7ª parcela do Auxílio Emergencial começa a ser paga dia 20 de outubro

Pagamento do Auxílio Emergencial
Pagamento do Auxílio Emergencial (Imagem: No Detalhe)

A Caixa Econômica Federal inicia os pagamentos da sétima parcela do Auxílio Emergencial no dia 20 de outubro para o público em geral (trabalhadores inscritos online e via CadÚnico).

Já beneficiários do Bolsa Família começam a receber a sétima parcela a partir de 18 de outubro. Aqui, você confere o calendário atualizado do Auxílio Emergencial e mais novidades sobre o benefício!

Publicidade

Publicidade

Alguns integrantes do Governo Federal querem prorrogar o Auxílio Emergencial
Pagamentos do Auxílio Emergencial | Imagem: No Detalhe

Calendário da 7ª parcela do Auxílio Emergencial ao público em geral

O público em geral recebe em datas definidas de acordo com o mês de aniversário dos beneficiários. Confira quando a sétima parcela estará disponível no Caixa Tem:

  • Nascidos em janeiro: 20/10
  • Nascidos em fevereiro: 21/10
  • Nascidos em março: 22/10
  • Nascidos em abril: 23/10
  • Nascidos em maio: 23/10
  • Nascidos em junho: 26/10
  • Nascidos em julho: 27/10
  • Nascidos em agosto: 28/10
  • Nascidos em setembro: 29/10
  • Nascidos em outubro: 30/10
  • Nascidos em novembro: 30/10
  • Nascidos em dezembro: 31/10

Calendário da 7ª parcela do Auxílio Emergencial para o Bolsa Família

O Auxílio Emergencial e o Bolsa Família possuem o mesmo calendário de pagamentos. Confira quando a sétima parcela estará disponível, de acordo com o dígito final de seu NIS:

  • NIS final 1: 18/10
  • NIS final 2: 19/10
  • NIS final 3: 20/10
  • NIS final 4: 21/10
  • NIS final 5: 22/10
  • NIS final 6: 25/10
  • NIS final 7: 26/10
  • NIS final 8: 27/10
  • NIS final 9: 28/10
  • NIS final 0: 29/10

Vai ter Auxílio Emergencial em 2022?

Ainda não se sabe se haverá Auxílio Emergencial em 2022. A sétima parcela é a última confirmada até o momento. A proposta inicial do governo federal era pagar o benefício até outubro e iniciar o Auxílio Brasil em novembro.

Publicidade

Publicidade

Mas, o que é o Auxílio Brasil? Trata-se do Bolsa Família repaginado. O governo federal optou por reestruturar o programa e relançá-lo, tentando desvinculá-lo da imagem do PT (Partido dos Trabalhadores). Assim, Jair Bolsonaro conseguiria utilizá-lo como uma vitrine para uma tentativa de reeleição em 2022.

Para tornar o programa mais atrativo e tentar aumentar sua popularidade, o presidente prometeu incluir mais pessoas no Auxílio Brasil, abrangendo parte das que ficarão sem Auxílio Emergencial a partir de novembro.

Também prometeu aumentar o valor do benefício para R$ 300,00. Atualmente, o ticket médio do Bolsa Família é de R$ 190,00.

Mas, para conseguir implementar o programa até novembro com essas promessas, o governo precisa resolver duas pendências: a dos precatórios e da reforma do imposto de renda.

Como a perspectiva é de que ambas as questões não se resolvam tão cedo, há uma grande chance de o governo não conseguir implementar o Auxílio Brasil em novembro.

Por isso, aliados do governo já estão sugerindo a renovação do Auxílio Emergencial e o próprio presidente indicou recentemente que pode continuar com o benefício nos próximos meses.

Publicidade

Publicidade

A proposta que o governo estuda é de prorrogar o benefício até abril de 2022, como tem feito outros países. Neste caso, os valores do benefício seriam mantidos até dezembro de 2021 e a partir de 2022 haveria uma redução gradativa do total pago mensalmente. Mas, a prorrogação ainda não foi confirmada pelo governo.

Quem tem direito ao Auxílio Emergencial 2021?

Para ter direito ao Auxílio Emergencial 2021, o beneficiário precisa cumprir vários requisitos. A seguir, listamos os principais:

  • Ter recebido o Auxílio Emergencial 2020;
  • Estar desempregado formalmente;
  • Não receber benefício previdenciário, assistencial, estudantil ou trabalhista do governo, exceto abono salarial Pis/Pasep e Bolsa Família;
  • Ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo;
  • Pertencer à família com renda mensal total de até três salários mínimos;
  • Não ter recebido, em 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Não ter posse, em 31 de dezembro de 2019, ou propriedade de bens ou direitos no valor acima de R$ 300 mil;
  • Ter mais de 18 anos, exceto mães adolescentes.

Como contestar o Auxílio Emergencial?

Quem teve seu benefício negado pode recorrer, se o motivo de cancelamento for passível de contestação. A seguir, indicamos como realizar esse serviço online:

  1. Acesse o site Dataprev Auxílio Emergencial;
  2. Informe seu nome completo, CPF, nome de sua mãe e data de nascimento;
  3. Marque a caixa de recaptcha;
  4. Clique em “enviar”;
  5. Selecione “auxílio 2021”;
  6. Clique no botão “contestar”, que estará disponível somente se o motivo do cancelamento permitir recorrer;
  7. Confirme a operação.

Flavio CarvalhoGestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.
Veja mais ›
Fechar