5,4 milhões de pessoas deixaram de receber o auxílio emergencial. Entenda

Mais de 5 milhões de pessoas ficaram de fora dos pagamentos do auxílio emergencial no último mês e voltaram a receber o Bolsa Família.

Pagamentos do auxílio emergencial no Caixa Tem

Em setembro, 5,4 milhões de pessoas cadastradas no Bolsa Família pararam de receber parcelas do auxílio emergencial por terem deixado de ser elegíveis para o benefício.

Para ter direito ao auxílio emergencial, as famílias devem ter renda mensal total de no máximo três salários (R$ 3.330), desde que a renda por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 550).

Publicidade

Publicidade

Todos os meses, a Dataprev faz um pente-fino para saber se quem recebe o auxílio ainda têm direito às novas parcelas, o que explica a exclusão de muitos beneficiários. Para o beneficiário saber se terá direito às últimas parcelas do programa emergencial, ele pode fazer uma consulta no site da Dataprev (mais informações abaixo).

Pagamentos do auxílio emergencial no Caixa Tem
Mais de 5 milhões de pessoas deixam de receber o auxílio emergencial e voltam para o Bolsa Família | Imagem: No Detalhe

Com a interrupção no pagamento do auxílio, estas famílias voltam a receber o Bolsa Família, que hoje tem valor médio de R$ 189. Vale lembrar que as regras do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família preveem que a pessoa recebe o benefício que for mais vantajoso.

Por conta disso, muitas famílias cadastradas no programa passaram a receber o auxílio emergencial nos últimos meses, pois apenas o valor pago a pessoas que moram sozinhas (R$ 150) é menor do que a média do Bolsa Família. Ao todo, 9,45 milhões que fazem parte do programa receberam o auxílio em setembro.

Publicidade

Publicidade

Segundo o Ministério da Cidadania, mais de 50% do público que recebe auxílio emergencial são mulheres chefes de família, que têm direito a parcelas de R$ 375. Se comparado ao pagamento médio do Bolsa Família, estas parcelas representam quase o dobro do valor.

Veja também: Inscrições para Auxílio Emergencial 2022 serão abertas?

Beneficiários ainda podem receber duas parcelas do auxílio emergencial

Na última segunda-feira (04/09), a Caixa começou a liberar o saque da sexta parcela do auxílio emergencial. Como de costume, o calendário de saques da penúltima parcela do benefício varia conforme mês de nascimento ou NIS para cadastrados no Bolsa Família, e seguirá até o dia 19 de outubro.

Depois disso, no dia 20 de outubro começam os pagamentos da sétima e última parcela do auxílio emergencial para o público em geral. Os pagamentos seguirão até o próximo dia 31, enquanto o período de saques será de 1ª a 19 de novembro.

Enquanto isso, no caso dos beneficiários do Bolsa Família que continuam recebendo o auxílio emergencial, as parcelas ficarão disponíveis nas seguintes datas:

  • NIS terminado em 1 – 18/10
  • NIS terminado em 2 – 19/10
  • NIS terminado em 3 – 20/10
  • NIS terminado em 4 – 21/10
  • NIS terminado em 5 – 22/10
  • NIS terminado em 6 – 25/10
  • NIS terminado em 7 – 26/10
  • NIS terminado em 8 – 27/10
  • NIS terminado em 9 – 28/10
  • NIS terminado em 0 – 29/10

Vale lembrar que beneficiários do Bolsa Família não precisam esperar pelo período de saques para ter acesso às parcelas do auxílio, como é o caso do público em geral.

Como saber se ainda tenho direito ao auxílio emergencial?

Publicidade

Publicidade

Como no último mês mais de 5 milhões de beneficiários do Bolsa Família deixaram de receber o auxílio emergencial, é importante conferir se ainda tem direito às últimas parcelas do benefício.

Conforme nós já mostramos aqui, esta consulta pode ser feita de forma bastante simples:

  1. Acesse a página de Consulta ao Auxílio Emergencial;
  2. Em seguida, preencha os campos com os dados solicitados: CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento;
  3. Depois disso, marque a caixa “Não sou um robô” e clique em enviar.

Feito isso, você terá acesso às informações sobre o seu benefício. Nesta página, é possível conferir a data em que cada parcela foi creditada, o valor de todas elas, e a situação do próximo pagamento.

Caso o próximo pagamento esteja suspenso ou bloqueado, também é possível consultar o motivo da situação. Se o motivo informado pelo sistema não corresponder com a realidade, é possível entrar com recurso para contestar o auxílio emergencial negado.

Publicidade

Entretanto, é importante destacar que quem abrir um recurso de contestação precisa comprovar com os devidos documentos que realmente tem direito ao benefício.

Publicidade

Milhares de pessoas precisam devolver o auxílio

Nos últimos meses, o governo vem notificando milhares de pessoas para devolverem os valores que receberam de auxílio emergencial. Atualmente, já são 627 mil brasileiros recebendo mensagens de texto (SMS) do Ministério do Cidadania com esse objetivo.

As mensagens são enviadas pelos números 28041 ou 28042 e incluem o CPF do beneficiário e um link que começa com “gov.br”. Sendo assim, quem receber SMS fazendo esse tipo de cobrança que não tenha estas características deve desconsiderar a mensagem.

Para saber mais informações sobre as situações em que é preciso devolver o auxílio emergencial e como são feitas as devoluções, basta conferir o nosso texto explicando sobre.

Publicidade

Publicidade

Fonte: Agora São Paulo.

Jornalista, ator profissional licenciado pelo SATED/PR e ex-repórter do Jornal O Repórter. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
FacebookLinkedinTwitterYoutube

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário