Dinheiro esquecido: próxima rodada de devolução prevê mais 7 fontes diferentes

O Banco Central deve aumentar as fontes de dinheiro esquecido nas próximas rodadas do programa. Confira, aqui, quais são!

O site de consulta ao dinheiro esquecido em bancos deve ganhar mais sete novas fontes para encontrar valores. A informação foi divulgada pelo BC (Banco Central), que afirmou que esses novos dados poderão ser consultados nas etapas seguintes do programa.

A previsão é de que há R$ 4 bilhões a serem devolvidos a 28 milhões de pessoas físicas e jurídicas só na primeira fase do programa. De acordo com o BC, a quantia total chega a R$ 8 bilhões.

Publicidade

Publicidade

Aqui, você confere detalhes sobre as novas fontes de dinheiro esquecido e descobre como realizar a consulta para verificar se possui algum saldo a receber!

Quais são as novas fontes que podem proporcionar o saque de dinheiro esquecido?

Dinheiro esquecido: próxima rodada de devolução prevê mais 7 fontes diferentes

Segundo o Banco Central, as próximas fases do programa reunirão mais sete fontes de dinheiro esquecido em instituições financeiras. A seguir, você conhece quais são:

  • Tarifas cobradas indevidamente, não previstas pelo Banco Central em Termos de Compromisso assinados pela instituição financeira;
  • Parcelas ou obrigações de operações de crédito cobradas de maneira indevida, não previstas no Termo de Compromisso com o BC;
  • Contas pré-pagas ou pós-pagas encerradas com saldo disponível;
  • Contas de registro mantidas por sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários para registro de operações de clientes encerradas e com saldo disponível;
  • Entidades que estão em liquidação extrajudicial;
  • FGC (Fundo Garantidor de Créditos);
  • FGCoop (Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito).

Estas duas últimas fontes de dinheiro esquecido são voltadas a investimentos e funcionam como um seguro caso o banco ou cooperativa de crédito declare falência. Atualmente, a proteção do FGC é de R$ 250 mil, no máximo, por pessoa física ou jurídica.

Publicidade

Publicidade

Como vai funcionar a consulta desses valores?

Segundo o Banco Central, o processo de consulta de dinheiro esquecido será o mesmo utilizado atualmente. Abaixo, você confere como funciona a consulta ao sistema:

  1. Acesse o site de consulta de valores a receber, do BC;
  2. Informe se deseja consultar CPF ou CNPJ e digite esse dado, bem como sua data de nascimento ou de abertura da empresa;
  3. Clique em “consultar”.

Pronto! A página será atualizada automaticamente e trará a informação sobre valores disponíveis, se houver algum saldo.

Quando começará a nova fase de consultas?

De acordo com o Banco Central, a previsão é que a nova fase de consultas esteja disponível a partir de 02 de maio. A proposta é implementar essas novas fontes até lá, aumentando as chances de pessoas físicas e jurídicas conseguirem acesso a algum valor.

Além disso, a previsão é que o processo de saque continue o mesmo adotado na primeira fase do programa, com calendário específico e solicitação online.

Calendário de saque do dinheiro esquecido

O BC adotou um calendário de saque do dinheiro esquecido, com datas definidas de acordo com o ano de nascimento da pessoa física ou de criação da pessoa jurídica. Veja quais são as datas nesta primeira fase:

Antes de 1968

  • Período de agendamento (consulta e resgate): 7 a 11/3
  • Data de repescagem (para quem perder a data agendada): 12/3

Entre 1968 e 1983

  • Período de agendamento (consulta e resgate): 14 a 18/3
  • Data de repescagem (para quem perder a data agendada): 19/3

Após 1983

  • Período de agendamento (consulta e resgate): 21 a 25/3
  • Data de repescagem (para quem perder a data agendada): 26/3

Vale lembrar que o calendário da segunda fase, a que se inicia em maio, ainda não foi estabelecido.

Como sacar o dinheiro esquecido em banco?

Publicidade

Publicidade

Quem tem dinheiro esquecido no banco deve retornar ao site no período de agendamento indicado no calendário. Na ocasião, terá de fazer uma nova consulta e solicitar o resgate online do valor pelo site do Banco Central.

Para isso, é obrigatório ter uma conta gov.br. Caso ainda não tenha, faça a sua gratuitamente no site gov.br ou no aplicativo (Google Play e App Store).

O agendamento do resgate deve ser feito em um horário específico, das 4h às 14h ou das 14h às 24h. Se não conseguir realizar nesse período, deverá utilizar a data de repescagem, das 4h às 24h, para agendar o repasse do valor.

Caso o dinheiro esquecido pertença a uma pessoa falecida, também é possível resgatá-lo se for seu herdeiro direto. Mas é preciso aguardar as orientações do Banco Central para saber como proceder.

Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.
FacebookLinkedinTwitter

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário