Candidato promete CORRIGIR problema antigo do SALÁRIO MÍNIMO; entenda

Candidato promete CORRIGIR problema antigo do SALÁRIO MÍNIMO; entenda
Entenda qual é a proposta de "aumento real" do salário mínimo. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Em diferentes eventos realizados durante esta semana, o ex-presidente Lula (PT) voltou a afirmar que pretende aumentar o salário mínimo acima da inflação todos os anos.

Desde o início do atual governo, os reajustes no salário mínimo servem apenas para repor as perdas com a inflação do ano anterior, ou seja, não oferecem o chamado “aumento real”, conforme explicaremos no texto abaixo.

Publicidade

Publicidade

Qual é o aumento no salário mínimo proposto por Lula?

Em evento com apoiadores na última terça-feira (02/08), o candidato à presidência afirmou que, se for eleito, “o salário mínimo vai voltar a aumentar todo ano acima da inflação”.

O discurso de Lula se refere à política de valorização do salário mínimo executada durante os governos petistas, quando os aumentos incluíam a reposição da inflação e um acréscimo conforme o crescimento do PIB.

Com isso, o salário mínimo tinha o chamado “aumento real”. Ou seja, além de cobrir as altas nos preços de produtos e serviços durante o ano anterior, o reajuste também ajudava a aumentar o poder de  compra dos brasileiros.

Publicidade

Publicidade

Como funciona o reajuste atualmente?

No governo Bolsonaro, o aumento no salário mínimo segue a política de reposição do poder de compra, acompanhando a inflação. Isso significa que o reajuste só cobre a alta no custo de vida do brasileiro.

No caso do salário mínimo deste ano (R$ 1.212), por exemplo, o aumento de 10,18% serviu para repor o INPC, índice que mede a variação do custo de vida no país, que subiu 10,16% em 2021.

Diante desse contexto, o reajuste no salário mínimo é um dos principais pontos abordados por Lula, que promete aumentos reais em um eventual retorno à presidência.

Além disso, o ex-presidente também tem falado em manter o Auxílio Brasil de R$ 600 em 2023. Lula voltou a tocar no assunto nesta quarta-feira (03), afirmando que Bolsonaro aumentou o benefício até o final do ano porque “acha que o povo é gado”. Segundo ele, os beneficiários devem “dar uma banana” para o presidente na hora de votar.

Felipe MatozoJornalista, ator profissional licenciado pelo SATED/PR e ex-repórter do Jornal O Repórter. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
Veja mais ›
Fechar