Saque antecipado de R$1 mil do FGTS: Por que você NÃO deve fazer?

Saque antecipado de R$1 mil do FGTS: Por que você NÃO deve fazer?

A partir do dia 20 de abril de 2022, será realizada a liberação do saque FGTS de até R$1 mil, sendo liberado até o dia 15 de dezembro. Cerca de 40 milhões de brasileiros serão beneficiados pela nova liberação.

Embora o valor seja uma boa ajuda enquanto renda extra, nem sempre pode ser uma boa ideia aderir ao saque. É preciso fazer uma boa avaliação antes de recorrer ao saque do FGTS.

Publicidade

Publicidade

Nesta matéria do No Detalhe, você descobre por que deve avaliar bem antes de fazer o saque FGTS antecipado, se existem outras alternativas de saque e ainda fica por dentro de 5 situações em que realmente vale a pena fazer o saque antecipado. Confira!

Por que você deve avaliar muito bem antes de fazer o saque do FGTS antecipado?

Saque antecipado de R$1 mil do FGTS: Por que você NÃO deve fazer?
O saque antecipado de R$1 mil do FGTS já foi liberado, mas nem sempre vale a pena realizá-lo. Descubra por que você deve avaliar bem. (Imagem: Pexels/Divulgação)

Quem tiver saldo positivo na conta do FGTS poderá, a partir do dia 20 de abril de 2022, realizar saques de até R$1 mil. A realização do saque deve acontecer em situações de emergência, já que ela é voltada para momentos em que o trabalhador que é beneficiário do Fundo se encontra em situações financeiras de dificuldade, seja por motivo de saúde, calamidade e outros mais.

Tendo isso em vista, é essencial que o trabalhador que é contribuinte do FGTS faça uma boa avaliação antes de aderir ao saque antecipado do FGTS. Em especial quando se trata de valores mais altos, como é o caso do saque de R$1 mil. Afinal de contas, o dinheiro pertence ao Fundo, que visa atender às necessidades básicas do trabalhador em situações bastante específicas.

Publicidade

Publicidade

Ao fazer o saque anual do FGTS, dependendo do valor retirado, o trabalhador que é contribuinte do FGTS precisa estar ciente de que poderá perder o direito de retirar o saldo total da conta caso seja demitido. De modo geral, é importante ter em mente que o FGTS tem mais a ver com uma reserva financeira de longo prazo do que com uma renda extra.

Em muitos casos, o melhor caminho é deixar de realizar o saque e resgatar o dinheiro em uma situação de real necessidade, a fim de evitar dores de cabeça em uma situação mais grave, podendo manter o dinheiro guardado no presente, em que a retirada do dinheiro é uma necessidade. Até porque, quando o dinheiro fica intacto na conta, é possível que o rendimento se torne ainda maior.

Quem optar por não realizar o saque deverá entrar em contato com a Caixa a partir do dia 8 de abril. Para isso, basta o beneficiário acessar o aplicativo do FGTS e informar que não irá efetuar retirada. Até o dia 10 de novembro, também será possível que, caso o contribuinte retire o saque e não utilize, solicite que o valor volte para a conta do FGTS.

Caso nada seja informado à Caixa pelo próprio contribuinte até o dia 15 de novembro, o dinheiro sofrerá correção monetário e retornará à conta de origem.

Tem outras alternativas para o FGTS antecipado?

O beneficiário do FGTS tem a opção de escolher entre o saque aniversário e o saque rescisão. A melhor alternativa, para quem deseja economizar dinheiro e ainda fazê-lo render na conta, é optar pelo saque rescisão, que é disponibilizado no momento em que o trabalhador é demitido sem justa causa. Dessa forma, é possível preservar uma renda ainda maior para situações de verdadeira necessidade.

É possível que o contribuinte realize a troca de um tipo de saque pelo outro. Para isso, basta esperar o período de dois anos de carência.

Publicidade

Publicidade

De modo geral, o contribuinte que opta pelo saque aniversário pode escolher não fazer o saque ou deixar para fazer o saque em um momento oportuno, evitando frustrações financeiras.

Lista com 5 motivos para fazer o saque (só vale a pena nestes casos)

Existem 5 situações em que vale a pena fazer o saque:

  1. Quitar dívidas: para quem está endividado, utilizar o saque do FGTS para realizar a quitação delas pode ser boa ideia.
  2. Fazer uma reserva financeira de emergência: ao longo do ano, é inevitável ter que lidar com previstos, como o conserto do carro etc., por isso vale a pena retirar o saque para fazer uma reserva financeira.
  3. Investir em produtos financeiros: também é válido retirar o saque para fazer investimentos, aumentando assim a renda.
  4. Pagar despesas médicas: em casos de vida ou morte, é totalmente válido retirar o FGTS para arcar com despesas médicas.
  5. Morte do trabalhador: caso o trabalhador venha a óbito, a família pode retirar o saque para quitar eventuais dívidas e cobrir despesas que tenham relação com o funeral.

Veja também: CONFIRMADO: Governo vai liberar saque de R$1 mil do FGTS. Veja como receber

Elouise LopesRedatora WebGo Content e bacharelanda em Comunicação Organizacional na UTFPR. Fã de café à meia noite e amante de fotografia de paisagens naturais.
Veja mais ›
Fechar