Salário mínimo em 2023: qual será o valor? Terá aumento?

Elouise Lopes

30/05/2022

Um dos assuntos que têm ganhado destaque entre os brasileiros nas últimas semanas é o salário mínimo, que deverá sofrer reajuste no ano de 2023.

Muitos trabalhadores se perguntam se o valor irá aumentar e se será suficiente para as necessidades básicas da população.

Nesta matéria do NoDetalhe, você fica sabendo como é calculado o salário mínimo atualmente, se haverá aumento no valor do salário mínimo no ano de 2023, qual será o valor e mais. Confira!

Como é calculado o salário mínimo atualmente?

Salário mínimo em 2023: qual será o valor? Terá aumento?

Em 2023, o valor do salário mínimo deverá sofrer reajuste. Fique sabendo se haverá aumento no piso salarial, qual será e mais! (Imagem: Pixabay/Divulgação)

O último reajuste referente à forma como o salário mínimo é calculado aconteceu ainda no ano de 2020, quando a fórmula de cálculo do salário mínimo mudou. Para esse reajuste, apenas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foi levado em conta, sendo utilizado como o referencial de reajuste. Por sua vez, o Produto Interno Bruto (PIB) caiu no esquecimento.

Isso quer dizer que a forma como o salário mínimo é calculado atualmente considera os avanços da inflação, de modo que o trabalhador não perca o poder de compra.

Conforme previsto pela Constituição Federal, o trabalhador deve poder ter, por meio do salário mínimo, acesso a:

  • Moradia
  • Alimentação
  • Educação
  • Saúde
  • Lazer
  • Vestuário
  • Higiene
  • Transporte
  • Previdência Social.

Ou seja, a principal função do salário mínimo é garantir condições dignas para a população. Porém, o trabalhador não tem ganhos reais com a forma como o salário mínimo é calculado atualmente, considerando apenas o INPC e esquecendo o PIB, que reflete a soma das riquezas produzidas no país de dois anos anteriores.

O salário mínimo vai aumentar em 2023?

O Governo Federal fixou o salário mínimo em R$ 1.212, com base na Medida Provisória 1.091/2021, que também determina que o valor diário do salário mínimo corresponde  a R$ 40,40, e o valor horário, a R$ 5,51.

Ainda no mês de abril deste ano, governo federal enviou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), que estima que a inflação do país deve acumular em uma alta de 6,7% no decorrer deste ano.

Neste mês de maio, a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia fez a divulgação de uma nova previsão da inflação medida pelo INPC, que apontou uma alta de 8,1%.

Com base nessas previsões de alta, a tendência é que o valor do salário mínimo tenha, sim, aumento em 2023. Afinal de contas, como comentamos anteriormente, o salário mínimo tem seu cálculo baseado no INPC. Se o índice aumenta, então o salário mínimo deve aumentar também, acompanhando-o devidamente.

Qual será o valor do salário mínimo em 2023?

Se a inflação acumular em 6,7%, conforme a primeira previsão do INPC feita pelo Congresso Nacional, então o piso salarial deverá aumentar de R$ 1.212 para R$ 1.294.

Porém, se a previsão da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia de que a inflação terá alta de 8,1% estiver certa (o que é mais provável, tendo em vista que é uma previsão mais recente, já que sido divulgada no último dia 19 de maio), então o piso deverá passar de R$ 1.212 para R$ 1.310,17, o que representa um aumento de R$ 98.

Salário mínimo atual e cesta básica

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), divulgada em fevereiro deste ano revelou que, ainda  no mês de janeiro, os trabalhadores estavam gastando, em média, 55,20% do piso salarial com alimentos básicos.

No mês de março, quando houve o registro do maior índice de inflação para o período desde 1994, o valor necessário para a compra da cesta básica para uma família de quatro pessoas era de R$ 6.394,76, ou 5,28 vezes o piso mínimo. Já em abril, o valor necessário era de R$ 6.394,76, o equivalente a 5,28 vezes o piso mínimo.

Veja também: 13º do INSS: confira o calendário de pagamentos dessa última semana de maio

Elouise Lopes
Escrito por

Elouise Lopes

Redatora WebGo Content e bacharelanda em Comunicação Organizacional na UTFPR.

0

Aguarde, procurando sua resposta