar alguns cuidados.

Assim, dê uma configurada nas informações de segurança e privacidade do banco que possui conta e do site ou e-commerce que deseja comprar.

Além disso, ative a verificação, para as redes sociais e serviços de Internet Banking, em duas etapas.

Desta forma, você vai estar precavido caso alguma empresa queira utilizar os seus dados pessoais.

3. Cadastramento de chave PIX

Entre as opções de cadastro de chave PIX, está a utilização do CPF. Neste caso, evite utilizar esse documento. É preferível que escolha a chave aleatória para as transações financeiras.

O que fazer em caso de vazamento de informações?

Diante disso, munido de provas que apontem para o vazamento, é recomendável que a vítima se dirija a um departamento de polícia para fazer o registro de um Boletim de Ocorrência.

Em caso de dano moral ou patrimonial, a vítima tem a liberdade de promover uma denúncia junto à ANPD — Autoridade Nacional de Proteção de Dados — e assim, abrir uma ação judicial.

Paulo Victor Silva
Estudante do curso de Jornalismo pela UFES. Dono de uma mente inquieta e curiosa. Além disso, é amante de leitura e apaixonado por música.
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário