Novo Ensino Médio: O que é, como funciona e quando as mudanças começam

Novo Ensino Médio começa a ser implantado neste ano, para quem cursar o primeiro ano, em escolas particulares e públicas do país.

O Novo Ensino Médio, desenvolvido pelo Ministério da Educação (MEC), será implantado nas escolas públicas e privadas do país a partir deste ano. Entre as mudanças que ele traz, estão o aumento da carga horária e a possibilidade do aluno escolher as matérias que vai cursar, para que elas estejam relacionadas com a opção profissional que ele quer seguir.

De acordo com o MEC, R$360 milhões foram repassados para as secretarias de educação, para que elas se adaptem à nova matriz curricular e construam escolas piloto. Deste total, cerca de R$ 70 milhões foram direcionados para a readequação e para formação dos profissionais de educação.

Publicidade

Publicidade

Quando as mudanças do Novo Ensino Médio vão começar?

Tudo o que você precisa saber sobre o Novo Ensino Médio
Tudo o que você precisa saber sobre o Novo Ensino Médio, que começa a ser implantado nas escolas neste ano. (Imagem: SEED PR / Divulgação)

O Novo Ensino Médio está sendo inserido nas escolas públicas e particulares do país de forma gradual. Os cronogramas são divididos em duas partes: implementação das mudanças e escolha do material didático.

Cronograma dos referenciais curriculares:

  • No ano de 2021: aprovação e homologação dos referenciais curriculares pelos respectivos Conselhos de Educação e formações continuadas destinadas aos profissionais da educação;
  • No ano de 2022: implementação dos referenciais curriculares no 1º ano do ensino médio;
  • No ano de 2023: implementação dos referenciais curriculares nos 1º e 2º anos do ensino médio;
  • No ano de 2024: implementação dos referenciais curriculares em todos os anos do ensino médio;
  • Nos anos de 2022 a 2024: monitoramento da implementação dos referenciais curriculares e da formação continuada aos profissionais da educação.

Cronograma referente aos materiais e recursos didáticos:

Publicidade

Publicidade

  • No ano de 2021: escolha e distribuição das obras, projeto integradores e projetos de vida;
  • No ano de 2022: escolha e distribuição, por área de conhecimento, das obras de formação continuada e dos recursos educacionais digitais;
  • No ano de 2023: escolha e distribuição das obras literárias; 
  • No ano de 2024: escolha e distribuição dos materiais e recursos didáticos para os itinerários formativos.

Quais são as mudanças que serão feitas no Ensino Médio?

Com o Novo Ensino Médio, os estudantes poderão escolher em qual área querem aprofundar seus conhecimentos ao longo dos três anos de formação. A educação vai ser formada por dois pilares: a Formação Geral Básica (FGB), que será obrigatória a todos os estudantes e seguirá a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e os itinerários formativos

A FGB vai ser dividida em quatro áreas de conhecimento:

  • Linguagens e suas Tecnologias: Arte, Língua Inglesa, Língua Portuguesa e Educação Física;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Química, Física e Biologia;
  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas: História, Geografia, Sociologia e Filosofia;
  • Matemática e suas Tecnologias: Matemática.

Com relação aos itinerários, as redes de ensino vão ter a autonomia para definir os detalhes e currículos de cada um deles, mas, simplificadamente, eles serão divididos da seguinte forma:

  • Linguagens e suas tecnologias;
  • Matemática e suas tecnologias;
  • Ciências da natureza e suas tecnologias;
  • Ciências humanas e sociais aplicadas;
  • Formação técnica e profissional.

“(O Novo Ensino Médio)Contempla as aprendizagens essenciais e comuns a todos os jovens e a oferta de diferentes possibilidades de escolha aos estudantes a partir dos itinerários formativos incluindo a formação técnica e profissional de forma a aprofundar conhecimentos e ajudar na inserção dos jovens no mercado de trabalho”, afirma o Ministério da Educação por meio de nota. 

Além disso, o novo modelo conta com a ampliação da carga horária mínima, que passa das atuais 800 horas para 1.000 horas anuais. Com isso, os alunos vão ter três mil horas de aulas durante todo o Ensino Médio, que serão divididas da seguinte forma:

  • 1.800 horas destinadas para a Formação Geral Básica;
  • 1.200 horas para a realização dos itinerários formativos.

O que muda para as escolas?

O Novo Ensino Médio não traz apenas mudanças para os estudantes, mas também para os professores e gestores, que precisam se adaptar junto com os alunos nos próximos anos. Veja algumas delas:

  • O professor poderá trabalhar parte da carga horária conforme o interesse dos estudantes e de acordo com as necessidades pedagógica diagnosticada;
  • O professor terá mais tempo para trabalhar os temas com os alunos;
  • As escolas, em parceria com as respectivas secretarias de educação,  poderão firmar  parcerias com outras instituições de ensino, como Institutos Federais (IFs), universidades estaduais e federais, para ofertar novos itinerários;

Formada em Jornalismo pela PUCPR. Atualmente está cursando Pós Graduação em Questão Social e Direitos Humanos na mesma instituição de ensino. Tem paixão por informar as pessoas e acredita que a comunicação é uma ferramenta que pode mudar o mundo!
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário