Nubank abre inscrição para programa de recrutamento focado em profissionais negros. Entenda!

Começa nesta segunda-feira (08/01) o processo de inscrição para o Nós Codamos, evento virtual da fintech brasileira Nubank. A iniciativa é voltada ao recrutamento de pessoas negras, e os interessados podem se inscrever pelo site do Nubank até o dia 12 de fevereiro.

Com o programa, o Nubank irá contratar profissionais de todos os níveis para integrar a equipe de desenvolvimento de software da fintech. Uma das condições para participar do Nós Codamos é que o participante se identifique como parte da comunidade negra.

Por conta da Covid-19, o evento será virtual, assim como vem acontecendo com todos os outros processos de recrutamento e integração do Nubank. O evento está marcado para os dias 5 e 6 de março, e as duas fases serão totalmente em português.

nós codamos nubank

Todos os inscritos no Nós Codamos poderão participar de uma imersão para conhecer o trabalho da equipe de engenharia de Software do Nubank no primeiro dia de evento. Farão parte deste meetup virtual profissionais da startup e o cofundador e Diretor de Tecnologia Edward Wible.

Enquanto isso, para concorres às vagas abertas pelo banco digital, os participantes receberão um teste de programação no primeiro dia de evento. Os aprovados serão convidados para participar da segunda fase da seleção, o evento de recrutamento que ocorrerá no dia 6 de março.

O Nubank destaca que não há análise de currículo para participar do Nós Codamos, assim como não é necessário saber programar em uma linguagem específica. Em todas as fases do evento, os participantes poderão resolver os exercícios na linguagem em que se sentirem mais confortáveis em usar.

Para se inscrever no Nós Codamos e conferir mais informações sobre o evento de recrutamento, basta acessar o site do Nubank.

Profissionais de todo o Brasil podem participar

Como o Nubank tem realizado os processos de recrutamento de maneira remota, candidatos de todas as regiões do país podem participar da seleção. Segundo a fintech, as datas de retorno ao trabalho presencial ainda não estão definidas, e serão adaptadas de acordo com as condições da pandemia e das campanhas de vacinação.

Mas o Nubank se compromete a arcar com custos de transporte, mudança e hospedagem por um mês para quem for efetivado pela startup e morar fora de São Paulo.

O Nós Codamos é o primeiro evento do Nubank para contratação de pessoas negras e pardas. A iniciativa segue os moldes do programa “Yes, She Codes”, realizado pela startup desde 2018 para ampliar a diversidade de gênero no setor de tecnologia. Desde então, o banco contratou 35 mulheres a partir do programa, e 95% delas seguem na equipe.

Além disso, o Nós Codamos está inserido em um cenário de combate ao racismo estrutural por parte do Nubank. O banco adotou um posicionamento mais ativo nesse sentido a partir do final de 2020, após a repercussão negativa da participação de Cristina Junqueira, confundadora da startup, no programa Roda Viva.

No episódio, que ocorreu em outubro do ano passado, Junqueira respondeu que “não dá para nivelar por baixo” quando foi questionada se o grau de exigência no processo seletivo do Nubank não dificultaria a entrada de pessoas negras.

A empresária pediu desculpas e reforçou o compromisso da empresa em avançar na diversidade racial. Ainda em outubro, o banco divulgou um comunicado sobre diversidade racial anunciando medidas internas e externas de combate ao racismo estrutural.

Combate ao racismo no Nubank vai além do Nós Codamos

O compromisso de combater o racismo estrutural não pode se resumir a contratações. Por isso, uma das medidas do Nubank foi aumentar a equipe destinada à questão da diversidade e inclusão na empresa.

No ano passado, o time de responsáveis por atrair, selecionar e desenvolver grupos sub-representados na empresa. Hoje, a equipe dobrou de tamanho, contando com oito colaboradores e mais dez vagas abertas.

Segundo Junqueira, o objetivo do Nubank é acelerar a contratação de pessoas negras e mudar o cenário de falta de representação na área de tecnologia.

Nos últimos três meses, fintech teve mais de 21 mil inscrições de candidatos a vagas de emprego autodeclarados negros e pardos, sendo 13 mil a partir de uma plataforma exclusiva para este grupo.

Recentemente, o Nubank se tornou o maior banco digital independente do mundo. A startup levantou US$ 400 milhões em sua sétima rodada de financiamento, realizada no mês passado. Com isso, o banco está agora avaliado em US$ 25 bilhões, ficando atrás apenas de Itaú, Bradesco e Santander na América Latina.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário