Empréstimo do Caixa Tem. Será mesmo que vale a pena?

No final de setembro, a Caixa lançou um programa de microcrédito que ficará disponível para até 100 milhões de pessoas. Com a iniciativa, os interessados podem contratar um empréstimo de R$ 300 a R$ 1.000 pelo aplicativo Caixa Tem, mas será que vale a pena?

Com um prazo de até 24 meses para pagar e uma taxa de juros de 3,99% ao mês em ambas as modalidades disponíveis, alguns economistas fazer alertas em relação à linha de microcréditos do banco.

Publicidade

Publicidade

A seguir, você confere algumas opiniões de especialistas sobre o chamado “empréstimo do Caixa Tem” para definir se vale a pena contratar o crédito disponibilizado pelo programa.

Conta Digital no aplicativo Caixa Tem
Empréstimo de R$ 300 a R$ 1.000 poderá ser contratado diretamente no app Caixa Tem | Imagem: No Detalhe

Veja também: Empréstimo no Caixa Tem negado – tem como solicitar de novo?

Como funciona o empréstimo do Caixa Tem?

Antes de conferir análises de economistas, vale explicar sobre o funcionamento do programa de microcrédito.

Publicidade

Publicidade

Pelo aplicativo Caixa Tem, são dois tipos de empréstimos disponíveis para os usuários: o Pessoal e o Produtivo. Enquanto o primeiro é recomendado para despesas pessoas, conforme o nome já indica, o segundo é indicado para pequenos negócios. Nesse caso, MEIs e autônomos também têm direito ao programa.

Como já adiantamos, os valores disponíveis para contratação pelo aplicativo variam de R$ 300 a R$ 1.000, com taxa de juros de 3,99% ao mês e até 24 meses para quitar. Mas os valores liberados para cada usuário dependerão do seu histórico financeiro, ou seja, haverá uma análise de crédito antes da liberação do valor.

Além disso, os usuários do aplicativo precisam estar com o cadastro no Caixa Tem atualizado para ter acesso aos empréstimos. Mas por conta do grande número de usuários (mais de 106 milhões de pessoas), não é possível fazer esta atualização a qualquer momento.

A Caixa irá liberar essa função aos poucos, seguindo um calendário que acompanha o mês de nascimento dos usuários. Para conferir como funciona esse calendário, basta conferir o nosso texto sobre como pedir o empréstimo pelo aplicativo.

Entretanto, é importante destacar que o calendário para novos usuários do Caixa Tem não será o mesmo. Nesse caso, o calendário de atualizações começa no dia 8 de novembro para nascidos entre janeiro e junho.

Mas os dois calendários ficarão iguais a partir de 29 de novembro, quando nascidos em julho e agosto poderão fazer a atualização.

Quem pode contratar?

Publicidade

Publicidade

O empréstimo do Caixa Tem ficará disponível para profissionais autônomos (trabalhadores sem carteira assinada), beneficiários de programas sociais e de políticas de distribuição de renda, além de assalariados.

Após a atualização cadastral no aplicativo, que transformará a Poupança Social Digital Caixa em “Poupança Digital+”, o usuário já poderá solicitar o crédito.

Entretanto, o empréstimo do Caixa Tem não será disponibilizado para pessoas com o nome negativa no Serasa e SPC. Além disso, beneficiários do Bolsa Família também não terão direito ao programa. Segundo a Caixa, isso acontece porque o processo de atualização cadastral necessário no app cancela o cartão do benefício Bolsa Família.

Vale a pena contratar o empréstimo do Caixa Tem?

Conforme destaca um aviso no próprio aplicativo Caixa Tem, é importante fazer as contas para saber se o valor das parcelas cabe no bolso antes de contratar um empréstimo para manter os pagamentos em dia.

Publicidade

Até porque a taxa de juros do empréstimo é considerada muito elevada para o público de baixa renda, de acordo com o economista Alex Araújo. Em um ano, a taxa chega a quase 48%.

Publicidade

Segundo Araújo, a contratação desse crédito sem trabalhar a educação financeira dos usuários pode levar a um superendividamento das famílias”. Para ele, o recomendado é avaliar modalidades com juros menores, como microcrédito e crédito consignado, antes de contratar o empréstimo do Caixa Tem.

Para a especialista em Finanças Myrian Lund, professa do MBA da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a medida voltada às famílias de baixa renda irá aumentar o endividamento dos brasileiros, problema que bateu níveis recordes neste ano.

Além disso, Lund avalia que escolha do momento para liberar a nova linha de crédito mostra os planos do governo com a iniciativa. Isso porque o período coincide com o fim dos pagamentos do Auxílio Emergencial, o que representa uma tentativa de estimular o consumo e evitar que o Produto Interno Bruto (PIB) caia ainda mais.

A  economia deixando de crescer é um inconveniente para o governo. (O programa de crédito) É uma forma de tentar manter o PIB com essa população consumindo. As pessoas têm que ter algum consumo para sustentar o PIB. Vejo hoje essa medida de tentar segurar a economia, com juros subindo, a inflação lá em cima, um quadro negativo para a economia do país”, afirmou Lund ao Extra.

Publicidade

Publicidade

Portanto, é muito importante considerar suas condições atuais e se realmente há necessidade de contratar um empréstimo antes de fazer esta opção.

Fontes: Extra e FDR.

Felipe Matozo
Jornalista formado pelo Centro Universitário Internacional Uninter, repórter do Jornal O Repórter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário