Bilhete Único 2021: Estudantes de São Paulo podem solicitar acesso gratuito e meia-tarifa. Veja como!

Segundo a SPTrans (São Paulo Transporte S/A), estudantes da capital paulista terão acesso a cotas de gratuidade e meia-tarifa a partir de fevereiro. As cotas estarão disponíveis por meio do bilhete único para alunos da educação infantis, dos ensinos fundamental, médio, superior, técnico e profissionalizante, e também do EJA (Educação de Jovens e Adultos) de São Paulo.

O benefício vale tanto para estudantes de escolas públicas quanto de instituições privadas. Depois da solicitação, as instituições de ensino também precisam enviar dados de matrículas dos estudantes que terão aulas presenciais em 2021.

Há uma taxa de R$ 30,80 que deve ser paga para realizar o bilhete único em São Paulo. É possível gerar o boleto de pagamento no Canal do Estudante, página do site da SPTrans que pode ser acessada por meio deste link. Após o pagamento, há um prazo de até 20 dias para o cartão ser enviado à escola, exceto para quem escolheu permanecer com o cartão usado.

bilhete único são paulo

Por conta da pandemia, a recomendação é evitar deslocamentos desnecessários. Sendo assim, o aluno pode optar por receber o bilhete em casa. Para isso, é só solicitar o serviço no próprio site da SPTrans, na aba de documentos do estudante.

Para solicitar o bilhete único do estudante, é preciso se cadastrar no site e enviar os dados de matrícula à SPTrans. Quem já possuir um cartão ativo usado em anos anteriores, pode cancelar o bilhete no próprio site e depois solicitar um novo. Mas se preferir, também é possível manter o mesmo cartão, desde que ele esteja em perfeito estado de funcionamento e conservação.

Mas em ambos os casos é preciso pagar o boleto, o que também pode ser feito por aplicativos indicados pela própria SPTrans.

Como funciona o Bilhete Único de Estudante de São Paulo?

O bilhete único de São Paulo permite fazer até quatro embarques em ônibus diferentes no intervalo de tempo de até três horas com o custo de apenas uma passagem. Além disso, o cartão também dá acesso ao Sistema Estadual de Transporte Público Metropolitano Metroferroviário (Metrô e CPTM).

No caso do bilhete único de estudante, ele é dividido em duas modalidades: meia-tarifa e com gratuidade. Na primeira, o usuário adquire créditos com desconto de 50% sobre as tarifas básicas vigentes. Na segunda, como o próprio nome já diz, as cotas de viagens são gratuitas.

Para estudantes de instituições privadas terem direito ao benefício, é preciso estar matriculado em cursos devidamente autorizados e reconhecidos por autoridades competentes. Além disso, a instituição de ensino deve estar localizada a mais de 1 km da residência do aluno, e precisa haver ligação de transporte coletivo público entre os dois pontos.

O estudante precisa morar em São Paulo, na Região Metropolitana ou nos municípios constantes de portaria da SMT e estudar nessas mesmas regiões para ter acesso ao bilhete único.

O benefício é de uso pessoal e intransferível. Se houver uso indevido do cartão por outras pessoas, ele será apreendido e o benefício suspenso até o fim do ano letivo. Por conta disso, é fundamental que o estudante nunca empreste seu cartão, e sempre mantenha os dados cadastrais e sua foto atualizada no sistema.

Para solicitar 2ª via do cartão, é necessário que o titular, quando maior de 16 anos, ou responsável compareça ao Posto Central para pagar uma nova taxa. O endereço do Posto é Rua Boa Vista, 274 – Centro, e o atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Em caso de dúvidas, o telefone é o 156.

Quem tem direito à gratuidade?

Em São Paulo, a gratuidade do bilhete único é garantida para estudantes de baixa renda. Para ter direito ao benefício, além dos requisitos já citados, o aluno precisa ter renda familiar menor do que 1,5 salário mínimo nacional por pessoa.

É considerada renda a soma dos rendimentos brutos de todos os membros da família, incluindo salários, vencimentos, benefícios e pensões que sejam usados para arcar com despesas de moradia, alimentação, educação, saúde, transporte, vestuário, lazer etc.

Para obter a gratuidade por baixa renda, é preciso pagar o boleto de ativação e marcar uma entrevista do CadÚnico na cidade em que o aluno mora. O procedimento é necessário para validar as informações prestadas.

Depois, o estudante deve acessar seu cadastro do bilhete único e informar o número NIS. Por fim, é preciso esperar por até 45 dias para que o Sistema CadÚnico valide a gratuidade. Enquanto isso, o estudante pode utilizar o benefício da meia-tarifa.

Para mais informações sobre o bilhete único do estudante de São Paulo, é só acessar a página “Perguntas e Respostas” no site da SPTrans.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.

Deixe seu comentário