Cuidados ao pagar suas contas com o cartão de crédito

Cuidados ao pagar suas contas com o cartão de crédito
Veja quais cuidados devem ser tomados ao utilizar o cartão de crédito. (Imagem: Pexels / Divulgação)

O cartão de crédito é a forma de pagamento queridinha dos brasileiros. Uma pesquisa realizada pela consultoria Gmattos, de janeiro de 2021 a janeiro de 2022, mostra que ele tem uma aceitação entre os consumidores de 98,3%.

Em seguida, aparece o boleto bancário (74,6%) e o PIX (64,4%). De acordo com especialistas, os principais motivos para que isso aconteça são a possibilidade de parcelar as compras e de fazer pagamentos mesmo sem dinheiro na conta. 

Publicidade

Publicidade

Quando isso for possível de ser feito com PIX, é provável que o sistema de pagamentos instantâneos se torne tão popular quanto o cartão de crédito, de acordo com economista e diretor financeiro do Popibank, Marcelo Pereira. 

Quando tivermos a opção de Pix parcelado eu acredito que será um grande impulsionador para que ele ultrapasse o pagamento por boleto e se torne o segundo meio mais aceito no país. Só não deverá passar o cartão de crédito, pois embora seja uma opção com taxas mais altas para as empresas, seguirá sendo a mais utilizada pelos usuários devido à possibilidade de realizar a compra mesmo sem ter dinheiro disponível no momento”, avalia. 

Ainda sim, o cartão de crédito tem suas desvantagens e é o principal responsável pelo endividamento dos brasileiros. Por isso, é preciso ter cuidado ao fazer compras com essa forma de pagamento. 

É possível pagar contas com o cartão de crédito?

Cuidados ao pagar suas contas com o cartão de crédito
Veja quais cuidados devem ser tomados ao utilizar o cartão de crédito. (Imagem: Pexels / Divulgação)

Dependendo do banco, é possível pagar contas de água, energia elétrica, gás e telefone com o cartão de crédito, mas o consumidor pode ficar sujeito à cobrança de juros e IOF, desde o momento de pagamento da conta até a data de pagamento da fatura. 

Publicidade

Publicidade

A recomendação é que, antes que o pagamento seja feito, haja uma consulta ao CET (Custo Efetivo Total).

O que você deve saber antes de pagar as contas com seu cartão de crédito

Uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal Meu Bolso Feliz, de 2015, traz dados assustadores, que demonstram o motivo pelo qual a população se endivida tanto com o cartão de crédito. De acordo com o estudo, um terço dos entrevistados não sabe qual o limite deles junto ao banco.  

Cerca de 96% dos participantes disseram não saber qual é a taxa de juros mensal. Além disso, 19% dos respondentes pedem o cartão emprestado a outras pessoas, como para pais e amigos, e dois em cada dez brasileiros compram parcelado no cartão de terceiros.

Antes de usar uma forma de pagamento tão repleta de detalhes, é importante que o consumidor saiba onde está se metendo. Ele precisa saber qual seu limite, para respeitá-lo, deve conhecer as taxas e juros cobradas pelo banco, para não deixar que as dívidas aumentem drasticamente e devem ter consciência financeira sempre que possível, para evitar compras no cartão de terceiros. 

Pague sempre sua fatura em dia e evite problemas

No final de 2021, 70,9% das famílias brasileiras estavam endividadas, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC). Deste total, 82,6% das dívidas têm origem no cartão de crédito. 

Um dos motivos pelo qual esse tipo de pagamento é o vilão das finanças pode ser explicado pelo rotativo. Ele é acionado quando a fatura não é paga corretamente, mas conta com juros altíssimos. As taxas anuais são superiores a 300% e podem chegar a mais de 800%, de acordo com a Agência Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste).

Publicidade

Publicidade

Dados do Banco Central (BC) mostram que, em 2021, a busca pelo rotativo do cartão de crédito foi a maior em dez anos. O crédito concedido chegou a R$ 224,7 bilhões no ano passado, o que representa uma média mensal de R$ 18,7 bilhões. Em 2020, as concessões no cartão de crédito rotativo para pessoa física totalizaram R$182,7 bilhões, ou R$ 15,2 bilhões por mês. 

Marina DarieFormada em Jornalismo pela PUCPR. Atualmente está cursando Pós Graduação em Questão Social e Direitos Humanos na mesma instituição de ensino. Tem paixão por informar as pessoas e acredita que a comunicação é uma ferramenta que pode mudar o mundo!
Veja mais ›
Fechar