Revelada a MENOR TAXA para FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO; veja a lista

Alexandre G. Peres

27/07/2022

Um levantamento recente apurou as taxas de juros de financiamento imobiliário em grandes bancos disponíveis no Brasil, como Santander, Caixa, Itaú etc., que recentemente fizeram reajustes para adequar as taxas de financiamento à Taxa Selic, a chamada “taxa básica de juros”, que controla e influencia todas as taxas de juros do país.

Usada para controlar a inflação, a Taxa Selic está atualmente em alta: 13,25%. Por conta desse aumento, os juros de financiamento imobiliário subiram um pouco nos últimos meses, o que fez com que o financiamento de um imóvel também se tornasse um pouco mais caro.

Se você está pensando em financiar um imóvel, é importante conhecer a lista com as menores taxas de juros praticadas atualmente no Brasil dentre os grandes bancos. Confira a seguir e saiba bem onde você está colocando seu dinheiro!

Taxas de financiamento imobiliário com a Selic a 13,25%

O levantamento a seguir, feito pelo Valor Investe em parceria com o Melhortaxa e o Credihome, leva em consideração as taxas de juros dos cinco principais bancos com presença no Brasil: Santander, Caixa, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil. Veja a lista:

  • Santander: a partir de 9,49% ao ano + Taxa Referencial
  • Caixa: a partir de 8,7% ao ano + Taxa Referencial
  • Caixa IPCA: a partir de 3,95% ao ano + Inflação IPCA
  • Caixa Poupança: a partir de 2,80% ao ano + rentabilidade da poupança (6,17% ao ano + Taxa Referencial)
  • Caixa Prefixado: a partir de 9,75% ao ano
  • Itaú: a partir de 9,50% ao ano + Taxa Referencial
  • Itaú Poupança: a partir de 3,45% ao ano + rentabilidade da poupança (6,17% ao ano + Taxa Referencial)
  • Bradesco: a partir de 9,50% ao ano + Taxa Referencial
  • Bradesco Poupança: a partir de 9,16% ao ano + Taxa Referencial
  • Banco do Brasil: a partir de 9,15% ao ano + Taxa Referencial

A Taxa Referencial, presente na maior parte desses financiamentos, é uma taxa usada como indicador para corrigir os valores ao longo do tempo, o que faz crescer o montante a ser pago no fim das contas. A chamada “Inflação IPCA“, presente no financiamento da Caixa IPCA, funciona de forma semelhante: é uma taxa de referência usada para o cálculo de juros de financiamentos imobiliários; ela costuma ser menor, mas é bem menos previsível que a TR, o que pode fazer com que o barato saio caro.

Além disso, outros valores, além da taxa de juros, são adicionados ao total, levando em consideração seguros obrigatórios e tarifas. Por isso, é sempre importante consultar o Custo Efetivo Total (CET) do financiamento.

Porém, vale lembrar que as taxas de juros mencionadas acima são as taxas mínimas cobradas por cada banco. Estas taxas mínimas são geralmente voltadas a clientes de longa data das instituições, que possuem uma boa relação com o banco, pagando as contas em dia, centralizando seus investimentos e depósitos nele etc. Ao contratar um financiamento a partir de qualquer uma das instituições mencionadas, é bem provável que você pague uma taxa de juros maior do que a informada acima.

Com informações de Valores Investe.

Você também pode gostar de ler:
EMPRÉSTIMO CONSIGNADO da CAIXA dispensa avalista: conheça e contrate!

Alexandre G. Peres
Escrito por

Alexandre G. Peres

Editor, redator e revisor da WebGo Content, graduado em Letras – Português/Inglês. Tem experiência com redação, revisão e editoração de textos para Web.

0

Aguarde, procurando sua resposta